Cinco dicas para sobreviver à gripe suína

Por , em 6.05.2009

O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, aconselhou à população que evitasse metrôs e outros espaços fechados, por causa da gripe suína.

Há, também, outras sugestões para evitar a contaminação. Então, enquanto esperamos pela vacina milagrosa contra a gripe suína, aqui estão as cinco principais dicas para evitar ser contaminado e passar a infecção para outros. Essas dicas foram aprovadas pela Organização Mundial de Saúde.

1. Lave suas mãos

A principal coisa a se fazer para evitar a gripe suína é lavar as mãos frequentemente, de acordo com especialistas. Parece uma resposta estúpida para um problema tão grande, mas o fato é que quando tossimos, pequenas gotas de saliva e de material possivelmente contaminado (se você estiver com gripe) ficam em nossas mãos. Sendo assim, tudo o que tocamos fica contaminado. E, se tocamos no mesmo objeto que uma pessoa com a gripe tocou, corremos o risco de passar as mãos em nosso rosto e nos infectarmos. E a maneira com a qual lavamos as mãos também é importante. Se possível, use água quente. Não lave apenas os dedos e as palmas das mãos, mas também as unhas (debaixo delas também), os pulsos e a região que fica entre os dedos – tudo isso no tempo equivalente a duas vezes um “parabéns pra você” (sim, a música é usada como medida do tempo ideal). E tire todo o sabonete, enxaguando com água abundante.

2. Cubra sua boca quando for tossir ou espirrar

“A maneira com que a influenza é espalhada são as pequenas gotas que saem de nosso nariz e de nossa boca quando espirramos ou tossimos” explica George DiFernando, epidemiologista da Universidade de Nova Jersey. Ele recomenda, até, que cubramos nossas faces com a roupa. “É muito melhor que as gotas fiquem em nossas roupas do que em outros objetos ou em outras pessoas” explica. As máscaras cirúrgicas que se tornaram famosas podem ajudar a conter os espirros e as gotas para si mesmo, mas ainda não se sabe se são aconselhadas para uso diário.

3. Fique em casa

Se você está doente, fique em casa. E, se você chegou da rua, tome um banho, lavando primeiro seu corpo e depois suas mãos, para não infectar tudo o que você toca e não arriscar a saúde de seus familiares.

4. Não toque sua face

Tente, com todas as forças, manter suas mãos longe de suas membranas mucosas (olhos, nariz, boca), que são rotas diretas para sua corrente sanguínea e permitem que o vírus passe da barreira protetora da pele. Mas são poucos os que conseguem completar essa tarefa. “Isso é natural do ser humano. Na verdade, é mais um motivo para que você mantenha suas mãos limpas” explica DiFernando.

5. Evite pessoas doentes

É sempre uma boa pedida evitar outras pessoas que estejam doentes. DiFernando acrescenta que o vírus não fica no ar, mas sim em coisas que tocamos, contaminadas pelas gotículas. “Moedas, maçanetas, corrimãos, ou seja, objetos comuns. Aliás, objetos lisos transmitem o vírus mais facilmente do que objetos porosos, que absorvem as gotas” exemplifica. [Live Science]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • luiz felipe alberto:

    quando alguém tossir perto de vc anuncie a todo mundo que aquela pessoa está com a gripe A.E diga que está com a gripe dos porcos…
    bjssssssssssssssss

  • andressade souza pretto:

    a gripe A é um perigo quando alguém estiver com os sintomas saia correndo.

  • marco antonio:

    Esqueceu o principal que faço ha anos para nao pegar gripe e duvido que algum infectologista venha me desmentir, depois que passar por uma pessoa espirrando, eu assoo fortemente uma narina tampamdo a outra com o dedo (de agora pra frente sem tocar nas mucosas hehe) e depois inverte, resultado mais de 5 anos sem pegar gripe.

    Abraços

    marco antonio

  • Bruno FV:

    Não entendi o que o Guilherme, que fez o 1º comentário quis dizer…
    mas enfim, essa gripe suína se chegar ao Brasil, não saio de casa nem ferrando!

  • paula silva santos:

    eu acho que essa gripe suina não passa de uma SEM-VERGONHICE SUINA, para disfarçar a crise mundial .Essa SVS (sem-vergonhice suina teve dia para começar, data para propagar e data para terminar. Alguém está levando muita vantagem com mais essa invenção.Já ouvi falar na gripe do frango ,gripe do cachorro , gripe da vaca louca,gripe da onça , gripe do macaco ,gripe da jibóia e etc.Me parece que esta é a segunda vez que sacaniam com os coitados dos porquinhos.PESTE SUINA lembram!!!!!! e agora GRIPE SUINA . Coitado dos porquinhos !!!!! Vão ser sacrificados ….Os poucos que restarem ( por estarem livres da mentira suina , serão abatidos e a saborosa carne de porquinho ganhará preço de ouro…………………………………

  • Artur Custodio:

    Prezado Afterventus,
    Na hanseníase, as medidas profilaticas de isolamento compulsorio, de nada serviram para acabar com a doença, só para destruir familias. A europa, acabou com a doença, a medida que foram melhorando a qualidade de vida.
    Hoje o Brasil é o primeiro lugar do mundo em incidencia, com 40 mil casos novos por ano.
    ate hoje, tem lacunas na transmissao da doença, mas tudo indica que é pelas vias respiratorias superiores.
    Iniciado o tratamento, a pessoa para de transmitir, alem de que nas formas iniciais da doença tambem nao ocorre a transmissao.
    Daí que a transmissao ocorre quando a pessoa nao sabia que estava doente.
    Na AIDS, ninguem eticamente consciente que é HIV positivo, sai por ai deliberadamente transmitindo a doença, aliás, os poucos casos comprovados deste ato, foram julgados crimes.
    Agora, conheci dezenas de suicidios em ambas as doenças, por conta do preconceito, estigma, isolamento e segregacao que muitas pessoas foram submetidas.
    Aqui no RJ mesmo, um deputado ignorante, esta tentando fazer uma lei de identificacao das pessoas com AIDS. E ja fou criticado em jornais da inglaterra e EUA.
    qualquer coisa me escreva
    morhan@morhan.org.br
    um abraço
    Artur

  • César:

    Balela pah vender TAMIFLU…

    Politica do medo..

    /triste

  • AferVentus:

    “Evite pessoas doentes”

    Interessante… não só essa notícia mas em todos os telejornais e revistas, enfim, qualquer meio de comunicação dizem a mesma coisa: “Evite pessoas doentes”.

    Aqui na notícia (muito bem enumeradas as dicas) fala-se de usar máscaras, não tocar objetos que alguém infectado tocou (ou quaisquer objetos de uso como pois não se sabe quem os tocou antes), etc.etc.

    Vamos tomar como exemplo ao nosso questionamento o “usar máscara” (mas pode-se questionar também sobre o “tocar objetos”, “lavar as mãos”, etc. tudo depende da forma como questionamos o fato de considerar todo mundo doente).

    Questionamento:
    Imagens de pessoas usando máscara nas ruas, aeroportos ou quaisquer outros ambientes são exibidas. Pessoas com máscaras em meio a pessoas sem máscaras.

    Vamos tentar seguir uma linha de pensamento: usar máscaras significa que a pessoa que usa máscara está se prevenindo, certo? Prevenir é considerar que pode acontecer de essa pessoa que usa máscara passar perto de alguém que esteja doente, certo? Mas não dá pra saber quem está doente (não se o infectado já estiver muito mal), certo?

    Então usa-se máscara de forma preventiva, considerando (generalizando) que pode-se esbarrar em alguem doente. Conclui-se que a pessoa que usa máscara considera as pessoas ao seu redor como potenciais transmissores do virus, certo?

    Ou seja, a pessoa que usa máscara está tendo um conceito prévio a respeito da saúde dos que a circundam, certo? Conceito prévio ou pré conceito ou melhor ainda preconceito é aquele negócio que todo mundo cai de pau em cima de quem tem, certo?

    Por que então o povo fala que para certas doenças como AIDS, tuberculose, hanseníase (lepra) o que mata é o preconceito? Não é como se dá a forma de transmissão, mas alguém saudável não pode se reservar o direito de não chegar perto de potenciais transmissores de doenças graves (não importando como ela é transmitida)?

    Afinal, apesar de todo o alarde feito sobre esse virus da gripe, a taxa de mortalidade não passa de 2% (dado veiculado para a taxa de mortalidade no México em 02.05.09).

    Eu concordo plenamente com a notícia aqui do Hypescience, das revistas, telejornais e quaisquer outros meios de comunicação: usar máscara, evitar pessoas doentes, não tocar o que os outros tocaram, lavar as mãos (por achar que tocou algo que foi tocado por alguém doente). É só esse virus começar a pipocar mais frequentemente aqui que não hesitarei em usar máscara e implicitamente ter o preconceito (pré conceito, conceito prévio) de que todo mundo ao meu redor é um potencial transmissor.

    Não é o que fazemos quando usamos camisinha? Não consideramos que a parceira é uma potencial transmissora de HIV, hepatite, sífilis e outras DSTs?

    O que não dá pra entender é como os hipócritas determinam para quais doenças o resguardo por parte da pessoa saudável é considerado preconceito e para quais doenças o mesmo resguardo é incentivado.

    Eu considero tudo arriscado. Evito todas.

  • guilherme:

    Quase tive um infarto quando li “5 dias para sobreviver a gripe suína”

    o que a falta de uma letra não faz…

Deixe seu comentário!