Trabalhar após a aposentadoria pode ser bom para a saúde

Por , em 30.10.2009

Pessoas que continuam trabalhando em suas respectivas áreas depois de se aposentar podem aproveitar melhor sua saúde física e mental do que aqueles que param por completo, segundo uma nova pesquisa.

As descobertas, dizem os pesquisadores, sugerem que os que estão com a perspectiva de se aposentar deveriam considerar a hipótese de mudarem para o chamado “emprego-ponte”, como uma transição para a aposentadoria integral.

“Em essência, se alguém está em uma área em que há possibilidade de trabalhar por meio período ou como autônomo, ele ou ela deveria considerar isso como um plano para a aposentadoria”, explica o dr. Mo Wang, professor-assistente de Psicologia na Universidade de Maryland.

Para o estudo, Wang e seus colegas usaram dados de saúde de mais de 12 mil trabalhadores dos EUA, que vinham sendo coletados desde 1992. Os participantes, de idades entre 51 e 61 anos no início, foram examinados a cada dois anos por um período de seis anos.

No geral, a equipe de Wang descobriu que pessoas que foram para algum tipo de “emprego-ponte” relataram, durante o período de estudo, menores taxas de doenças graves – como hipertensão arterial, doenças cardíacas, diabetes e artrite – do que seus opostos: aqueles que foram direto para a aposentadoria integral.

As descobertas não se explicam por uma idade mais avançada ou um pior estado inicial de saúde naqueles que optaram pela aposentadoria integral, relatam os cientistas na edição de outubro do Journal of Occupational Health Psychology.

No auge de sua melhor saúde física, trabalhadores “ponte” também tendem a ter uma menor taxa de problemas de saúde mental, como depressão.

Os mesmos benefícios na saúde mental não são vistos, entretanto, quando aposentados entram em um trabalho de meio-período em outras áreas – possivelmente, segundo Wang, porque muitas dessas pessoas podem ter aceitado esses empregos mais por necessidade financeira do que por escolha própria. Segundo ele, a falta desses benefícios pode também ter origem no fato de que esses aposentados tiveram que se ajustar a um posto de trabalho não-familiar ou tiveram que mudar seu estilo de vida.

O “trabalho-ponte”, particularmente em uma área afim, pode beneficiar a saúde física e mental por uma série de razões, de acordo com Wang.

Em geral, explica, esse trabalho pode ajudar os idosos a manter os estilos de vida ativos que tinham durante suas carreiras e diminuir qualquer estresse que poderiam sentir a partir da transição para a aposentadoria. Em relação à saúde mental, por exemplo, o “trabalho-ponte” pode ajudar, de acordo com Wang, ao permitir que as pessoas mantenham a “identidade funcional” que formaram ao longo de suas carreiras.

O pesquisador explica também que permanecer ativo no geral, não só através do trabalho, pode também beneficiar a saúde física dos aposentados. Ele acrescentou, entretanto, que qualquer benefício na saúde mental costuma depender do tipo de atividade – se é algo de que a pessoa realmente goste e que a ajude a aliviar o estresse de passar à aposentadoria.

“Essas descobertas sugerem que é muito importante que os aposentados e os que pensam em se aposentar considerem cuidadosamente a possibilidade de exercer um ‘emprego-ponte’ e estudarem que tipo de emprego-ponte realizariam, se quisessem”, completa Wang. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • jodeja:

    Trabalhar nunca faz mal a ninguém. Movimento é trabalho e, nada no universo fica parado. Me aposentei em 1989, na área de construção civil e continuei trabalhando na mesma área, (claro que por necessidade, mas também por prazer, pois aos 13 anos comecei como aprendiz) até 2005, quando me apareceu em uma Universidade a oportunidade de ser instrutor num “curso de gestor em construção civil”, onde trabalhei até 2010. Agora só trabalho cuidando de jardim, mas não fico parado.

  • Cesar Queiroz:

    Gostaria d saber se eu posso continuar a trabalhar apos aponsetar. vou ficar muito grato se puder ser respondido.
    vou me aponsentar daqui 40 dias, mas ñ quero ficar parado mas tenho medo de perder meus beneficios se voltar a trabalhar mesmo contribuindo junto ao inss.
    desd ja fico muito grato.

    Cesar queiroz.

Deixe seu comentário!