A linha do tempo do universo

Por , em 27.11.2012

O que você sabe sobre a história do universo?

Conheça a linha do tempo do mundo em que vivemos, desde o passado mais remoto até o futuro mais remoto ainda:

O Big Bang

O universo passa por uma “inflação” super-rápida, expandindo do tamanho de um átomo para o tamanho de uma laranja em uma fração minúscula de tempo (10^-43 segundos). É o chamado “Tempo de Planck” ou “Era de Planck”. A matéria só pode ser descrita segundo as leis da Mecânica Quântica, mas o universo tem que ser descrito pela Teoria da Relatividade, por causa da extrema densidade e gravidade. Não dá para definir “antes” e “depois” sem ambiguidades. As noções tradicionais de “espaço” e “tempo” não servem para descrever a realidade.

Quarks e Elétrons

O universo é muito quente para que os quarks se combinem. Esta “sopa” de quarks, elétrons e outras partículas existe nos primeiros 10^-32 segundos. A temperatura do universo está em torno de 10^27 graus Celsius.

Prótons e Nêutrons

Um milionésimo de segundo depois do Big Bang, o universo resfria rapidamente, e os quarks começam a se combinar em prótons e nêutrons. As interações fundamentais da gravitação, o eletromagnetismo e as forças nucleares forte e fraca tomam a forma que têm hoje.

Os três primeiros minutos

Nos três primeiros minutos, o universo ainda é quente demais para formar átomos. Os elementos que existem – hidrogênio, hélio e lítio – estão ionizados (sem elétrons), e as partículas carregadas – elétrons e prótons – impedem que a luz brilhe: o universo é um nevoeiro superquente.

A era da matéria

Até cerca de 300.000 anos depois do Big Bang, a energia na matéria e a energia na radiação são iguais. Conforme a expansão prossegue, as ondas de luz são esticadas para energias cada vez menores, enquanto a matéria viaja praticamente sem ser afetada. Mais ou menos nesta época, os átomos neutros são formados, quando os elétrons se ligam com os núcleos de hidrogênio e hélio.

A radiação cósmica de fundo reflete esta época, e nos dá uma imagem da distribuição da matéria neste tempo.

A Via Láctea


É muito difícil definir a idade da Via Láctea, mas a estrela mais velha descoberta na galáxia, HE 1523-0901, tem cerca de 13,2 bilhões de anos. Ela se formou cerca de 0,5 bilhões de anos depois do Big Bang.

300 milhões de anos depois do Big Bang, a gravidade amplifica as pequenas irregularidades na densidade do gás primordial. Enquanto o universo expande, bolsões de gás se tornam mais e mais densos. As estrelas começam a queimar nestes bolsões, e grupos de estrelas se tornam as primeiras galáxias. São os pequenos pontos azuis no Campo Profundo do Hubble.

O sol

O sol é a estrela no centro do nosso sistema solar. Todos os planetas (incluindo a Terra), asteroides, meteoroides, cometas e poeira orbitam o sol. O sol foi formado cerca de 4,57 bilhões de anos atrás, quando uma nuvem de hidrogênio molecular entrou em colapso em um dos braços espirais da Via Láctea. Um disco imenso de gás e detritos que gira em torno da nova estrela dá origem aos planetas, luas e asteroides.

A Terra

A Terra, também conhecida como Planeta Azul, é o lar de milhões de espécies, incluindo a espécie humana. A Terra é o único lugar do universo que sabemos ter vida. Os primeiros organismos vivos povoaram o planeta cerca de 3,5 bilhões de anos atrás.

Animais primitivos

700 milhões de anos atrás, surgiram os primeiros animais. A maioria era vermes, águas-vivas e algas. 570 milhões de anos atrás, um grande número de criaturas com casca dura aparece em poucas centenas de milhares de anos.

O primeiro mamífero

Há cerca de 200 milhões de anos aparecem os primeiros mamíferos, uma espécie que se separa dos répteis, apresentando mandíbula segmentada e uma série de ossos que fazem o ouvido interno.

Os dinossauros desaparecem

Um asteroide ou cometa atinge o norte da Península do Yucatán, no México. Um cataclismo global acaba com a longa era dos dinossauros, dando aos mamíferos uma oportunidade para se diversificar e expandir seu domínio.

Evolução do Homo sapiens

Nossos ancestrais mais antigos evoluíram na África, a partir de uma linhagem de criaturas descendentes de macacos.

Supernova 1987A explode

170.000 anos atrás, uma estrela explode em uma galáxia anã conhecida como Grande Nuvem de Magalhães, logo ao lado da Via Láctea. Era uma supergigante azul 25 vezes mais massiva que o Sol.

Gigante Vermelha

O sol não tem massa suficiente para explodir como supernova. Em vez disso, em cerca de 5 bilhões de anos ele vai entrar na fase de gigante vermelha. Nesta fase, o sol vai lentamente esfriar e desvanecer em uma Anã Branca depois de bilhões de anos.

É nesta época que a colisão da Via Láctea com Andrômeda vai acontecer.

Fim da Era Estelar

100 trilhões de anos no futuro, o universo deve expandir tanto a ponto de por um fim à era estelar. A maior parte da energia gerada no universo virá de estrelas queimando hidrogênio e outros elementos em seus núcleos.

Era Degenerada

De 100 trilhões a 10 trilhões de trilhões de trilhões de anos após o Big Bang (10^37 anos), toda a matéria deve estar presa em estrelas degeneradas (as que entraram em colapso e se tornaram buracos negros ou estrelas de nêutrons, ou então em anãs brancas). A energia desta era será gerada pelo decaimento dos prótons e a aniquilação de partículas.

Início da Era dos Buracos Negros

Esta era se estenderá até os 10 mil trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de anos depois do Big Bang (10^100 anos). Depois da era do decaimento dos prótons, os únicos objetos estelares restantes serão buracos negros, de massas bem diferentes, que estarão evaporando ativamente.

Era escura

Os prótons decaíram, os buracos negros evaporaram. Só sobraram os restos destes processos: fótons com comprimento de onda colossal, neutrinos, elétrons e pósitrons. O universo, como conhecemos, foi dissipado.[PBS, en.Wikipedia, en.Wikipedia 2, Gemini, Facebook]

“Hoje, estamos bem no início do tempo da raça humana, é normal que tenhamos problemas. Mas existem dezenas de milhares de anos no futuro. Nossa responsabilidade é fazer o que podemos, aprender o que podemos, aperfeiçoar as soluções, e passá-las adiante” Richard Feynman

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,63 de 5)

12 comentários

  • Eduardo Araújo:

    Com relação ao segundo item desta linha do tempo, “Quarks e Elétrons”, cabe ressaltar que o mais importante foi esquecido: a aniquilação das partículas/anti-partículas.
    Segundo cálculos atuais havia uma equivalência entre estas particulas no momento do BB, resultando em zero, pois se nada existia antes e a equação deve se manter equilibrada, o total das partícula e anti-partículas criadas deve ser o mesmo. Assim, deveria ter ocorrido a aniquilação total e consequente conversão em energia.
    Como então o nosso universo atual parece ser predominantemente matéria em face da anti-matéria?
    Alguns alegam que no momento da criação houve um pequeno desequilíbrio, formando um “pouquinho” mais de matéria, na casa dos trilhonésimos de percentual, porém sem explicar o como e o porquê. Pesquisas recentes parecem indicar algo diferente: por meio de medições no Grande Colisor de Hadrons há indicações de que a anti-matéria tem uma taxa de decaimento ligeiramente superior a da máteria, o que levou a esta “não aniquilação total”.

  • Eduardo Araújo:

    Einstein pode estar errado? Não !!!
    Einstein não pode estar errado pois já morreu e os mortos não cometem mais erros.
    Einstein poderia estar errado? Sim, e já admitiu seu erro: Quando as contas da teoria da relatividade não fechavam o jeito foi inventar uma “Constante Cosmológica”.
    Anos depois do público pedido de desculpa se comprovou que seu erro foi seu maior acerto: Sua matemática estava tão certa que previu a expansão acelerada do universo antes do conhecimento do efeito “Red Shift”.
    Assim, mesmo quando Einstein errou ele acertou!
    Quanto ao astrônomo dinamarquês Willem de Sitter, ele baseou suas observações na carta a Einstein na termodinâmica, o que já “matematicamente” é descabido pois as medições da intensidade do campo de fundo da radiação de micro-ondas é uniforme em todo o universo pois no início do universo as 4 forças fundamentais ainda estavam unificadas criando a possibilidade do período de Inflação, distribuindo-se assim a matéria e a energia de forma homogênea pelo Universo.

    Agora, com relação a “Defender o Grande Mestre contra uma afronta” é fala de filme B de Kung-Fu Shaoling, Made in Hong Kong, da década de 1970.
    Como diria o “grande mestre Cebolinha”: “Pola, que bola fola!”
    O verdadeiro homem da ciência deve saber que não se pode defender o que está errado só porque seu ego ou orgulho assim o dita.
    Se Einstein tiver errado e alguém demonstrar “o onde e como” serei o primeiro a adotar o novo conhecimento. Mas também a era onde quem discordava dos DOGMAS IMPOSTOS como verdade pelos “grandes mestres” era queimado ou convidado a beber um chazinho de cicuta já passou ! Ou não ?
    Logo todos podem DISCORDAR, mas para eu CONCORDAR: “GIVE-ME THE MATH”.

    • Eduardo Araújo:

      “GIVE ME THE MATH”.(arg!)
      É nisto que dá tentar ser um poliglota tupiniquim…

  • Alberto Campos:

    Einstein pode estar errado? Pode sim e se isto acontecer será um desastre. Alem de Cesar Lattes e outros serem contra, existe na internet vários artigos contra ele. Segundo “O astrônomo dinamarquês Willem de Sitter que analisou a relatividade geral e enviou a Einstein um relato detalhado, em que resumia o problema e propunha uma solução radical: a relatividade geral funcionaria apenas se todo o universo estivesse explodindo em todas as direções a partir de um ponto central”. “Se não aconteceu o big bang e se o universo não se expande, tudo terá que ser repensado”. Portanto negar o big bang é uma afronta ao grande mestre e será combatido ao máximo.

    • matheus barreto:

      Einstein a cima de qualquer pessoa seria o primeiro a postular qualquer erro sobre sua teoria! Se ele vice que tem fundamentos! Sua paixão não era pela ciência e tão pouco pelas diminutas idéias que ele levou uma vida inteira para desenvolver, ele só tinha uma vontade sincera de conhecer a verdade!”quero conhecer as idéias de Deus de forma matemática” ele disse! E outra coisa nada para nada mais serve as ciências do que para deixar a nossa estadia nesse planeta mais agradável e sustentável! Do que adianta sermos tão avançados e ficar brigando como um macaco? Do que adianta ter a tecnologia para mudar o mundo e criar armas de guerra?! Do que adianta ter a internet e ficar o dia todo no facebook?! Quando eu vejo todos os nossos conflitos religiosos,judiciais e territoriais eu paro por um estante e imagino todo o universo, e um pensamento passa pela minha cabeça; somos o nada! Comparados ao sol um grão de poeira, mesmo assim foi imensamente difícil a evolução desse sistema para que a vida seja sustentada! Estamos a qui as vezes por mera sorte e ai sem nem perceber isso nos matamos criamos infernos que abrem seus portais sobre pessoas criamos o céu que abre seus portais sobre as pessoas ricas e esnobes! E depois da morte só resta o seu nome!

  • Joaquim Guedes Batista:

    Agente lêr e lêr pensa que entendeu, rir e rir, sem mesmo saber porque, na verdade, tudo deve ser uma grande piada. Estudar as hipóteses, as possíveis datas do universo é uma grande tolice, devemos estudar as possibilidades de fazer uma vida humana mais saudavel, uma uniformidade mas justa. Na verdade, nós não temos princípio lógico, porque de nada temos certesa, apenas imaginamos, por um fato comparativo, onde tudo pode ser alterado, onde o frio e o calor modificam as formações, tudo isso depende dos diferenciais de cada lugar, conheço profundamente a ciência, a forma que propagam o tempo, é imaginatória e nesta base, afirmam certos conceitos descobertos, não por pura ciência, mas por coicidência, na maioria delas.

  • Alberto Campos:

    Se você se apoiar na teoria do big bang para entender o universo, vai ficar com muitas duvidas. Veja tambem uma nova teoria sem o big bang, como: “Olhando o Universo” e poderá tirar suas conclusões. É uma teoria muito lógica, facil de entender e muito simples.

  • Rone Firmino:

    É um exercicio estratosférico de satisfação do égo o fato de alguns cientistas proporem isso. Quanto mais se gabando de que isso tudo aconteceu e vai acontecer sem que um Criador se tenha revelado ou se revele… Esse papo de dizer que isso tudo já aconteceu infinitas vezes subentende a idéia da “crença ” em multiplos universos. Todas, ideias pra fugir de Um Criador original. É claro que é preciso Fé tambem em um Criador que não teve principio. Isto esta alem da nossa compreenssão. Parece até ilógico, mas é bem menos. que acreditar em um Universo sem Criador. Uma aletoriedade quase infinita de interações entre energia e matéria que resultam no nada original.

  • Renys de Andrade:

    Tudo isso já aconteceu infinitas vezes.
    No espaço-tempo tudo já aconteceu, todos os eventos já aconteceram e vão continuar acontecendo infinitas vezes de diferentes formas.

  • MTulio:

    Espero viver para ver tudo isso acontecer!

    • Renys de Andrade:

      Não sei bem o que é a vida, mas que em diferentes partes do universo em que tivermos nascidos conforme morremos, independente se alma ou consciência, ou se somos observadores eternos; não sei. Parece injusto viver tão pouco para não nos impressionar com as façanhas que nosso universo pode proporcionar.

  • Henrique Franchi:

    A série/documentário Wonders of the Universe, da BBC, trata desse e de outros temas relacionados.
    :3

Deixe seu comentário!