Este estudo único de seu tipo da um golpe na igualdade de gêneros

Pela primeira vez, pesquisadores têm evidências do que mesmo em famílias jovens com bom nível educacional e financeiro, as mulheres trabalham mais que os homens na casa. O resultado é decepcionante para aqueles que esperavam mais igualdade na sociedade moderna.

O estudo constatou que três meses depois do nascimento do primeiro filho do casal, em dias em que o casal não estava trabalhando, homens estavam geralmente relaxando enquanto mulheres trabalhavam na casa ou cuidavam da criança.

Em contraste, quando homens estavam cuidando da criança ou trabalhando na casa, suas parceiras estavam geralmente fazendo o mesmo.

Outra estatística importante: mulheres gastaram 46 a 49 minutos relaxando enquanto os parceiros cuidavam da casa ou do filho nos dias de folga. Mas homens gastaram o dobro do tempo em atividades de descanso – cerca de 101 minutos – enquanto as parceiras trabalhavam.

“É frustrante. Tarefas domésticas e cuidados com os filhos ainda não estão sendo divididos igualmente, mesmo entre casais que esperávamos que tinham visões igualitárias de como dividir as responsabilidades dos pais”, diz Claire Kamp Dush, pesquisadora principal e professora de ciências humanas na Universidade Estadual de Ohio (EUA).

O estudo foi publicado na revista Sex Roles, em conjunto das pesquisadoras Sarah Schoppe-Sullivan e Jill Yavorsky.

Como o estudo foi feito


O experimento contou com a participação de 52 casais do New Parent’s Project (Projeto dos Novos Pais), um estudo do estado de Ohio que envolveu casais caucasianos com alto nível educacional e dupla fonte de renda, que estavam esperando o primeiro filho.

“É uma pequena amostra. Não é uma resposta definitiva, e é mais relevante para casais parecidos. Mas precisamos analisar isso mais profundamente e entender como casais com duas fontes de renda estão dividindo o trabalho de casa e os cuidados infantis”, diz Kamp Dush.

A pesquisadora explica que foi difícil conseguir que mais casais com este perfil participassem porque o estudo era trabalhoso, exigindo que o homem e a mulher registrassem em detalhe todas as atividades do dia em um diário. Kamp Dush afirma que não conhece nenhum outro estudo semelhante.

As pesquisadoras pediram que os casais completassem seus diários tanto em dias de trabalho quanto de folga em duas fases diferentes: a primeira foi no terceiro trimestre da gestação e a segunda a partir do terceiro mês de vida do bebê.

Resultados


Em dias de semana depois do nascimento do bebê, a quantidade de tempo gasta pelos pais e pelas mães em trabalhos domésticos foi quase igual, mas as mulheres ainda trabalharam ligeiramente mais que os homens.

“Em dias de semana, os pais dividem as tarefas de forma mais igualitária. É basicamente ‘todos a postos’ mas quando há mais tempo disponível nos finais de semana e os pais não estão tão pressionados a fazer tudo rapidamente, vemos a emergência de padrões de gênero e falta de igualdade em que as mulheres fazem muito mais trabalho na casa e com os filhos enquanto ele descansa”, descreve Yavorsky.

Nos dias de folga, os homens relaxaram em média 46% do tempo enquanto as mulheres cuidavam do bebê. Por outro lado, as mulheres estavam envolvidas em atividades de lazer apenas 16% do tempo em que os homens estavam cuidando do bebê.

Os resultados foram semelhantes nas tarefas domésticas. Os pais dedicaram, em média 35% do tempo para descansar enquanto as mulheres limpavam. Já as mulheres dedicaram 19% do tempo para descanso enquanto os homens limpavam.

“Eu esperava ver muito mais minutos em que o casal estava fazendo em conjunto algum tipo de tarefa doméstica ou com o bebê. Suspeito que a situação seja ainda menos igualitária para mulheres que não têm todas as vantagens dos casais da nossa amostra”, diz ela.

O que fazer?


Os homens precisam cuidar mais de suas casa e dos filhos, especialmente nos dias de folga, diz a pesquisadora. Em alguns casos, as mulheres precisam dar espaço para que os homens façam as atividades domésticas, sem ficar rondando para ver se a tarefa foi bem feita.

“Casais precisam conversar, idealmente antes do nascimento do bebê sobre como eles vão dividir as tarefas domésticas para ter certeza de que elas estão iguais. Quando foram estudados, esses casais estavam criando rotinas que podem durar vários anos até que as crianças cresçam. Casais precisam ter essa conversa desde os primeiros meses do nascimento”, diz Kamp Dush. [Science Daily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (14 votos, média: 2,43 de 5)
Curta no Facebook:

2 respostas para “Este estudo único de seu tipo da um golpe na igualdade de gêneros”

    • Antes de falar em divisão de despesas, devemos falar então em desigualdade salarial (mulher ganha menos que homem para fazer a mesma coisa, e nem adianta ter mais qualificação, isso não muda).

Deixe uma resposta