Fala humana pode ter evoluído a partir do canto dos pássaros e outras linguagens animais

Em seu livro “A Descendência do Homem e Seleção em Relação ao Sexo”, de 1871, Charles Darwin apontou que “os sons emitidos por pássaros oferecem em vários aspectos a mais próxima analogia à linguagem”, que, ele imaginou, pode ter se originado no canto.

De acordo com pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, EUA) e da Universidade de Tóquio (Japão), a ideia de Darwin pode ter sido muito mais precisa do que pensávamos.

No mundo animal, existem formas de comunicação “elaboradas”, como o canto dos pássaros, e formas mais “simples” (e nem por isso menos eficientes), como os sons emitidos por primatas ou os movimentos feitos por abelhas. Segundo estudo feito pelo professor Shigeru Miyagawa, do Departamento de Linguística e Filosofia do MIT, a linguagem humana teria duas “camadas”, similares às duas formas de comunicação animais: a de “expressão”, que envolve uma organização maleável de sentenças (como o canto); e a “lexical”, relacionada ao núcleo do conteúdo de uma sentença (como os sons dos primatas). “É essa combinação inesperada que engatilhou a linguagem humana”, diz Miyagawa.

Entre 50 mil e 80 mil anos atrás, humanos podem ter começado a incorporar esses dois tipos de expressão que observaram entre os animais, criando uma forma de linguagem que se tornaria cada vez mais sofisticada.

Para entender melhor as duas “camadas” da linguagem humana (e, também, os dois tipos de comunicação animal), podemos usar uma frase simples como exemplo: “Ivo viu a uva”. Reordenando elementos e acrescentando complexidade, podemos criar diversas variações, como “quando Ivo viu a uva?”. Porém, mesmo com essas mudanças, os elementos centrais permanecem: o sujeito (Ivo), o verbo (ver) e o objeto (uva).

Embora o canto de um pássaro tenha um significado específico, seus elementos melódicos podem ser reordenados para dar origem a um novo canto, com um novo significado. Já a dança que uma abelha faz para indicar onde encontrar uma flor não tem essa flexibilidade, é mais “seca”. Na linguagem humana, transmitimos informações básicas, mas com uma grande possibilidade de variações.

Apesar de considerar os resultados consistentes, os autores reforçam que esse paralelo ainda é uma hipótese, e que são necessários mais estudos para investigar esse possível vínculo entre a linguagem humana e a animal.[Daily Mail UK] [RedOrbit]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

3 respostas para “Fala humana pode ter evoluído a partir do canto dos pássaros e outras linguagens animais”

  1. fico imaginando o quão difícil foi o homem desenvolver a linguagem.

    Acredito que só um grupo de humanos conseguiam fazer usando gestos e olhares e tomaram uma grande vantagem contra os humanos que não aprenderam a linguagem. Não era tão simples passar isso para outros grupos de humanos ao meu ver, deveriam ser bem selvagens e desconfiados de qualquer coisa.

    Parabéns pela notícia, gostei muito.

  2. Ridícula hipótese essa de evolução de organismos e detalhes como sons e tipos de comunicação!ó falta dizer que nossos antepassados antes dos símios foram pássaros! Quem estuda e respira ciência sabe que, se quiser sobreviver, tem que ficar calado e aceitar o dogma da evolução! Cada criatura reproduz segundo a sua espécie e as modificações, em milhões de anos, não passam de adaptações ao meio. Nunca foram encontrados fósseis mostrando o estágio transicional entre uma espécie e outra. Nunca foram encontrados simplesmente por que não existem “elos perdidos”. Os fósseis em suas respectivas camadas geológicas, testemunham que as criaturas apareceram repentinamente ao longo dos milhões de anos e depois desapareceram sem deixar elos transicionais. E isso é um nó no raciocínio evolucionista, nó que sempre foi disfarçado com o Dogma evolucionista: ou você aceita a hipótese como fato científico ou você é segregado e ridicularizado! Por exemplo, é dito que os pássaros modernos descendem dos dinossauros. Mas vários pesquisadores, recentemente descobriram fósseis de pássaros e aves contemporâneos dos dinos, estruturalmente idênticos a aves modernas. Outro constrangedor nó no raciocínio evolucionista, que a grande elite científica insiste em abafar!
    Leiam uma das muitas interessantes matérias sobre o assunto:
    http://designinteligente.blogspot.com.br/2009/06/aves-descendem-dos-dinossauros-novas.html

Deixe uma resposta