Fanática por futebol quase morreu de ansiedade nos jogos

Por , em 20.12.2011

O estresse de assistir os minutos finais (de roer as unhas) de uma partida do Manchester United é o suficiente para desencadear uma ansiedade tão forte que arrisca a vida de uma mulher britânica de 58 anos, superfã do time de futebol.

Segundo um relatório médico, a mulher experimenta palpitações, pânico, tonturas e até mesmo um “sentimento de morte iminente” durante jogos importantes disputados pelo time em sua casa, o estádio Old Trafford, particularmente quando eles jogam contra os clubes rivais Chelsea ou Manchester City.

“Nessas ocasiões, ela cogita deixar o estádio, porque se sente muito mal”, escrevem os autores do relatório médico, incluindo Akbar Choudhry, que tratou a mulher.

Em contraste, quando seu amado time joga contra uma equipe que não tem muitas chances de vencer, seus sintomas tornam-se quase imperceptíveis.

Como resultado de seu fanatismo futebolístico, os médicos foram capazes de diagnosticá-la com doença de Addison, que significa que suas glândulas suprarrenais não produzem hormônios suficientes, incluindo cortisol. A queda do cortisol provoca uma crise, emergência médica que pode ser fatal.

A doença de Addison é difícil de ser diagnosticada. Isso é provavelmente porque os sintomas mais visíveis incluem fadiga, letargia e depressão leve, todos característicos de muitas doenças crônicas. A ansiedade severa desta mulher durante a alta tensão dos jogos levou os médicos a diagnosticá-la corretamente.

Os profissionais trataram a mulher com terapia de reposição de cortisol – felizmente para ela, o início de seu tratamento coincidiu com o início da temporada 2011/12 do Manchester United, permitindo-lhe participar dos jogos sem qualquer sintoma. “Ainda bem que a paciente estava de férias na derrota do United por 6 a 1 contra seu rival local Manchester City em outubro”, lembrou Choudhry.[MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

Deixe seu comentário!