Estranho portal conecta Terra ao Sol

Portais magnéticos se abrem aproximadamente a cada oito minutos para conectar nosso planeta com o Sol.

Quando o portal se abre, cargas de partículas altamente energéticas podem viajar 150 milhões de km através da passagem, de acordo com cientistas espaciais.

O fenômeno recebeu o nome “evento de transferência de fluxo” ou FTE (de flux transfer event, em inglês). Ele é real e ocorre com o dobro da freqüência que qualquer pessoa poderia imaginar. “Dez anos atrás eu tinha certeza que eles não existiam, mas agora a evidência é irrefutável”, disse o astrofísico estadunidense David Sibeck.

Explosões dinâmicas

Os pesquisadores já sabiam que a Terra e o Sol deveriam estar conectados. Por exemplo, partículas solares incidem na Terra constantemente por causa do vento solar e freqüentemente seguem as linhas do campo magnético que conectam a atmosfera do Sol com a terra firme. As linhas do campo permitem que as partículas penetrem a magnetosfera da Terra; o escudo magnético que envolve nosso planeta.

Uma das hipóteses sobre a formação do evento é que o lado da Terra que está de frente para o Sol pressiona o campo magnético da Terra contra o campo magnético do Sol. E a cada oito minutos os dois campos se conectam brevemente, formando um portal através do qual as partículas podem fluir. O portal toma a forma de um cilindro magnético com a largura da Terra.

Mais de um FTE podem se abrir em um mesmo momento e eles ficam abertos entre 15 e 20 minutos. Algumas medições foram feitas com sondas da Agência Espacial Européia e da NASA que voaram através destes cilindros e nas suas bordas. Apesar das sondas terem conseguido medir a largura de um FTE o seu comprimento ainda é incerto. Mas uma medida preliminar concluiu que teria mais de 5 raios da Terra (um raio da Terra tem cerca de 6.400 km).

O astrofísico Jimmy Raeder, da Universidade de New Hampshire, nos EUA, criou uma simulação computadorizada com estes dados e concluiu que os portais FTE cilíndricos tendem a se formar sobre o equador até que em dezembro eles deslizam sobre o Pólo Norte. Em julho eles deslizariam sobre o Pólo Sul.

Parece também que existem fluxos ativos e passivos o que faz com que ocorram com o dobro da freqüência que se pensava antes.

Os fluxos ativos permitem que as partículas passem com facilidade, formando dutos de energia importantes para a magnetosfera da Terra e os cilindros passivos ofereceriam mais resistência para as partículas que transitam.

Os cientistas ainda estão empenhados em descobrir porque os portais se abrem a cada oito minutos e como os campos magnéticos no seu interior se torcem e enrolam. [LiveScience]

Por: Eduardo MartinsEm: 4.11.2008 | Em Espaço, Mistérios, Outras  | Tags: ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (17 votos, média: 4,71 de 5)
Curta no Facebook:

24 respostas para “Estranho portal conecta Terra ao Sol”

  1. @tulio

    Onde você ouviu esse absurdo?

    A matemática é a expressão condensada da realidade, apenas um meio mais simples para entender o que nos cerca…

    Mas vai ser dificil explicar isso pra alguem que não saiba o que é um limite ou uma derivada…

  2. pensei, se isso acontece com a terra, porque não com os demais planetas do sistema solar…
    então poderia-se inventar uma tecnologia que usufrui-se desses tuneis magneticos para facilitar o deslocamento de espaçonaves com menos gasto de energia e tempo, dentre outras coisas
    esperamos mais pesquisas sobre o assunto…

  3. hahaha duvido que algum religioso ou astrologo maluco nao vai tenta falar que isso é poder de deus e nada mais… ou a prova de alguma leitura mistica aukhkuhaukhahuk …

    parabens cientistas!

  4. À muito tempo tempo atrás eu li numa Planeta um depoimento aonde um extraterrestre afirmou que os OVNIs viajam pelo espaço por canais tão rápidos como o pensamento e fazem isso sem uma gota de combustivel. Será que é isso que acabaram de descobir???? Então os OVNIs existem mesmo??? Esse artigo confirma a história que eu li a 35 anos atraz.

  5. No artigo existe um erro pequeno, mas que dá uma diferença muito grande.

    É dito que as partículas viajam a 150 milhões de km/h, mas isso está errado. No artigo original do LiveScience, na parte correspondente não é citada velocidade, e sim “high-energy particles can travel the 93 million miles (150 million km) through the conduit during its brief opening, space scientists say.” Ou seja: as partículas de alta energia podem viajar os 150 milhões de quilômetros durante o breve tempo em que está aberto, dizem os cientistas espaciais.” Não é citada velocidade e sim distância.

    Se as partículas realmente viajassem a 150 milhões de quilômetros por hora, sequer chegariam ao sol, pois o portal só fica aberto entre 15 e 20 minutos, e nessa velocidade elas precisariam de uma hora inteira.

  6. Adoro tudo que se relaciona com espaço,cosmos e universo mas gostaria de saber que utilidade tem estes portais em relação com a terra,qual a importãncia e como podemos tirar proveito em futuras viagens espaciais.

  7. Muito boa reportagem. Que bom que os cientistas comecem a admitir
    tais conexões! Porque isso é ‘ESTRANHO’ para eles, pois algumas tribos indígenas, muito mais integradas às leis que regem a natureza, por convívio e respeito diretos já explicam esse portal há muito tempo.
    Não com linguagem técnica, mas com explicações práticas de quem vivencia a vida por inteiro, com respeito e admiração. Temos muito que aprender com eles, podem ter certeza!!!
    BETH

Deixe uma resposta