Cientistas registram cérebro de homem no exato momento em que ele “viu Deus”

Por , em 17.05.2016

Relatos de casos médicos são uma coleção de coisas incríveis, e, com esquisitices como a mulher que tem alucinações nas quais o rosto das pessoas é transformado em dragões, permitem uma visão momentânea da experiência única de um paciente, ou algum tipo de anomalia médica ainda não explicada.

Recentemente uma equipe de pesquisa israelense relatou como um paciente teve uma intensa experiência religiosa durante um tratamento de epilepsia, que fez com que ele visse e conversasse com Deus. Tudo isso enquanto estava conectado a um escaneador de eletroencefalograma.

O paciente, que tem 46 anos, nunca foi particularmente religioso, apesar de se identificar como Judeu. O que fez com que um “descrente” tivesse uma intensa experiência religiosa na frente de alguns neurocientistas?

Epilepsia do lobo temporal direito, este é o problema que o paciente sofreu durante a vida inteira, um tipo de epilepsia no qual as convulsões e ataques começam no lobo temporal, e causam emoções estranhas, ou fazer velhas memórias serem revividas, ou causam alucinações de vozes, músicas, pessoas, cheiros, ou sabores. Estas experiências duram poucos segundos, ou no máximo alguns minutos.

O tratamento, neste caso, envolvia parar de tomar a medicação anticonvulsiva – drogas que suprimem o disparo rápido e excessivo dos neurônios durante os ataques, e evitam que eles se espalham para outras regiões do cérebro.

Veja o relato dos médicos durante o eletroencefalograma que registrou o cérebro do paciente enquanto ele alucinava estar falando com Deus:

“Enquanto deitado no leito, o paciente subitamente ‘congelou’ e ficou olhando para o teto por vários minutos, declarando mais tarde que sentiu que Deus estava se aproximando dele. Ele então começou a recitar orações calmamente, e procurou seu Kippa (chapéu sem aba cerimonial dos judeus), colocou-o na cabeça, recitando suas orações mais intensamente.

“Então, abruptamente, ele gritou ‘E você é Adonai (nome do Deus Hebreu) o Senhor!’ declarando mais tarde que Deus se revelara a ele, ordenando que ele trouxesse a redenção ao povo de Israel.”

Mesmo depois de tirar os eletrodos, o paciente ficou andando pelo hospital, dizendo a quem quer que ele encontrasse que “Deus me mandou para você”.

E o que o registro da atividade cerebral revela? O relatório aponta um pico de atividade na banda gama baixa (30-40 Hz) no cortex prefrontal esquerdo no momento exato da experiência sobrenatural – o lado oposto do cérebro onde as convulsões se originam. O diagnóstico era que o paciente estava experimentando “delírios religiosos de revelação e zelo missionário no contexto da psicose pós-ictal” (PPI).

E o que é a PPI? Uma complicação severa, mas rara, que pode seguir-se a uma convulsão (daí o “pós-ictal”), normalmente causando alucinações visuais ou auditórias, delírios, paranoias, e às vezes até mesmo agressão. Mas ninguém sabe dizer por que este paciente teve um PPI desta vez, sem nunca ter tido antes, ou por que ela era de natureza religiosa. [ScienceAlert, Neuroskeptic, outro relato]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 5,00 de 5)

11 comentários

  • Kaká Guimarães:

    Ou seja, o mesmo efeito que os “profetas” tiveram no passado, ou seja, delírios e alucinações.

    • Kaká Guimarães:

      Como não havia ciência naqueles tempos esses loucos conseguiram converter milhares e hj chega aos bilhões.

  • Jefferson Viana:

    Ja vi uma teste que eles fazem uma moça ter visões com campos eletromagnéticos no cérebro.

    • Cesar Grossmann:

      Parece que todos os fenômenos psi já foram provocados de alguma forma por neurocientistas. Eles não descartam a existência do fenômeno psi, mas apontam para explicações mais simples, dentro do cérebro da pessoa.

  • Leandro Gomes:

    Pode ter sido uma Teofania.

    • Cesar Grossmann:

      É outro nome para “delírio pós-ictal”?

  • Tibulace:

    Esse, pelo menos,tem a desculpa da epilepsia.Crentes fanáticos acham que veem a Deus, em todo lugar, o tempo todo.A doença deles, é outra!

  • Marcos Leitao:

    Típico de notícia que os crentes adoram, hehe. O cérebro é tão fascinante que prega peças e acabamos nos enganando com certos sentimentos.

    • father mckenzie:

      A maior peça que nosso cérebro prega é a própria realidade.

  • Douglas Wilson:

    Deus é invisível, logo não foi ele. Provavelmente foi satanás ou demónios tentando enganá-lo, assim como eles fazem passar se por fantamas.

    • Cesar Grossmann:

      Satanás e os demônios são invisíveis, então não foram eles também.

Deixe seu comentário!