5 técnicas usadas por cachorros para “ler sua mente”

Por , em 1.10.2013

Não se engane: a esperteza do seu cachorro de estimação vai muito além de truques como deitar, rolar e se fingir de morto. Graças a algumas características que a evolução lhe deu, ele pode entender o ser humano de forma muito mais precisa do que outros animais.

Conheça, a seguir, cinco delas:

5. Empatia

55
Humanos e outros primatas estão entre os poucos seres capazes de bocejar ao ver outros fazendo o mesmo, uma capacidade fortemente ligada à empatia (a tendência de se colocar no lugar do outro). Curiosamente, cachorros também fazem parte desse grupo seleto.

Ainda não se sabe exatamente o porquê, mas há uma teoria segundo a qual a seleção natural beneficiou cães para serem capazes de compreender esse comportamento – que, acredita-se, é entendido desde tempos antigos como um sinal de tédio ou cansaço. Este que vos escreve, por sinal, fez um teste com seu fiel cachorro de estimação, que prontamente bocejou quando o viu bocejar (se você tem um cachorro em casa, faça o teste e nos diga nos comentários se funcionou!).

A empatia canina, contudo, não se limita a bocejos: eles percebem quando estamos felizes, tristes, preocupados ou feridos, e dão uma resposta coerente, seja abanando o rabo ou se colocando ao nosso lado. Vale lembrar que a capacidade de reconhecer emoções é relativamente rara mesmo entre espécies complexas.

4. Ponto de vista

44
Um estudo publicado em 2009 na revista Behaviour mostrou que, de alguma forma, os cães conseguem entender que o que nós enxergamos é diferente do que eles enxergam. Para avaliar esse fenômeno, os pesquisadores colocaram um cachorro e uma pessoa em lados opostos de uma sala e, ao centro, dois brinquedos idênticos. Um dos brinquedos estava separado da pessoa por uma barreira opaca e o outro, por uma barreira transparente. Quando a pessoa ordenou que o cachorro levasse o brinquedo até ela (sem apontar ou dar qualquer indício de qual brinquedo estava falando), ele escolheu o que a pessoa era capaz de ver. Isso se repetia a menos que a pessoa estivesse de costas – nesse caso, o cachorro escolhia o brinquedo aleatoriamente.

Por entender essa diferença de pontos de vista, muitos cachorros seguem instruções como “não coma isso!” ou “não faça aquilo!” apenas quando seus donos estão olhando – assim, se você não quer que ele roube aquela fatia de bacon que está sobre a mesa da cozinha, é bom manter a vigilância.

3. Reconhecimento de opinião

33
De modo geral, cachorros de estimação gostariam de comer o mesmo alimento que seus donos, não apenas porque parece mais saboroso, mas porque, se o dono gosta, o cachorro imagina que esse alimento é bom.

Essa influência ficou evidente em diversos estudos, em que os animais deram preferência a alimentos escolhidos por seus donos mesmo quando havia porções maiores à disposição.

2. Apontar

22
Se pensarmos bem, olhar para um objeto para o qual outra pessoa está apontando (ao invés de olhar para a mão dela) não é algo tão óbvio quanto parece – e mesmo assim cachorros conseguem entender o gesto, algo que nenhuma outra espécie (além da humana) é capaz de fazer. Isso vale não apenas para o gesto de apontar, mas também para o de prestar atenção em algo.

Supostamente, isso é outra consequência da seleção natural e uma soma das outras características citadas acima.

1. Ciúme

11
Se você tem dois cachorros e der mais atenção ou carinho para um deles, o outro eventualmente vai sentir ciúme, e pode até mesmo se tornar agressivo e estressado. Essa busca por atenção pode chegar ao ponto de fazer com que uma mãe ataque seus filhotes, se sentir que está sendo deixada de lado por seu dono.

Vale lembrar que sentimentos como ciúme ou culpa exigem uma certa autoconsciência (mais um atributo raro no mundo animal, até onde sabemos).

Você tem cachorro(s) em casa? Já presenciou algum dos comportamentos citados nessa lista? Conte para a gente! [Cracked]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 5,00 de 5)

25 comentários

  • Lilian Almeida:

    Gostei da matéria. Eu tenho dois cães, e estou com problemas com a poodle que está com ciumes de mim e ataca o shit zhu o tempo todo.

  • Ana Flávia Maria de Oliveira:

    nunca tive cachorro… mas eu queria ter um :'(

    • Claudio Siega:

      Adote um cão de rua 😀
      A menos q vc tenha algum problema de saúde que impeça ou more em local que ñ aceite animais, aí ñ da 🙁

  • sergio_panceri:

    De fato, já presenciei todos, rsrs
    O ultimo(5) mês passado quando tivemos que cuidar da cachorra da minha tia.

    Só tenho uma pergunta que eu gostaria de compartilhar com os demais; é normal o cachorro gesticular com a pata e as vezes até “puxar” a mão da gente com a pata quando quer algo?

    Ao ler a matéria senti como se que quem quisesse “apontar alguma coisa” pra mim era justamente ele… rsrs

    No demais, excelente artigo!

    • chrishikari:

      Meu faz isso direto, pede para subir na cama puxando a mão, pede para beber suco puxando batendo no copo com a pata.

  • Laura Zerra:

    Poderiam ter falado sobre a capacidsades deles caucularem o momento certo em que você vai chegar em casa. Eu tinha uma cadela que sempre mais ou menos 1 hora antes de eu chegar do colégio ela ficava no portão esperando eu chegar.

    • pmahrs:

      Eu vi uma experiência assim nos EUA, filmara a dona e seu cão simultaneamente; o cão ficou em casa e a dona foi com repórteres ao shopping e ficaram lá comprando e vendo. No momento que decidiram “vamos embora” O cachorro teve uma reação diferente no mesmo momento ergueu a orelha e veio à porta observar. Não estranho muito. Pois cientistas dizem que partículas se modificadas outra tem a mesma reação não importa distância ou obstáculos. (Teoria das cordas)

    • Rafael Carvalho:

      Já eu, vi uma experiência prática, mesmo. A cadela costumava brincar com meu pai, inclusive, com as palhas que caía da enorme seringueira que havia na época no quintal e, uns 30 segundos antes do meu pai aparecer virando a esquina da volta ao trabalho, isso há uns 300m e sem possibilidade de campo de visão, surpreendentemente ela já sabia que ele estava chegando!

      Ora, se não é a visão o sentido que faria ela adivinhar a chegada, e nem o horário para coincidir assim, seria o olfato em uma distância tão grande, e por onde passa tantas pessoas? Duvido. Acredito mais em um outro sentido, que lhe é entregue na mente por uma conexão empática!

      Essa esperta cachorra que aguardava diariamente o dono chegar, de repente, deixou de vê-lo. Meu pai justamente passou mal no trabalho e, após alguns dias no hospital faleceu. Evidentemente, ela demonstrou sinal de tristeza, mas seguiu seu caminho por mais alguns anos, e nós seguimos o nosso.

  • Tiago Mazzini:

    Eu odeio cachorro ciumento.
    O que fazer pra ele parar de atacar as pessoas por conta disso? 🙁

  • corsario:

    Os meus são umas figuras: o Max, se estou assistindo jogo e começo a xingar a tv, ele meio que chora e abana o rabo – fim de jogo para mim eheh; a Cristal, é ciumenta e nem minha esposa consegue tirar ela do colo. Vive dormindo. E eles fazem os itens da reportagem.

  • pmahrs:

    Não tenho horário certo de levar meu cachorro passear, mas na hora que estou disposto a levar ele já começa a me seguir e minutos antes ele fica eufórico. Estou tentando, mas até agora não descobrir qual é o sinal que ele percebe na minha linguagem corporal. Ainda não descartei a possibilidade de ser um sinal mental.

  • Larissa C:

    Que legal! Já tinha percebido que meu cachorro olha imediatamente para o lugar quando eu aponto.

  • Klebia Caffé:

    Minha poodle é bem inteligente. Fiz o teste do bocejo e deu certo. O de apontar também. Ela adora comer o que eu estou comento e está com muito ciumes com a chegada do maylon, um mestiço de pittbull que eu adotei… Amo meus cachorros!!!

  • Victor Sousa:

    Meu cachorro se mata de ciúme pelo meu padrinho kkkk é uma piada,minha sobrinha nao pode brincar com meu padrinho que o cachorro fica doido !

  • carlos pereira:

    O do ciúme , por exemplo, é bem nítido aqui em casa, os dois yorks um toma conta do outro (chegaram bem primeiro) e não gostam do Golden de quase dois anos que chegou depois. E qdo vou brincar com os dois pequenos um que mais atenção.

  • Rafael Carvalho:

    É um animal incrível, realmente…

  • Josimar Reis:

    A Belinha fica inquieta quando estamos comendo comendo algo e não damos o mesmo para ela comer. Algumas vezes para a felicidade eufórica dela, damos a mesma refeição para ela.

  • engvictorh_10:

    Nossa! Todos os itens na matéria realmente aconteceram lá em casa!
    Mas agora preciso faze-los em forma de teste!

    Ótima matéria!

  • serico115:

    E se em vez de perdermos tempo a aplicar estas técnicas a cães as utilizássemos com os políticos?
    Talvez eles pudessem entender melhor a revolta de quem tem de sofre as políticas implementadas por eles…

    • Thiago da Costa:

      Nossa cara, que legal sua piada

    • lucianosuzana:

      para um pouco de falar bobagens e leia a matéria! o que isso tem a ver com políticos??? fica aí de mimimi nos comentários… vai dormir cara.

    • pmahrs:

      Na verdade a maioria é adestrada pelos políticos e pior; alguns são adestrados a terem complexo de vira-latas.

  • Jean:

    Tenho uma cadelinha vira-lata com 13 anos de idade que sempre respondeu perfeitamente ao estimulo de apontar que costumo fazer. Ao jogar algo (comida, brinquedo) que ela não vê, o simples ato de apontar faz com que ela olhe na direção do dedo e perceba que realizei algo que a interessa.

  • Samuel Locatelli:

    Eu tentei fazer o teste do bocejo com os meus 2 cachorros, mas quando chamei um, logo o outro veio correndo e começou uma disputa por atenção impossibilitando o teste hahaha

  • Guilherme Carbonetti:

    Os do bocejo e do ciúme eu já presenciei, mas minha cachorra nao entende muito sobre apontar não haha

Deixe seu comentário!