Exame inovador para Alzheimer parece funcionar

Por , em 14.07.2009

O contraste para doença de Alzheimer do Grupo Bayer, florbetaben (florbetabeno), demonstrou ajudar a detectar a doença em oito de dez casos na fase II de um estudo, possivelmente oferecendo uma maneira de diagnosticá-la em um estágio inicial.

“(A Bayer almeja) contribuir com o diagnóstico de Alzheimer no futuro, mais precisamente e mais cedo dentro do curso da doença,” a empresa disse em um pronunciamento no domingo.

Os resultados do estudo, que envolveu 213 participantes, levaram a Bayer a se preparar para uma terceira e última fase de testes, normalmente necessária para aprovação regulatória, afirmou em junho.

Atualmente, um diagnóstico confiável da doença só é possível quando sintomas como perda de memória, colapso da fala e movimentos prejudicados estão em estágios avançados e apenas um exame de um tecido cerebral post-mortem pode oferecer absoluta certeza.

A injeção de florbetaben ressalta as placas beta-amilóides – que são associadas com Alzheimer – no cérebro de um paciente sob uma tomografia por emissão de pósitrons.

O estudo também mostrou que o método florbetabeno identifica mais de nove dentre dez participantes saudáveis em um grupo de controle como livres de Alzheimer.

Estima-se que mais de 26 milhões de pessoas no mundo todo são sofram da doença de Alzheimer e segundo a Bayer, esse número pode ultrapassar os 100 milhões até 2050.

A empresa não oferece uma estimativa do auge de vendas anuais do produto. Entre os poucos tratamentos disponíveis contra Alzheimer estão o Aricept da Eisai e Pfizer, Exelon da Novartis, Ebixa da Lundbeck, e o Reminyl da Shire. [Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!