Adolescente do tempo atual usa walkman de 20 anos atrás

Por , em 29.06.2009

Quando o Walkman Sony foi lançado há 30 anos e iniciou uma revolução na música portátil. Mas como isso pode ser comparado com seus sucessores digitais? Scott Campbell, de 13 anos, foi convidado a trocar seu iPod por um Walkman por uma semana. Confira o relato do garoto:

“Meu pai tinha me falado que era o iPod da época dele. Me disse que era grande, mas não tinha ideia de quanto: é do tamanho de um livro pequeno. Além disso, diferente dos aparelhos modernos, que vêm em todo tipo de cor, ele era cinza. Não é exatamente a escolha mais esteticamente agradável.

De um ponto de vista prático, ele é meio complicado: não cabe nos bolsos, e, se você prendê-lo na calça, o peso do Walkman é suficiente para baixar suas calças. Quando entrei no ônibus escolar, fui recebido com risos. Alguns diziam que ninguém mais usa isso, e outros achavam legal.

Levei três dias para descobrir que a fita tinha outro lado. Outra diferença notável entre o iPod e o Walkman é que ele não tem a função de “shuffle”, em que o aparelho escolhe faixas aleatórias para tocar. Consegui fazer um shuffle improvisado segurando o botão “rewind” e soltando aleatoriamente – eficiente, mas um pouco trabalhoso. Contei ao meu pai a minha ideia, e, segundo ele, “Walkmans comem fitas”. Descobri que ficar apertando botões desastradamente poderia ter me deixado sem música pelo resto do dia.

Comparando gerações

Para os leitores curiosos com as questões técnicas, comparei o tocador de fitas com o seu sucessor mais moderno. Aqui estão alguns fatores contra o Walkman, e até algo a favor, que descobri neste pedaço antigo de tecnologia.

Som: Isso é o que mais importa. Quando está tocando, é evidente que a música fica muito diferente no Walkman e no MP3 player, principalmente porque a fita tem barulhos no fundo. Os barulhos provavelmente acontecem por causa da vida absurdamente curta da bateria: ela está quase acabada depois de três horas funcionando.

Conveniência: Com a grande quantidade de players de MP3 no mercado, cada um com mais e melhores características, é até difícil imaginar comprar e usar um enorme tocador de fitas no lugar disso. Além disso, a necessidade de trocar de fitas é tediosa, no mínimo. As fitas têm umas 12 faixas cada uma, uma fração da capacidade do menor iPod.

Walkman 1, Mp3 player 0: O Walkman tem duas entradas para fones de ouvido, o que significa que, não importa quanta pouca música eu tenha, eu posso compartilhar com amigos. Para fazer o mesmo em um iPod, é preciso comprar um adaptador especial. Outra coisa útil é a entrada para tomada do Walkman, para que você possa conectá-lo quando não está se mexendo. Mas considerando a pequena vida da bateria, acho que isso era mais uma necessidade do que uma função extra”. [BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • Marcos:

    Excelente experiência !
    Poderiam também fazer com a TV preto e branco, com o telefone a disco e com brinquedos ‘de verdade’ …
    Muito bom o relato do Scott !
    Abraços

  • Bravo Neto:

    Fazer o quê!!! A tecnologia avançou e deixou-nos para atrás. Nosso querido walkman incomparável na altura, virou “peça de museu” mas com muita honra claro, apezar das fitas que por vezes “mastigava” e adeus música querida, sinto muitas saudades do meu Sony. Hoje tenho música MP3 em maior quantidade no meu Celfone e sinceramente estou melhor servido, muita coisa em um só aparelho que tem quase um terço do tamanho do walkman.

  • Eduardo Luiz:

    Eu tenho minhas fitas cassette – mais de 300 e tenho ainda 9 tape-decks e quando se grava com qualidade, o som é puro e sem ruidos de fundo. Para isso uso o Dolby para gravar. Os iPod são realmente muito bons mas muito mais vulneráveis que as fitas. Tenho fitas gravadas em 1975 que estão perfeitas. Quem quiser vender suas fitas, eu compro…
    Abração
    Eduardo

Deixe seu comentário!