Enormes reservas de água são encontradas por todo o planeta Marte

Por , em 14.01.2018

Novas imagens da NASA mostram camadas de gelo em falésias erodidas de Marte, uma excelente notícia para potenciais assentamentos humanos no planeta vermelho.

Em locais espalhados por todo o planeta, essas camadas estão enterradas apenas poucos metros abaixo da superfície, o que torna sua exploração muito mais fácil do que o gelo anterior descoberto muito mais subterrâneo.

Avanço histórico

Depois de muitas teorias e buscas, em 2002, finalmente a missão Odyssey, da agência espacial norte-americana, detectou sinais de gelo superficial em altas latitudes em Marte.

Também, em 2008, a missão Phoenix desenterrou água congelada de seu local de desembarque, próximo ao polo norte marciano.

Já em 2016, cientistas usaram o Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) para encontrar uma camada de gelo enterrada nas latitudes médias de Marte.

Até agora, porém, os pesquisadores tinham dificuldade em compreender a extensão de tais camadas de gelo subterrâneo no planeta.

As novas descobertas, lideradas por Colin Dundas, geólogo do Serviço Geológico dos Estados Unidos, por outro lado, parecem muito mais acessíveis.

Confirmação

Os oito locais descobertos com água congelada no novo estudo incluem bancos íngremes nos quais a erosão expôs o gelo, o qual o MRO pode ver por cima.

Tais bancos de gelo aparecem entre um e dois metros de profundidade, apoiando a noção de que as latitudes médias de Marte periodicamente sofriam com grandes nevascas há milhões de anos, quando o planeta estava inclinado em seu eixo em um ângulo mais íngreme do que hoje.

“[São] imagens muito legais que capturam o gelo subterrâneo previsto pela teoria”, disse a cientista planetária Bethany Ehlmann, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, que não esteve envolvida com o estudo.

Acessibilidade

A descoberta pode influenciar a forma como os futuros astronautas que devem eventualmente pousar em Marte matarão sua sede.

Missões humanas para o planeta dependem da extração de água do ambiente local, seja a partir de minerais hidratados ou de depósitos de gelo.

Um estudo conduzido pela NASA em 2016 deixou claro que o gelo pode render mais água do que os minerais, mas se o acesso a esse gelo requerer escavação através de dez metros de rocha, o processo se torna muito ineficiente.

A imagem muda, no entanto, se as camadas de gelo estiverem a apenas alguns metros da superfície, de forma que esse achado é muito encorajador.

Um artigo sobre o estudo foi publicado na prestigiada revista Science. [NatGeo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (47 votos, média: 4,62 de 5)

2 comentários

  • Jean Carvalho:

    bom… antes que alguém se anime e diga que “agora não precisamos mais nos preocupar com o problema da água na Terra”, é bom lembrar que ainda é preciso resolver o Grande problema do excesso de radiação em Marte…

    • Cesar Grossmann:

      A água em Marte não é solução para nós, de forma nenhuma. Para trazer alguma água de lá o custo é astronômico.

Deixe seu comentário!