Essa foi a coisa mais esquisita que já aconteceu com a atmosfera da Terra

Por , em 11.05.2016
Um fluxo de lava do rio Beasley

Um fluxo de lava do rio Beasley

A atmosfera da Terra não foi sempre a mesma. Desde que os primeiros organismos unicelulares evoluíram, a vida tem a transformado constantemente.

Mas poucos casos de terraformação atmosférica se comparam com o que aconteceu 2,7 bilhões de anos atrás, quando a pressão do ar caiu para menos de metade do seu valor atual.

O que poderia ter causado tal despressurização a nível global? De acordo com uma nova hipótese, micróbios que se alimentavam de nitrogênio.

Passado confuso

Os cientistas acreditam que nosso planeta teve uma atmosfera muito mais espessa no passado. Esta hipótese vem da observação de que a Terra já tinha oceanos líquidos quatro bilhões de anos atrás, quando o sol era apenas 70% tão luminoso quanto é hoje. Para compensar o sol mais fraco, gases de efeito estufa poderiam ter impedido que o planeta congelasse.

Mas a antiga Terra era também um lugar volátil, sujeito a mudanças bruscas na química da atmosfera. Uma nova pesquisa liderada por Sanjoy Som da Universidade de Washington (EUA) indica que, em um ponto da nossa história, o planeta teve muito menos ar, graças a um grande evento biológico.

O artigo foi publicado na revista Nature Geoscience.

A descoberta

Som e seus colegas fizeram uma análise de bolhas de ar presas dentro de um fluxo de lava de 2,7 bilhões de anos, encontrado no rio Beasley, na Austrália Ocidental.

Usando exames de raios-X de alta precisão, a equipe foi capaz de medir uma diminuição no tamanho das bolhas de ar entre a parte superior e inferior da camada de lava. Esta mudança de tamanho corresponde à pressão exercida pela atmosfera da Terra primitiva, conforme a lava esfriava.

A análise revelou que a pressão atmosférica 2,7 bilhões de anos atrás era, no máximo, apenas metade do seu valor presente, um resultado que não combina com nossa compreensão da Terra durante o período Arqueano.

Agora, os cientistas têm de descobrir o que isso significa. Se o resultado for corroborado por outras evidências geológicas, sugere que algo dramático ocorreu cerca de três bilhões de anos atrás para reduzir o tamanho da nossa atmosfera.

Palpite

Outra evidência geoquímica sugere que, cerca de 3,2 bilhões de anos atrás, as bactérias desenvolveram mecanismos para transformar o nitrogênio atmosférico (N2 gasoso) em amônia (NH3), uma fórmula biologicamente útil.

Este processo, chamado de fixação de nitrogênio, foi absolutamente essencial para a evolução da vida complexa. Sem ele, as plantas e os animais não teriam nenhuma maneira de acessar o nitrogênio que nossas células precisam para construir proteínas e DNA.

Essencialmente, Som e seus colegas suspeitam que a capacidade das bactérias de retirar nitrogênio da atmosfera fez com que a pressão de ar tivesse uma queda temporária. Poucas centenas de milhões de anos depois, o sistema se recuperou quando outros processos metabólicos começaram a liberar nitrogênio para a atmosfera.

Outros mundos

Os pesquisadores enfatizam que esta é apenas uma hipótese. Mas, se estiver correta, as implicações vão muito além de satisfazer as nossas curiosidades sobre o passado da Terra. Também pode nos ajudar a encontrar vida em outros mundos.

Ao entender melhor quais gases estavam presentes na atmosfera terrestre quando a vida estava começando, temos uma melhor chance de detectar sinais de vida no ar de exoplanetas distantes. [Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!