Bian Lian: a arte chinesa da rápida troca de máscaras

Por , em 17.10.2011

Bian Lian é uma antiga arte dramática chinesa em que os atores trocam de máscara rapidamente durante as apresentações. Como eles fazem isso? Só os artistas sabem, já que essa é a única forma de arte considerada como um segredo nacional.

A habilidade e a rapidez com que os artistas chineses mudam suas belas máscaras deram asas à imaginação da plateia durante séculos. Os artistas graciosamente levantam as mãos, viram a cabeça e balançam os braços todas as vezes que colocam uma nova máscara colorida.

O segredo de como eles conseguem mudar de máscaras de 3 até 20 vezes durante uma única apresentação, sem ninguém perceber o truque, fascina as pessoas desde que a arte começou a ser praticada, durante a dinastia Qing, cerca de 300 anos atrás.

Diz-se que o Bian Lian, na verdade, começou como uma técnica de sobrevivência. Pessoas pintavam seus rostos com desenhos de todos os tipos para assustar os animais selvagens, mas com o passar do tempo isso se tornou uma arte dramática realizada no palco. Outra lenda conta a história de um herói do povo que roubava dos ricos para dar para os pobres, que confundia os guardas que os encurralavam mudando sua aparência – uma versão chinesa de Robin Hood.

Durante os primeiros anos de Lian Bian como uma forma de arte utilizada em espetáculos de ópera de Sichuan, os trocadores de máscaras não eram nem de longe tão qualificados como os de hoje em dia. Eles iam para trás do palco e mudavam suas máscaras, mas como o passar do tempo, as expectativas das pessoas cresceram, e eles foram forçados a melhorar a sua técnica.

Desde o início a arte foi cercada de mistério, já que ninguém revelava os seus segredos. O Bian Lian só era passado de pai para filho ou de mestre para aprendiz, e mulheres não tinham permissão para aprender a arte por medo de que se casassem e passassem o segredo para a outra família.

Mas esse tabu foi quebrado em 1998, quando um certo mestre Peng ensinou 8 alunas a arte da troca de máscaras. Ainda hoje, no entanto, a maioria dos mestres de Bian Lain são homens. A única mulher conhecida é Candy Chong, que aprendeu a arte com seu pai.

Existem dois tipos de Bian Lian: a mudança pequena e a grande mudança. A pequena mudança exige do artista mudar apenas uma parte de sua aparência, como os olhos ou barba, mas é a grande mudança que é a mais impressionante.

Os mestres utilizam três métodos principais para alterar as máscaras: rebocando, pulverizando ou puxando. Para rebocar, eles espalham pasta ou maquiagem em seu rosto e na pulverização eles sopram uma caixa escondida com pó colorido para cobrir o rosto com uma nova cor.

Puxar a máscara é o método mais complicado, mas também é o mais instigante, pois permite que os mestres de Bian Lian mudem de face diversas vezes em uma única apresentação. Os artistas preparam uma série de máscaras em camadas, cada uma ligada à cintura com uma corda. O segredo está na iluminação, que unida com a rapidez do artista, esconde a corda quando a máscara é puxada. Por volta de 1920, artistas usavam camadas de papel oleado em suas máscaras, conseguindo fazer a troca em menos de um segundo.

Embora ainda seja considerado como um segredo bem guardado nacionalmente, a técnica de Lian Bian vazou e agora é realizada em vários países asiáticos. Pessoas que vendem o truque são consideradas traidoras por revelar um dos mais valiosos tesouros culturais da China.

Wang Daozheng, também conhecido como o “Rei do Bian Lian”, disse que em 1987 foi abordado por um ator japonês que lhe ofereceu 50 mil dólares em troca do segredo da arte, mas ele recusou. Por essa razão, ele ficou triste quando foi para o Japão e viu muitos artistas japoneses executando o Bian Lian, porque alguém tinha os vendido o truque.

Ainda assim, mesmo com o antigo conhecimento revelado, é preciso uma grande dose de habilidade para executar a arte dramática com perfeição. [OddityCentral]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • PAULO BOUHID:

    “A única mulher conhecida é Candy Chong, que aprendeu a arte com seu pai.” Não… Juliana Chang é uma ilusionista chinesa que domina perfeitamente essa arte.

  • ALX:

    Não achei graça… Estranho q logo ao ler o titulo vi a palavra Bin Laden, de tanto q falaram nele kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Dubec:

    Gostei bastante de saber, da“magica“

  • eset:

    mal posso ver seus movimentos!

  • Ze da Feira:

    Eu li Bin laden

  • LOL:

    É uma incrível demonstração de habilidade e técnica, mas infelizmente, em todos os tipos de culturas, sempre haverão traidores.

Deixe seu comentário!