As bizarras condições que Einstein impôs a sua primeira esposa para que continuassem casados

Por , em 28.11.2012

Albert Einstein é conhecido por muitas coisas, mas seu casamento com Mileva Marić não é uma delas.

Einstein e Mileva se casaram em 6 de janeiro de 1903 e tiveram três filhos: Lieserl Einstein, Hans Albert Einstein e Eduard Einstein. 11 anos depois, em 1914, o casamento começou a desmoronar.

Percebendo que não havia esperança para seu relacionamento em um nível romântico, Einstein propôs que o casal permanecesse junto apenas para o bem de seus filhos.

Mileva e Einstein

Uma decisão nobre, não fosse por uma certa “lista de condições” com as quais Mileva tinha que concordar para que a união continuasse de pé (a lista foi retirada do livro “Einstein – Sua Vida, Seu Universo”, por Walter Isaacson. No original, “Einstein: His Life and Universe”).

Confira a lista (do item A ao D):

A) Você vai se certificar:
1: que as minhas roupas (lavar e passar) sejam mantidas em boa ordem;
2: que eu receba minhas três refeições regularmente no meu quarto;
3: que o meu quarto e sala de estudo sejam mantidos limpos e, especialmente, que a minha mesa seja reservada para meu uso apenas.

B) Você vai renunciar a todas as relações pessoais comigo, na medida em que não são completamente necessárias por razões sociais. Especificamente, você vai renunciar:
1: que eu sente em casa com você;
2: que eu saia ou viaje com você.

C) Você vai obedecer os seguintes pontos nas suas relações comigo:
1: você não vai esperar qualquer intimidade de mim, nem vai me censurar de forma alguma;
2: você vai parar de falar comigo, se eu pedir;
3: você vai sair do meu quarto ou sala de estudo imediatamente, sem protesto, se eu pedir.

D) Você vai se comprometer a não menosprezar-me na frente de nossos filhos, seja através de palavras ou comportamento.*

Mileva aceitou as condições por um tempo, obviamente sem sucesso. Uma pena que Einstein não fosse inteligente o suficiente para criar uma equação que calculasse a rapidez com que estes tipos de exigências iriam por água abaixo, ou ele saberia que nunca funcionariam.

Poucos meses depois, ela deixou o marido em Berlim (Alemanha) e mudou-se com os seus filhos para Zurique (Suíça). Cinco anos depois, já vivendo separados, o casal finalmente se divorciou, em 1919.[Jezebel, ListOfNote]

*A lista foi traduzida para esse artigo através da versão em inglês de “Einstein: His Life and Universe”, e não retirada da versão em português “Einstein – Sua vida, Seu Universo”.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,67 de 5)

65 comentários

  • Gautamann:

    Após a separação, Sir. Albert Einstein, foi declinando em suas matematicas e teoria até ser totalmente esquecido… exceto, ondas gravitacio

    • Cesar Grossmann:

      O “Ano Maravilhoso” de Einstein foi 1905, e o divórcio da primeira esposa foi em 1919. Mas o modelo inflacionário do Universo ele fez só depois de 1929, quando Edwin Hubble publicou sua descoberta sobre nebulosas. Ele publicou dois modelos, um em 1931 e outro em 1932. E se for ver, aquilo que ele considerou seu maior erro foi a constante cosmogológica, de 1917, quando ainda era casado. E sua Teoria de Campo Unificado foi publicada em 1950. É uma injustiça tremenda atribuir à esposa de Einstein as descobertas do mesmo, até por que, ela não produziu nada.

  • Fabio Da Costa Machado:

    um gênio mesmo

  • Samuel Alencar:

    Inusitado!

  • Ywry Vasconcelos:

    Vocês estão julgando alguém que viveu a mais de 50 anos atrás, onde as relações conjugais eram completamente diferentes das de hoje.

  • Paulo Felix:

    Não era mais um casamento, então, nada mais justo que fossem criadas regras de convívio. Seria algo como dividir um apartamento com alguém.

  • Bruno Cavalcante:

    Como é possível alguém escrever um comentário com 140 caracteres? virou twitter isso aqui?

    • Bruno Cavalcante:

      Essa história está incompleta. Einstein na verdade queria se separar de Mileva, pois Einstein não suportava mais….

    • Bruno Cavalcante:

      Ele não suportava mais os ciúmes de Mileva. Então, essa proposta absurda foi mais um tentativa de fazer ela dá o divorcio para Einstein.

    • Cesar Grossmann:

      Você conseguiu! Parabéns!

  • Antonio DA Silva:

    Ela, na verdade, não foi obrigada a aceitar isso, logo, ele a deu uma opção e ela, no momento, por algum motivo aceitou..

  • Igor.R:

    Não existe forma alternativa de lidar com mulher a não ser, sendo um canalha.

  • William Cirilo Teixeira Rodrigues:

    Se Walter White tivesse feito isso com a Skyler, ele ainda esta vivo, rico e Breaking Bad teria mais uma temporada! snif snif

  • Rakel Neves:

    Ninguém é perfeito não podemos julgar as atitudes dele.
    Uma coisa que sempre fiquei indignada é que Mileva nunca teve o reconhecimento merecido por ter ajudado Einstein com os cálculos no desenvolvimento da “Teoria da Relatividade” entre outros…
    Outo ponto naquela época qualquer mulher era submissa ao seu companheiro naquela época,Mileva era até adiantada para época.

  • neutrino:

    É a famosa esposa LPC.

  • Rita De Cássia Araújo:

    Ah os homens são todos iguais mesmo,tanto faz ele ser de 1913 como de 2013,fazendo as mulheres escravas desde a pré- história e é assim e sempre será,não esperemos muito deles não…

    • Ronan Anjos:

      Assim como toda mulher desde sempre é chata, interesseira e sempre quer ter a razão. Ow! Não me diga que você não gosta de generalizações?

  • Alexandre Costa Cruz:

    Pudera era a mulher dele quem fazia todos os cálculos .Alumo medíocre , pessoas medíocre tb .Não passa de uma fraude sionista.

    • Gil Cleber:

      Medíocre é quem não conhece os fatos e fala besteira, como você, Alexandre Costa Cruz. De onde você tirou essa idéia estapafúrdia?

    • Lucas Caminhoto:

      É muita gente burra pra pouco espaço no mundo. -.-

    • Johann Sebastian Bach:

      Einstein foi o maio plagiador do mundo…simplesmente isso. Medíocre como cientista, pior como humano.

    • Gil Cleber:

      Seria bom que o Sr. Johann Sebastian Bach fundamentasse suas afirmações. Enquanto não o fizer, tomo-as na conta de produto de sua profunda ignorância acerca do assunto. Ignorância que atribuo também o Sr. Alexandre Costa Cruz, que até hoje não fundamentou os disparates que disse acima.

    • Bruno Cavalcante:

      “Pudera era a mulher dele quem fazia todos os cálculos”?? Na verdade, ela apenas revisou os cálculos dos primeiros artigos, os publicados…

  • Ewerton Conde Da Matta Machado:

    Idiota!
    Ela tava querendo era uma empregada doméstica e não uma mulher… Que gênio mais sem genialidade… Aos poucos estas figura ilustres vão se revelando verdadeiros embustes… E tem vários medalhões por aí que não passam de verdadeiras MENTIRAS!

    • Rosemberg Fernandes:

      Correto! Gandhi pode entrar na lista também!

    • Gil Cleber:

      Outro burro falando burrices. E num tópico destinado a discutir uma das mentes mais brilhantes da ciência de todos os tempos.

    • Bruno Cavalcante:

      Na verdade, Einstein queria a separação de Mileva, por isso dessa proposta absurda. Era para fazer ela pedir o divorcio…

  • Daniela Oliveira:

    Não devemos ignorar o fato de aqui ter mais homem que mulher por isso não entendem o que é ser escravizada só pelo fato de vc ter nascido mulher. Mas isso nessa época era normal já que a mulher so tinha deveres a cumprir.

  • Gil Cleber:

    Em primeiro lugar é necessário ter em mente que Einstein era um ser humano como qualquer outro, sujeito a falhas de caráter e a atitudes condenáveis.
    Quando se fala de Einstein, em geral, fala-se do físico genial, do homem de mente brilhante que incursionou pela ciência como muito poucos antes dele.
    Sua genialidade na física não implica em que ele tivesse de ser perfeito como ser humano, ou seja, um “santo”, e assim sendo não me espanta essa série de condições que ele impôs à mulher – se de fato se trata de uma lista autêntica. É de se ressaltar que, apesar de não ser o supra-sumo da gentileza, pelo menos foi uma atitude sincera.
    Quero lembrar aqui também outro gênio, desta vez da pintura: o espanhol Salvador Dali também não era nada gentil com mulheres e as tratava às vezes como mero objetos para seus caprichos.

  • Fernando Ramos:

    É tudo muito interessante, é tudo muito controverso, ou não, mas falta saber o essencial: O escritor, Walter Isaacson, escreveu a lista com base num documento que existe e pode ser consultado materialmente (não pela internet) ou baseia-se no “diz que disse”?

    Pergunto isto porque serviço é serviço e conhaque é conhaque. e neste aspecto, ele foi um génio (para o seu tempo)a nível de trabalho mas como pessoa, pelos vistos tinha graves lacunas.
    Quem lê esta lista facilmente chega à conclusão de que, a ser verdade, ele não necessitava de uma mulher (esposa, com tudo o que isso acarreta) mas de uma criada para o alimentar, tratar das suas coisas, e dar-lhe algum status (o de homem casado).

    Acho interessante a facilidade como algumas pessoas (e algumas delas são identificáveis nestes comentários), colocam outras em pedestais e os consideram quase intocáveis apenas porque foram/são mais inteligentes e produziram trabalhos históricos.

    Infelizmente temos casos contemporâneos de figuras publicas, extraordinárias para a Humanidade, que como pessoas deixavam muito a desejar.

  • Marte:

    Os que criticam devem ter menos de 30 anos de idade. Antes da década de 70 a mulher não tinha um mínimo de espaço. Esses não imaginam os conceitos que regiam o mundo.

    No tempo do Einstein a mulher era menos que a mosca da caca do cavalo do bandido. Muito menos. Se bobear ele estava sendo muito “gente boa”.

    • Gil Cleber:

      Não é verdade. Fosse, e Mileva não se teria graduado em matemática. Casou porque quis. Lembremos também de Marie Curie, cientista brilhante contemporânea de Mileva, que não deixou o casamento acomodá-la. O fato é que Mileva casou, acomodou-se e pronto.

  • Paulo Vinicius Mavignier:

    uai, um casamento de aparencias é por ai mesmo, era algo apenas para os filhos dele, não para os dois desfrutarem de algo, lavar e passar roupa que seriam as unicas coisas absurdas da lista hoje era muito plausivel em 1913, já que na época era o costume da sociedade.

  • Moizés Montalvão:

    O texto não demonstra o que promete no título (que Einsten era canalha em “todos” seus relacionamentos).

  • jodeja:

    Vamos olhar apenas o lado bom, pois não existe ninguém perfeito, não é mesmo?

    • Fernando Ramos:

      E qual é o lado bom deste contracto? O facto dele ter descoberto a Lei da Relatividade?
      Então dêem um prémio também à esposa que aturou tudo isto… se é que é verdade…

    • Gil Cleber:

      Einstein não descobriu a lei da relatividade. A saber, o chamado “princípio da relatividade” já existia desde os tempos de Galileu. O que Eisntein fez foi conciliá-lo com a constância da velocidade da luz, incluir nesse princípio as leis do eletromagnetismo de Maxwell e descartar a noção de éter como um recurso inútil.

  • Rone Firmino:

    Ela aguentou meses esta situação! Que capacidade extraordinaria ela tinha! Uma tortura psicologica desta é pior que tortura fisica. Em uma semana a maioria das pessoas “sumiria” no mundo ou ficaria louca. Já sobre ele: inteligencia com numeros e equações nota 10. Inteligencia emocional: 0… Sem mais comentarios…

  • Orlando Rios:

    Foi Mileva, sua ex-mulher, que fez os calculos das teorias que ele criou ?.

    Não podemos julgar a vida inteira de um homem pois não sabemos como era o comportamento dela ou dele.

    Já tive um casamento assim, e passava meses sem falar com ela, pois não existia dialogo entre nós, mesmo na presença dos filhos. Eu me comunicava com ela por intermedio dos filhos, até que tudo se acabou. Por isso, eu entendo Einstein, apenas nisto e provavelmente apenas nisto. 🙂

    • Gil Cleber:

      Mileva Maric não tomou parte nenhuma na elaboração da relatividade especial. Basta consultar a história da Física naquela época, e uma boa fonta é o livro “Sutil é o Senhor”, de Abraham Pais. Quanto à relatividade geral, também Mileva não participou porque não apenas porque o casamento já estava naufragando, mas também porque ela pouco se interessava pelo que o marido fazia (conforme J. Bernstein) seria impossível, tendo filhos e casa para cuidar.

  • Paulo Galliza:

    …eu não li o livro. Mas, me parece que quem leu aqui, não demonstrou nem provou que Einstein fosse um canalha. Tudo foi insuficiente e deixou a desejar. Quem não conhece as desavenças dos “grandes amores” nas horas do divórcio ou do desquite? Imaginem uma simples separação de quartos naquela época!!! Acuso todos de “CALÚNIA”.
    Como se pode cometer tão ignominioso crime contra um homem que era seguramente tão tímido com as garotas? E… tão nobre na Física? J’acuse!

    • Paulo Galliza:

      …aos que o apontaram como canalha, é certo!

    • Fernando Ramos:

      O como pode o senhor dizer algo como isso sobre ele? Conheceu-o ou apenas leu o que escreveram sobre ele?

      É que geralmente, sobre os grandes génios ou pessoas que fazem algo extraordinário só se abordam os aspecto positivos da sua personalidade. Sob esse ponto de vista essas pessoas são autênticos exemplos da sociedade… o que por vezes pode não corresponder à verdade.

  • Germano:

    um cara altista que estudou comigo a vida toda
    se formou na faculdade primeiro que eu
    só que pelo preconceito da sociedade
    é bem capaz de eu me dar bem e ele não

    nego busca aceitação … e esquece que um cara pra ser feliz não precisa ser normal
    o infeliz que se importa com isso ta fud#do

  • Irio Silveira:

    É por isso que considero ele meu mestre.

  • Francisco Nobre:

    Eu creio que a idéia do Einsten era justamente livrar-se da mulher. Claro que a forma utilizada é condenável, mas que funcionou, funcionou.

  • Elton Lopes:

    Canalha?
    Canalha seria se ele pedisse que ela procurasse amantes pra ele, por falta de tempo…

  • D. R.:

    Pelo visto, ele dava mais importância aos seus estudos científicos do que à própria mulher. Pelo conteúdo da lista de exigências, dá para perceber que ela não era uma esposa tão zelosa (especialmente, pela parte A) e que devia ser bem tagarela. Mas, como alguns argumentaram aqui, não devemos julgar a priori sem saber como era o relacionamento do casal.

    Mas, no geral, os gênios costumam ser bem excêntricos. Penso que a genialidade de Einstein se deva a alguma anomalia genética que beneficiou partes de seu cérebro (em especial, o raciocínio espacial) e, talvez, prejudicou outras como a área da inteligência emocional. Afinal, não é qualquer um que consegue pensar em quatro dimensões; para a maioria de nós, três já é muito difícil.

    Vejam uma análise da estrutura do cérebro de Albert Einstein, mostrando o quanto era incomum:

    http://pos-darwinista.blogspot.com.br/2012/11/o-cortex-cerebral-de-albert-einstein.html

  • Fenris Fenrir:

    Lisandro, entendi praticamente tudo no seu post, menos este trecho: “O fato de alguém ser muito inteligente em alguma área, pode até prejudicar na hora de individuo ser ateu. ”

    Ele me parece “perdido”….. qual a ligação dele, com o post ou qual o sentido dele sozinho?

  • Daniel Iserhard:

    EINSTEIN É ÍDOLO!

  • Thomas Wonka Shakespeare:

    Se você tivesse lido o livro, saberia que ela também não era flor que se cheire.

    • Cesar Grossmann:

      Por exemplo?

    • RX:

      Einstein era mesmo um homem a frente de seu tempo, pois já naquela época sintetizou com perfeição os desejos dos homens atuais.

    • Germano:

      atuais ? …

      ele queria uma escrava
      e não uma mulher

    • RX:

      Pois é, além de tudo ele era sincero como poucos.

    • Paulo Galliza:

      …aponte as razões que o livro lhe levou a concluir isso e me faça mudar de opinião!

    • Paulo Galliza:

      …aponte as razões que o livro lhe levou a concluir isso e me faça mudar de opinião!

    • Fernando Ramos:

      Pois. Com um marido destes…

  • Tom Lima:

    Suspeitei desde o princípio!

  • João Alberto:

    Crucificam Enstein sem saber o por quê dessa atitude, talvez existia algum motivo que justificava.

    • Ronan Anjos:

      Crucificam Einstein, a raça masculina, Deus e ainda tem muito “homem” concordando com tais argumentos feministas de ódio.

  • eguinaldo:

    Sorte no jogo azar no amor!

  • Gargwlas:

    Sheldon Cooper (Seriado The Big Bang Theory) é filho do Einstein entao??
    kkkkkkkkkkkkkk

  • Germano:

    o genio era um tremendo canalha com as mulheres … haha

  • garretereis:

    Não vejo de que forma ele foi idiota! O artigo mostra a proposta de acordo, frente à decisão de estarem juntos pelos filhos. Acharia idiotisse se ele fosse o culpado pelo término, mas não é falado nada referente a isso nesse texto.

Deixe seu comentário!