É assim que nosso céu noturno seria se alguns corpos celestes estivessem mais perto da Terra

Por , em 17.06.2015

A Agência Espacial Federal Russa, Roscosmos, criou um vídeo espetacular que ilustra como seriam cenários extraterrestres distantes se eles fossem visíveis no nosso céu à noite.

Imagine se a gente pudesse ver nossa vizinha Andrômeda, a galáxia mais próxima de nós, a partir de um campo em uma noite estrelada? Quão bonito seria?

É com essa imagem que o vídeo abre. Apesar de estar em russo, é possível acionar a legenda em inglês. Para os que não entendem, os corpos celestes mostrados na simulação estão listados em português, abaixo.

O primeiro objeto mostrado, como já mencionamos, é a galáxia Andrômeda. Com um trilhão de estrelas, ela fica a 220.000 anos-luz de nós.

Em seguida, vemos a Nebulosa do Anel como um olho de fogo gigante no céu à noite. Descoberta pelo astrônomo francês Antonie Darquier de Pellepoix em 1779, a nebulosa está a cerca de 2.000 anos-luz da Terra. Formada 6.000 anos atrás, possui um ano-luz de comprimento.

A próxima imagem é da Nebulosa do Caranguejo, um reminiscente de supernova que explodiu no ano de 1054.

O belo Grande Aglomerado Globular de Hércules, com 165 anos-luz e 100 mil estrelas, também é imaginado como se fosse visível no nosso céu à noite – uma paisagem estarrecedora.

Passando sem maiores explicações por uma supernova imaginada visível no céu, o vídeo mostra a caleidoscópica Galáxia do Rodamoinho, que tem esse nome óbvio graças a seu formato. Descoberta em 1773 pelo astrônomo francês Charles Messier, ela fica a 30 milhões de anos-luz da Terra e interage com outra galáxia, conhecida como NGC 5195.

Logo depois, aparece no céu terrestre o aglomerado estelar Plêiades, que pode ser avistado do Hemisfério Norte durante os meses de inverno, mas não tão claramente, uma vez que fica a cerca de 440 anos-luz da Terra.

Por fim, o vídeo acaba com uma sugestão de como seria a vista de um buraco negro a partir da Terra. [IFLS]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!