Confirmada existência de vida sob o gelo da Antártida

Por , em 22.08.2014

Foi documentada a existência de micro-organismos vivendo muito abaixo do gelo da Antártida.

Técnicas especiais de perfuração e extração permitiram que cientistas explorassem um ecossistema ativo de cerca de 800 metros abaixo da superfície do manto de gelo da Antártida Ocidental, onde vida foi encontrada em um lago intocado pela luz do sol ou do vento durante milhões de anos. A descoberta levanta a questão óbvias de quais outros ambientes extremos podem ser capazes de abrigar vida, tanto no nosso planeta como além dele.

Uma equipe liderada pelo professor John Priscu, da Universidade Estadual de Montana (EUA), trouxe amostras colhidas abaixo do gelo que continham micróbios unicelulares chamados Archaea, que convertem amônia e metano em energia para sobreviver e crescer. “Fomos capazes de provar de forma inequívoca para o mundo que a Antártida não é um continente morto”, disse Priscu em um comunicado.

Expedições semelhantes nos últimos anos descobriram ambientes sub-gelo cheios de bactérias, mas questões têm sido levantadas sobre a possível contaminação no processo de perfuração. O principal autor do artigo, Brent Christner, afirma que, com este último estudo, =há uma prova clara. “É a primeira evidência definitiva de que não há apenas vida, mas ecossistemas ativos debaixo da camada de gelo da Antártida, algo que temos nos questionado há décadas. Com este trabalho, podemos bater na mesa e dizer: ‘Sim, nós estávamos certos'”, comemora.

As condições abaixo desse manto de gelo da Antártida têm certas características em comum com lugares conhecidos em outros mundos de nosso sistema solar, o que leva muitos a se perguntarem se a vida pode ser ainda mais inevitável naqueles locais distantes do que se pensava anteriormente.

A lua de Saturno Titã, por exemplo, é muito mais fria do que a Terra, mas é palco de grandes lagos de metano líquido que poderiam ser uma festa potencial de micróbios saudáveis ​​semelhantes aos que vivem sob o manto de gelo da Antártida. Também acredita-se que existam oceanos líquidos aquecidos por marés abaixo da camada de gelo da lua Europa, de Júpiter, e em outros objetos de nosso sistema solar.

A NASA pode lançar uma missão para explorar Europa em algum momento na década de 2020. [Nature, Forbes]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • icarofsx:

    Cada vez mais, a ideia de vida extraterrena, mesmo que de micro-organismos, ganha mais e mais contornos científicos. Me parece q na próxima década a humanidade irá bater o martelo de uma vez por todas e responder em definitivo a uma antiga indagação: que não estamos sós no universo!

Deixe seu comentário!