Descobertas estrelas com fragmentos de planetas extintos que podem ser a visão do futuro do Sistema Solar

Por , em 14.05.2013

Uma equipe de pesquisadores liderada por Jay Farihi, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, descobriu duas estrelas mortas, localizadas a 150 anos-luz da Terra, contaminadas com detritos que podem formar novos mundos. O material pode ser sido capturado de planetas extintos. “Nós identificamos evidências químicas para os blocos de construção dos planetas rochosos”, disse Farihi.

A descoberta foi feita através do Telescópio Espacial Hubble, da NASA/ESA. Os cientistas estudaram duas estrelas anãs brancas mortas no aglomerado de Hyades, um agrupamento de estrelas com 625 milhões de anos de idade, na constelação de Touro. Eles buscaram sinais de formação de planetas neste tipo de estrelas, e Farihi afirma: “Quando essas estrelas nasceram, elas construíram os planetas, e há uma boa chance de que atualmente elas retenham alguns fragmentos. O material que estamos vendo é uma prova disso”.

“Normalmente, as anãs brancas são como pedaços de papel em branco, contendo apenas elementos leves, como hidrogênio e hélio”, explica o pesquisador. Ele ainda ressalta que as atmosferas das anãs brancas são normalmente bastante “limpas”, com elementos mais pesados aglomerados no núcleo.

O que eles descobriram com as observações do Hubble é que o silício – elemento de bastante destaque no material rochoso que formou a Terra – foi encontrado na atmosfera de duas anãs brancas. “O silício pode ter vindo de asteroides que foram fragmentados pela gravidade das anãs brancas, quando passou muito perto das estrelas mortas”, acrescenta Fahiri.

Os pesquisadores também identificaram baixos níveis de carbono, que ajuda a determinar as propriedades e origem de fragmentos planetários, e geralmente está esgotado ou ausente em material parecido com a Terra.

O material pode ser proveniente dos restos de planetas rochosos que se formaram quando essas estrelas nasceram. Após as estrelas reduzirem-se em anãs brancas, elas podem ter capturado de volta parte desses detritos, os mantendo em órbita ou fazendo-os colidir com sua atmosfera, uma vez que sua força gravitacional se tornou maior.

A nova descoberta sugere que a formação de planetas em aglomerados estelares pode ser mais comum do que se acreditava anteriormente, por isso a equipe de Fahiri pretende analisar mais anãs brancas mais usando a mesma técnica.[MailOnline]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

8 comentários

  • Chilli:

    Jonatas seu comentário foi perfeito! Obrigado.

  • WalterZ:

    Caros.

    Se alguém defende algo “cegamente” este alguém não é um cientista. Mesmo que este algo seja a Teoria da Evolução das Espécies ou Teoria da Relatividade. Embora eu considere, pelas observações realizadas, que a Teoria da Evolução das Espécies é o que melhor explica a diversidade de vida na Terra, se surgir um FATO CIENTIFICAMENTE COMPROVÁVEL que esta teoria não é verdadeira, aceitarei isso com naturalidade. Mas até hoje não vi nenhum FATO que invalide esta teoria, por isso “acredito nela” mas jamais CEGAMENTE.

    Assim deve ser a ciência. Ser cientista significa ter a humildade de reconhecer que podemos errar, ter a grandeza de mudar de ideia e a persistência de SEMPRE buscar a verdade, mesmo quando ela nos desfavoreça. Os cientistas só devem lealdade aos fatos que podem ser comprovados.

    Já as ideologias (e, ao meu ver, as religiões também são ideologias), tem o seu valor, mas não no campo científico. A o contrário da ciência que busca a verdade as ideologias buscam a DEFESA de ideias.

    Quem defende uma ideologias segue uma lógica parecida com um juri popular. Não importa o crime que o réu cometeu nem mesmo SE ele cometeu algum crime. O advogado de acusação vai tentar de TODAS AS FORMAS POSSÍVEIS conseguir a pena máxima e advogado de defesa vai tentar de TODAS AS FORMAS POSSÍVEIS inocenta-lo.

    Assim, eu aceito de muito bom grado debater ARGUMENTOS BASEADOS EM FATOS CIENTÍFICAMENTE COMPROVÁVEIS que validem ou invalidem qualquer teoria científica, inclusive a Teoria da Evolução das Espécies. Aliás é para isso que estou neste site.

    Mas não entro em discussões ideológicas, políticas, religiosas ou filosóficas. Primeiro porque preciso respeitar quem vem aqui em busca do que o site se propõe (este não é um site religioso, ideológico, político, sociológico) e segundo porque este tipo de discussão, aqui neste site via de regra não leva a absolutamente nada.

  • grasisuperstar:

    Nossa….desculpa ai amigo não resisti a brincadeirinha..lógico que você pode acreditar em que quiser assim como eu. Só que vocês os ateus não aceitam questionamentos nenhum quanto se trata das teorias transformistas de Darwin e isso é chato pois sabemos que ele não explica é nada e a maioria de suas teorias não passam de …teorias. Mas andei visitando o seu blog e gostei muito… recomendo.

  • grasisuperstar:

    Esse Telescópio Espacial Hubble, descobre cada coisa da gente ficar de boca aberta…e tem gente que não acredita em Deus hein Jonatas?????????????

    • Jonatas:

      Esse é o tipo de comentário desnecessário, mas vou responder já que fui diretamente citado, e minha cara comentarista deve conhecer meu histórico pra saber que sou ateu.

      Pobreza, miséria, doenças, violência, inocentes sofrendo
      1 – Teístas vêem como pecados nossos, ou como algo que deus compensará aos que merecem, e mais outras explicações da mitologia judaico-cristã;
      2 – Antiteístas vêem como prova de que deus não existe ou de seu descaso conosco.
      3 – Ateus, mais lógicos, geralmente são indiferentes na questão teísta-antiteísta, apenas focam que é um problema social que precisa ser resolvido.

      Perfeições e simetrias da Natureza *Terra e Universo:
      1 – Teístas vêem como as maravilhas da criação pra vivermos bem.
      2 – Antiteístas apontam como a prova da não necessidade de atividade divina;
      3 – Ateus mais indiferentes dessa queda-de-braço apenas notam uma natureza auto funcional, cíclica, se sustenta por si só, sem necessidade de gerenciamento sobrenatural.

      Ser ateu não é ser antiteísta, é só procurar ver e entender as coisas como elas são, completamente indiferente dessas discussões inúteis teístaxantiteísta porque isso não interessa nenhum pouco ao conhecimento científico.

      Isso que você está querendo fazer com esse comentário provocativo ou no mínimo ingênuo, que ateus militantes e crentes militantes fazem é aquilo que defino por duas frases prontas:
      a) O pior argumento.
      b) A maior perda de tempo de pensamento.
      Assim como todo o tipo de militância – militância é sempre a favor de uma opinião, e nunca a favor do conhecimento – exatamente como a militância política, horrível.

      E apropósito, não me defina como “quem não acredita em deus” , pois o não acreditar em algo não implica que isso não existe: não acredito na democracia, mas ela existe. Ateu Eu “não acredito na existência divina” – não pertenço a essess grupos idiotas e militantes.
      Idiotas por querem convencer os outros de verdades que NÃO SÃO SUAS – deus existe ou deus não existe – nenhuma das opções é sabida da humanidade, simples assim – não quero, não posso e não vou convencer ninguém da minha opinião, você é que forma a sua, e se sentirá bem assim.
      Eu já montei a minha, e digo o que coloco no ítem 3 de cada lista numérica desse post: existência divina não sei, apenas não acredito, de acordo com meu conhecimento e minha experiência de vida montei a minha opinião.
      Monte a sua, pra você se quiser, mas por favor, não tente me convencer, ainda com argumentos tão fracos quanto o seu comentário, não tente convencer ninguém – toda militância, toda tentativa de convencer alguém de algo que não se sabe, é sumariamente um ato tolo.

  • Jonatas:

    Anãs Brancas no Aglomerado das Hyades, que tem apenas 625 milhões de anos de idade, não faz muito sentido porque o tempo de vida das estrelas que geram Anãs Brancas é maior – o Sol tem 5 bilhões de anos e só será anã branca em no mínimo mais seis bilhões. Estelas mais massivas que vivem menos que 600 milhões não costumam deixar anãs brancas – elas explodem e se o núcleo resistir, tornar-se-á uma Estrela de Neutrons ou um Buraco Negro.
    Se há anãs brancas nesse enxame, elas não devem ser de estrelas que aí nasceram, são intrusas ou algo assim. Outra coisa, Hyades é um aglomerado Aberto – as estrelas se dispersam e esses aglomerados duram pouco tempo – o próprio Sol pode ter feito parte de algum, hoje é solitário. Anãs Brancas só deveriam ocorrer em Enxames quando são Globulares, concentrações densas de estrelas que ficam juntas para sempre, onde é comum gigantes vermelhas e carcaças de estrelas mortas.

    • WalterZ:

      Show!
      Muito bem observado.
      De qualquer forma, mesmo que fossem anãs brancas intrusas, o fato de ter algum material rochoso na sua volta, não é prova que este material tenha vindo de “antigos” planetas rochosos despedaçados, embora esta seja uma hipótese.

  • Falcone Big:

    Viu, problemas de poluição não são causados só por seres-humanos! rss

Deixe seu comentário!