Porque o HIV é muito pior do que podíamos imaginar

Por , em 8.10.2012

Uma epidemia devastadora de salmonela atingiu a África Subsaariana recentemente. Por conta da baixa imunidade da população, causada por doenças como a Aids, os pacientes não estão respondendo ao primeiro conjunto de antibióticos usados para combater a doença, o que exige o uso de drogas mais caras no tratamento da condição.

Chamada de salmonela não tifoidal (na sigla em inglês, iNTS, invasive Non-Typhoidal Salmonella), essa é uma forma relativamente nova da salmonela Typhimurium pathovariants, que se espalhou a partir de diferentes focos no centro e sul da África, emergindo em duas ondas separadas, a primeira em 1960 e a segunda em 1977.

Diferente da salmonela comum, que ataca o sistema digestivo e causa uma diarreia, a iNTS é uma infecção do sangue, que mata ente 25% e 45% dos africanos subsaarianos que contraem a mesma, contra 1% dos infectados no resto do mundo.

A razão para ela ser tão letal pode ser desnutrição, infecção paralela com a malária ou com HIV, ou até possivelmente com a nova versão mutante da bactéria salmonela.

Em um novo estudo, pesquisadores analisaram o genoma da bactéria e descobriram que ela está evoluindo para uma forma mais parecida com a tifoide, que se espalha de forma mais eficiente pelo corpo humano.

Esse conjunto de fatores – HIV, malária e desnutrição – permitiu que esta bactéria penetrasse, se adaptasse, circulasse e sobrevivesse. O vírus da Aids forneceu à bactéria da salmonela uma população humana enfraquecida que a permitiu evoluir para uma forma mais letal.

Outro fator importante para o sucesso da disseminação da iNTS foi o desenvolvimento humano de resistência a várias drogas usadas para tratar infecções no sangue (você já deve ter ouvido falar que, quanto mais nós usamos determinados remédios, mais bactérias mutantes que resistem a eles sobrevivem e se reproduzem, as chamadas “superbactérias”).

Mas nem tudo são más notícias. O estudo representa o primeiro uso do sequenciamento completo do genoma para rastrear a disseminação da iNTS, conhecimento que ajudará os pesquisadores a determinem como a doença é de fato transmitida na população africana subsaariana, um mistério ainda não resolvido, embora existam evidências de que ela é transmitida de pessoa para pessoa.[io9, Nature]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • gloria:

    Oq mata mais ñ ´é o hiv, e sim a desnutrição, a pobreza e o descaso p\ c\ os menos favorecidos. A desigualdade social é o principal motivo de tantas mortes.

  • jodeja:

    Aids é brabo, mas nenhuma doença mata enquanto não chega a hora.

  • Julio Barone Neto:

    “Não há doenças; há doentes.” A única causa certa no texto é: desnutrição. Desnutrição a nível de médico nutricionista já aproxima um pouco. O resto são interesses financeiro das indústrias.

  • coitado:

    ta e o que tem a ver o título da notícia

    • Clara Telis:

      Isso quer dizer que a Aids não é uma ”doença sozinha” ela piora e muito no tratamento de outras doenças,sendo assim pior do que podíamos imaginar ,apesar de já sabermos desde sempre que pessoas com aids podem morrer até de gripe ,caso essa seja mal curada ,artigo um tanto óbvio ,talvez foi por isso que não viram muito sentido.

    • Murilo Mazzolo:

      Tá… mas faz um tempo que já se sabia que não era a AIDS que mata, e sim vírus e doenças que são facilmente contraída pela baixa imunidade que a mesma causa. Mas acho que sim, sobre essa salmonela, era novidade!!

Deixe seu comentário!