Experimento impressionante: veja como usar vídeo para capturar som

Por , em 6.08.2014

Os cientistas, sempre eles, gostam de deixar nossos dias mais divertidos. Dessa vez, eles descobriram uma maneira de extrair o áudio de imagens capturadas com uma câmera.

Como?

Bom, as ondas de som provocam vibrações nos objetos. Só que são vibrações muito, mas muito mesmo, sutis. Tanto que, a olho nu, os objetos parecem estar imóveis. Sabendo disso, então, os cientistas fizeram um experimento.

Eles pegaram uma câmera de alta velocidade (uma taxa de quadros mais rápida do que a frequência do sinal de áudio – por exemplo, de 2.000 a 6.000 quadros por segundo) e filmaram as vibrações que um determinado som (música e voz) causaram em uma planta. Assim, a partir das vibrações quase microscópicas captadas, eles conseguiram recriar sons.

No vídeo abaixo você pode ver exemplos dos sons originais e de como eles ficaram ao serem recriados a partir desse experimento:

A ideia do experimento

A ideia básica por trás do experimento é que, como falamos, o som causa vibrações que podem ser captadas por uma câmera. Estas vibrações são tão pequenas e insignificantes que não podem ser detectadas por nós, tal como as vibrações que os nossos batimentos cardíacos provocam em nossos rostos, por exemplo. A gente simplesmente não percebe que essa informação está disponível.

Mas mesmo que os humanos não possam perceber esses dados, não significa que não possamos ter acesso a eles. Com as câmeras captando as vibrações, os computadores podem detectá-los e processá-los. Com a ajuda de alguns algoritmos, a magia começa a acontecer.

A qualidade de áudio recuperado da câmera comum não era muito boa, mas foi o suficiente para fornecer informações sobre o sexo de quem está falando e do número de falantes na área.

Futuro

Esse projeto incrível e absolutamente inteligente foi realizado por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, da Microsoft e da Adobe, e tem implicações muito curiosas. Por exemplo, no futuro, as pessoas podem ser capazes de espionar suas conversas, apontando uma câmera para um saco de batata frita perto de seus pés. Como que os espiões do cinema não têm uma engenhoca dessas ainda?![PetaPixel]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • coss:

    Coloquei online o video onde mostra o exemplo do filme “Eagle Eye”.
    http://youtu.be/NboXrpOgOwc

  • Alexandre Tamiette:

    Em Person of Interest a “Machine” também faz isso, quando não tem áudio disponível ela tenta identificar vibrações em objetos por perto para ouvir, além de usar os passos para seguir alguém quando não tem vídeo, aaaaaaaaaa eu quero final de setembro logo, amo essa série, kkkk extremamente fodah essa matéria.

  • Rödel:

    Técnica semelhante permite que as vibrações sonoras do vidro de janelas possam ser captadas a distância, e decodificadas pela variação na frequência de um feixe de laser refletido . Por isto se utilizam cortinas grossas nas janelas de salas de reunião.

  • tijolin:

    Tem um filme com a Michelle Monaghan e o carinha do Transformers (o que não para de gritar) chamado Eagle Eye (não lembro agora o nome nacional). Nele uma IA que os persegue e que, num determinado momento, fica sem acesso ao audio de uma das cameras de vigilância, utiliza a vibração do café numa xícara para captar a conversa das pessoas em uma sala. O filme é legalzinho até.

  • Herberti Pedroso:

    Pelo que sei, desde a década de 1970 pelo menos, serviços de espionagem usam dispositivos à laser para medir as vibrações no vidro de uma janela, por exemplo, e assim “escutar” o que está sendo conversado dentro de uma sala. E a técnica descrita na postagem foi apresentada em uma cena do filme “Controle Absoluto” de 2008.

Deixe seu comentário!