Este estudo pode explicar por que é TÃO difícil manter sua resolução de se exercitar

Por , em 3.01.2017

Todo ano é a mesma coisa: você jura que desta vez não vai largar a academia, e até começa com o pé direito, mas logo se vê incapaz de manter a rotina de exercícios por muito tempo.

Por quê? Será que você é apenas preguiçoso? Não necessariamente.

Uma nova pesquisa descobriu que ratos obesos não deixam de se exercitar por conta de seu peso corporal elevado. A inatividade física em muitos casos resulta de receptores de dopamina alterados (uma substância química presente nas suprarrenais indispensável para a atividade normal do cérebro).

O estudo foi publicado na revista Cell Metabolism.

A descoberta

“Sabemos que a atividade física está ligada à boa saúde geral, mas não sabemos muito sobre por que as pessoas ou animais com obesidade são menos ativos”, explica o principal autor do estudo, Alexxai V. Kravitz. “Há uma crença comum de que os animais obesos não se movem tanto porque carregam peso extra, o que é fisicamente incapacitante, mas nossas descobertas sugerem que essa suposição não explica toda a história”.

Kravitz já havia estudado animais com doença de Parkinson. Quando começou a pesquisar obesidade, há alguns anos, notou semelhanças no comportamento entre ratos obesos e ratos com Parkinson.

Com base nessa observação, ele teorizou que a razão pela qual os ratos eram inativos tinha a ver com uma disfunção nos seus sistemas de dopamina.

“Em muitos casos, a força de vontade é invocada como uma forma de modificar o comportamento. Mas, se não entendemos a base física subjacente a esse comportamento, é difícil dizer que a força de vontade sozinha pode resolvê-lo”, conclui Kravitz.

Próximos passos

Decifrar as causas fisiológicas de por que as pessoas com obesidade são menos ativas é importante porque também pode ajudar a reduzir alguns dos estigmas que elas enfrentam.

Pessoas com excesso de peso são muitas vezes chamadas de preguiçosas. Alguns acreditam que elas não emagrecem simplesmente “porque não querem” ou “não têm força de vontade o suficiente”.

A pesquisa futura focalizará em como a dieta afeta os sinais da dopamina.

Os pesquisadores também planejam analisar a rapidez com que os ratos recuperam níveis de atividade normal, uma vez que começam a se alimentar de forma mais saudável e a perder peso. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

2 comentários

  • Edson Aurélio Hudson:

    Encontrar padrões fisiológicos que justifiquem a obesidade é tratar os homens como robôs equivalentes, porque teria que negar o lado psico.

    • Cesar Grossmann:

      Antes de eliminar os fatores fisiológicos é preciso investigá-los, não acha?

Deixe seu comentário!