Estudo: pílula azul está parando o HIV

Por , em 25.10.2018

Uma pílula antiviral tomada diariamente por milhares de homens em Sydney e outras partes da Austrália levou a uma redução global sem precedentes em novos casos de HIV.

De acordo com um estudo da Universidade de Novas Gales do Sul, uma abordagem preventiva direcionada pode acelerar o progresso para acabar com a epidemia da AIDS.

Sucesso

O estudo foi o primeiro a medir o impacto da pílula Truvada, fabricada pela Gilead Sciences Inc, na redução do vírus causador da AIDS em uma grande população.

Os cientistas afirmam que novos casos de HIV entre gays e bissexuais caíram em quase um terço, alcançando o menor número já registrado na Austrália.

Os resultados, publicados na última edição da revista médica Lancet, podem abrir caminho para que outros países interrompam a transmissão do vírus com o uso de um tratamento chamado profilaxia pré-exposição (PrEP).

“A velocidade do declínio que temos visto em novas infecções pelo HIV em homens gays e bissexuais é inédita no mundo”, disse o principal autor do estudo, Andrew Grulich, do departamento de epidemiologia e prevenção do HIV no Instituto Kirby da Universidade de Nova Gales do Sul. “Esses números são os mais baixos registrados desde que a estatística do HIV começou em 1985”.

Prevenção

Embora os resultados da pesquisa não possam ser generalizados para indicar eficácia similar em populações heterossexuais, eles demonstram que o PrEP tem um excelente custo-benefício em certos grupos de alto risco.

Novas infecções por HIV ocorreram em 102 homens gays e bissexuais no estado de Nova Gales do Sul no primeiro ano após o início do estudo, em comparação com 149 infecções nos 12 meses anteriores.

“Embora conheçamos, há pelo menos três ou quatro anos, a eficácia da PrEP em nível individual, tem havido alguma reticência em todo o mundo por parte dos formuladores de políticas de financiar adequadamente o lançamento do PrEP porque o impacto na população geral não foi mostrado – e é isso que nos propusemos a fazer”, esclareceu Grulich.

A pílula azul, de formato oval, é uma combinação de dose fixa das drogas tenofovir, disoproxil e emtricitabina. Versões genéricas do Truvada tornaram a medicação disponível mais barata.

No mundo

Segundo o presidente-executivo da Gilead, John F. Milligan, áreas dos EUA com maior aceitação do PrEP alcançaram algumas das melhores reduções nas infecções por HIV.

O número de pessoas infectadas com HIV caiu para 1,8 milhão em todo o mundo em 2017, de mais de 3 milhões por ano durante a década de 1990.

Esse progresso levou os Estados membros da ONU a fazerem um compromisso para acabar com a epidemia da AIDS até 2030.

Tratamentos como o Truvada podem ajudar nesse objetivo. “Estou mais confiante agora de que os formuladores de políticas estão sendo muito inovadores ao pensar em como aumentar o acesso ao PrEP”, disse Milligan. [JapanTimes]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (26 votos, média: 4,96 de 5)

Deixe seu comentário!