Foto: Io, a lua acima de Júpiter

Corpo mais vulcânico do sistema solar, a lua Io, satélite de Júpiter, tem 3.600 quilômetros de diâmetro, aproximadamente o tamanho do único satélite natural do planeta Terra, a nossa lua.

Passeando ao redor de Júpiter na virada do milênio, a nave Cassini, da NASA, capturou esta imagem inspiradora de Io com seu planeta gigante de gás ao fundo, oferecendo uma comparação impressionante de seu tamanho relativo ao seu planeta governante, Júpiter.

Embora na foto acima Io pareça estar localizada em frente das nuvens turbulentas de Júpiter, a lua orbita o planeta uma vez a cada 42 horas a uma distância de 420.000 quilômetros, mais ou menos, do centro de Júpiter. Isso coloca Io quase 350.000 quilômetros acima do topo das nuvens de Júpiter, o equivalente à distância entre a Terra e a lua.

A Cassini estava a cerca de 10 milhões de quilômetros de Júpiter ao tirar essa fotografia.[NASA]

Por: Natasha RomanzotiEm: 9.04.2012 | Em Espaço, Principal  | Tags: , , , , ,  
Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

11 respostas para “Foto: Io, a lua acima de Júpiter”

    • E esse equipamento foi montado no século passado, foi lançado ao espaço em 1997, após umas voltas o redor da Terra, de Vênus, manobrar pelo cinturão de asteroides e pegar mais um impulso d gigantesca gravidade de Júpiter, ela foi para o alvo de sua missão, o Planeta Saturno, seus anéis e suas luas, onde chegou em 2004, após uma viagem épica de 7 anos, ela está lá até hoje, mandando fotos e dados incríveis como a tempestade hexagonal de Saturno, descobrindo novos anéis de Saturno, descobrindo atmosferas nas luas, lagos em Titã, Gêiseres de partículas de água em Encelados… Pra mim é a missão mais fantástica da história da astronomia.

  1. Já me perguntaram se é possível haver vida em Júpiter e eu respondi que não há parte nenhuma do Universo sem vida. Só que vida diferente da forma que conhecemos.
    A fotografia é linda, que vontade de mergulhar naquelas nuvens!

    • O ser humano é muito narcisista e vaidoso, seu conceito de vida é limitado ao que temos aqui na terra. Eu concordo com você.

    • A sonda Galileu já fez isso por nós, enviando uma sonda auxiliar, e encontrou um mundo nebuloso e cada vez mais quente quando mais fundo se vai. É um mundo de nuvens, claras e frias nas alturas, rubras, quentes e turbulentas nas profundidades, onde nascem os vendavais e os anti-ciclones gigantescos como a Grande Mancha Vermelha, com rajadas de massas de nuvens amoníacas a até 500 km/h, e não apenas parece, elas realmente têm mal-cheiro. Aí a temperatura já supera os 200 °C. Mais fundo, as nuvens de água geram relâmpagos colossais, tão intensos quanto explosões nucleares, cujo estrondo torna por instantes a temperatura superior à da superfície do Sol. E tudo isso foi observado pela sonda exploradora antes de ser cruelmente esmagada e desintegrada pela gigantesca pressão atmosférica.
      É muito legal, um sonda é um pedaço da humanidade enviada a outros mundos, e agora seus restos fazem parte de Júpiter…

Deixe uma resposta