Endereços da Internet estão acabando – pelo menos por enquanto

Por , em 6.02.2011

Para os internautas e geeks de todo o mundo, o céu está caindo. Por quê? Os endereços IP da Internet estão acabando. Pelo menos da forma como os conhecemos hoje, e pelo menos por enquanto.

Quando você digita um endereço no seu navegador (https://hypescience.com, por exemplo), o seu provedor de acesso à Internet procura o endereço do Protocolo de Internet (IP, na sigla em inglês). O IP é uma série de números separados em grupos de três, correspondentes ao domínio de um site. Assim como um endereço, ele informa ao seu provedor onde é possível encontrar o site indicado.

Mas há um problema iminente. A Internet foi originalmente concebida para endereços IP com dígitos de 32 binários – ou seja, “32-bit” com números compostos de zeros e uns. Em números decimais, isso significa que a Internet tem uma capacidade para aproximadamente 4,3 bilhões de endereços únicos, o que é conhecido como limite de protocolo de Internet versão 4 (Ipv4).

Com a rápida expansão da rede, a partir da década de 1990, ficou claro que esse limite não seria suficiente. Em 1998, portanto, uma comunidade internacional preocupada com a arquitetura da Internet, o Internet Engineering Task Force, criou um novo padrão de endereçamento, chamado de Ipv6. As possibilidades dessa atualização são imensas: endereços de 128-bit de comprimento, ou seja, 2 elevado a 128 endereços possíveis.

No entanto, um problema persiste. Nossos equipamentos de acesso à Internet estão configurados para ler endereços Ipv4 e, enquanto os provedores estão silenciosamente mudando sua infra-estrutura para o IPv6, fabricantes de softwares, computadores, roteadores e outros equipamentos podem não estar fazendo o mesmo. Isso significa que os gadgets que utilizamos hoje não funcionarão com endereços de 128-bits.

A organização que regula a atribuição de IPs se prepara para distribuir os últimos cinco lotes de endereços IPv4. Ou seja, esses endereços podem acabar ainda esse ano. Mas nem tudo está perdido: algumas multinacionais têm comprado parcelas de endereços Ipv4 que não irão utilizar, e que provavelmente serão vendidas novamente. Porém, quando um recurso se torna escasso, a consequência mais óbvia é que os preços subam para as novas conexões – ao menos até a chegada do Ipv6. [NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Rodrigo Paim:

    Vão dar um jeito, é simples

  • Werex:

    MalucoBeleza, sem o ip, você não entra na internet, os endereços com letras são só uma forma de facilitar a navegação. Todo site tem ip, mas esse ip é o ip de quem está hospedando o site.
    Todo mundo com acesso a internet tem ip, se ninguém tivesse ip, todos nós seriamos anônimos na internet. Se não houvesse o ip, ninguem poderia ser banido de nenhum servidor(pois não há como indentificar os computadores), e seria impossível localizar um criminoso virtual(O governo pode achar a sua casa pelo seu ip).
    Resumindo, sem IP, você não entra na internet. Além disso, há IPs dinâmicos, que são IPs que mudam toda vez que você se conecta a internet. Acho meio difícil a ocupação de todos os IPs ao mesmo tempo.

  • Milena Karla:

    Nãoooooooooo!!!! Como vou visitar o hype science,capricho,blogger,msn e google?????
    Socoroooooo,salvem a internetÊÊÊÊÊÊÊ!!!!

  • MalucoBeleza:

    Isso ai é tudo uma babaquisse, se não fosse acabar Bin Laden já tinha feito alguma coisa para acabar com esses IPs, ainda mais ele que gosta de acabar com tudo!

  • abel zacarias:

    acredito k isto ñ vira a ser um problema para os usuarios pork este protocolo foi criado mesmo para trabalhar lado a lado com ipv4 numa situação tecnicamente chamada de “pilha dupla” ou “dual stack”, por algum tempo. por exemplo em 2005 o governo americano ordenára k todas as agencias federais ate 2008 fossem capazes de utilizar esta tecnologia. no fundo é o que se chama avanço tecnologico subistitui-se o computador com 30 toneladas para um notbook e não so

  • Tzar:

    IPcalypse,meus caros os conflitos de IPs vão acabar nos provedores de internet,ao final de tudo vai ser bom.

  • Gabriel:

    poxa q sorte né?!

  • André Menegatti:

    Acredito que seja mais uma preocupação maior do que o problema realmente é… (vide o Bug do Milênio) que acabou não acontecendo.

    Certamente teremos uma solução viável para isso em breve. A maioria dos sistemas operacionais comercializados atualmente já disponibilizam configurações para o IPV6 e correções em softwares podem ser realizadas em pouquíssimo tempo. Basta que o CGI declare o novo padrão para que 99% das empresas produtoras de software se adequem em poucos meses.

  • NELSON PRADO:

    ESTÃO CRIANDO DIFICULDADES PARA VENDER FACILIDADES

  • cah:

    denovo?

Deixe seu comentário!