Conheça RatCar, o robô controlado pela mente de um rato

Por , em 5.10.2010

Parece ficção científica. Cientistas japoneses usaram dois componentes da tecnologia do futuro e criaram um robô manipulado por ondas cerebrais. De ratos. Os robôs já são uma realidade presente na sociedade japonesa: eles celebram casamentos, compram mantimentos e fazem companhia às pessoas. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Tóquio, porém, deu um passo adiante: eles estão fazendo um híbrido animal-robô. Mais ou menos.

RatCar é uma interface cérebro-máquina que usa os sinais do cérebro de um rato para controlar um robô motorizado. O rato paira no ar e o robô faz o que os membros do rato faria. Está longe de ser o único robô-cérebro já produzido, mas é indiscutivelmente um dos mais estranhos.

Osamu Fukayama e seus colegas desenvolveram RatCar para estudar se um pequeno veículo pode ser controlado pelos mesmos sinais cerebrais que movem os membros de um rato. O sistema envolve a implantação de pequenos eletrodos neurais no cérebro de um rato.

O rato é suspenso a partir de uma pequena “plataforma de neuro-robótica”. O objetivo é fazer o pequeno animal e o veículo trabalharem junto para andarem para frente. Interfaces de controle cerebral como essa pode ser um benefício para as pessoas com deficiências motoras ou com síndrome do encarceramento – um rara condição em que os movimentos do corpo inteiro são paralisados com exceção dos olhos, mas as faculdades mentais se mantêm perfeitas.

O sistema também inclui vários modelos e algoritmos que explicam a correlação entre sinais neurais gravados e o movimento do rato, explica Fukuyama. Os pesquisadores treinaram os ratos, tornando-os capazes de rebocar o carro com os motores desligados em torno de uma área delimitada. Uma câmera controlou o movimento dos ratos e enviou os dados registrados para um programa que reuniu sinais do córtex do animal. Então, os ratos foram pendurados do carro de forma que seus membros mal tocavam o chão. Os pesquisadores ligaram os motores e, enquanto os ratos tentavam se movimentar, os sinais neurais foram usadas para dirigir o carro. Seis dos oito ratos se adaptaram bem e foram capazes de “dirigir” o carro.

Entretanto, não está claro o quanto os ratos se contorcendo pode ter afetado o movimento do veículo. Fukayama e seus colegas Takafumi Suzuki e Kunihiko Mabuchi desejam realizar mais experimentos para resolver essa questão.

Eles têm trabalhado no RatCar por vários anos e apresentaram o seu mais recente estudo no mês passado, na conferência anual da Sociedade de Engenharia em Medicina e Biologia, em Buenos Aires. [PopSci]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

6 comentários

  • JOABAPRAMGON:

    TIVERAM QUE RAPAR O PELO PARA COLAREM OS ELETRODOS SE NA VERDADE A MAQUINA E CONTROLADA POR IMPULSOS CEREBRAIS…MAS SERA QUE O RATO CAMINHA POR ONDE QUER?

  • Lucas E.J:

    Aquilo não é pele gente, é tipo uma massa ou gel,as que usam em Eletroencefalografia (EEG)

    Pra quem ja fez EEG a pesssoa ficou que nem esse rato!

  • ninja:

    Deve ser o cérebro por que eles tipo borraram a imagem pra gente não ver. Olha o olhar de retardado do rato, ele deve ter virado um vegetal ou deve tá muito drogado.

  • Brandão:

    Aquilo é pele, ou tem mesmo o cérebro à mostra? [2]
    Tadinho do rato =/
    Mas isso chega a ser um avanço nessa area.

  •  :

    Coitado do bichinho!

    Aquilo é pele, ou tem mesmo o cérebro à mostra?

  • Liel Pires Ribeiro:

    Embaçaram os fios no cérebro do rato.

Deixe seu comentário!