Funcionária da Google quebra recorde mundial e calcula mais de 31 trilhões de dígitos do Pi

Por , em 15.03.2019

Uma funcionária do Google acaba de quebrar o recorde mundial do mais longo número alcançado após a vírgula do Pi. O resultado foi apresentado ontem, dia do número (na convenção americana, o dia 14 de março é apresentado como 3/14, exatamente os primeiros dígitos do número, 3,14). Emma Haruka Iwao passou quatro meses trabalhando no projeto, e conseguiu calcular o Pi com inacreditáveis 31,4 trilhões de dígitos.

Pi: 5 fatos sobre nosso número irracional favorito

Calculado dividindo-se a circunferência de um círculo pelo seu diâmetro, o Pi é um número irracional que continua infinitamente sem repetição. Iwao fez seu cálculo no escritório do Google em Seattle, nos EUA, onde ela trabalha como desenvolvedora do Google Cloud. Este é também o primeiro registro do Pi sendo calculado na nuvem.

Essa foi a maior vantagem de Iwao em relação ao recorde anterior. Iwao quebrou o recorde de Pi definido por Peter Trueb em 2016, com 22,4 trilhões de dígitos. Os 31 trilhões de dígitos do novo recorde precisaram de 25 máquinas virtuais usadas por 121 dias para serem calculados. Ela usou 170 terabytes de armazenamento e transferiu mais de 10 pentabytes de dados, um volume que levaria anos para ser transferido em uma internet de banda larga caseira. Peter Trueb, por outro lado, usou apenas um único computador rápido, embora equipado com duas dúzias de discos rígidos de 6 TB para lidar com o enorme conjunto de dados que foi produzido. Seu cálculo levou apenas 105 dias para ser concluído.

O marco foi certificado pelo Guinness World Records na quarta-feira, fazendo dela a terceira mulher a estabelecer um recorde mundial para calcular o número.. “Era o meu sonho de infância, um sonho de longa data, quebrar o recorde mundial do Pi”, disse Iwao à rede CNN.

As 11 mais belas equações matemáticas

Ela não está exagerando quando diz isso. Iwao tenta calcular o Pi desde os 12 anos, quando baixou um software para calcular o número em seu computador no Japão.

A desenvolvedora diz que recebeu ajuda com o cálculo final de Alexander Yee, inventor de um programa chamado “y-cruncher”, usado para calcular o Pi e outras constantes matemáticas. Seu ex-professor e ex-recordista mundial do cálculo do Pi, Daisuke Takahashi, também ajudou-a com conselhos e estratégias técnicas.

O novo registro mostra até que ponto a tecnologia de computação em nuvem chegou.

Todos os 31.415.926.535.897 dígitos do cálculo podem ser baixados por qualquer pessoa que queira experimentar os dados. No passado, para compartilhar a versão mais antiga conhecida do Pi, era preciso colocá-la em um disco rígido e enviá-la por e-mail.

Movimento “tau”: o pi está errado? Matemáticos querem substituí-lo

“Continuamos investindo na nuvem e ela fica ainda melhor com o tempo. Espero que possamos fazer um cálculo ainda maior no futuro”, prevê a recordista.

No vídeo abaixo, ela explica como o cálculo é feito e a utilidade do Pi nas nossas vidas cotidianas [CNN, The Verge]:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,74 de 5)

Deixe seu comentário!