Geoengenharia: 10 propostas para salvar o planeta

Por , em 14.11.2012

O clima em nosso planeta está sempre em mudança, com os seres humanos interferindo nelas ou não. Ao longo de seus 4,5 bilhões de anos de existência, a Terra já passou por eras de extremo calor a extremo frio. Há mais de 25 milhões de anos, a Antártica era um paraíso tropical. Com o congelamento dos polos, o planeta entrou em um período em que a evolução dos seres humanos e das outras espécies se tornou possível.

Vivemos em um clima que é ideal para nossa sobrevivência. Mas a pergunta que assusta e intriga pessoas ao redor do mundo é: até quando será assim? Para que nossa espécie sobreviva, é necessário manter o clima em seu estado atual.

» Em vinte anos, precisaremos de um segundo planeta

Muita gente acredita que nós só conseguiremos manter a Terra em boas condições climáticas com a ajuda da tecnologia. Falando mais especificamente, com a ajuda da geoengenharia, que é a ciência que estuda os meios de manipulação do clima através da tecnologia, de forma controlada.

Com as previsões cada vez mais pessimistas sobre o futuro do clima em nosso planeta, surgem diversas propostas para tentar frear o aquecimento global. Mas, enquanto a geoengenharia promete resolver os problemas climáticos do planeta, céticos acreditam que os efeitos colaterais poderiam ser catastróficos.

Quais são os principais objetivos da geoengenharia?

Para manter o clima em seu estado ideal, é necessário manter os polos gelados. E quanto mais carbono é lançado no ar, mais difícil é manter o clima assim.

Também é necessário manter os oceanos alcalinos. Quando há muito carbono na atmosfera, o gás se dissolve nos oceanos, transformando-se em ácido carbônico. Esse fenômeno, chamado de acidificação oceânica, mata diversas criaturas marinhas, que são centrais na cadeia alimentar. Sem eles, muitas espécies poderiam morrer rapidamente.

Portanto, os objetivos principais da geoengenharia são manter o clima frio, diminuir lançamento de carbono no ar e combater a acidificação dos oceanos.

Abaixo, confira dez propostas da geoengenharia para salvar o planeta:

1 – Parar de usar combustíveis fósseis

Essa talvez seja a proposta mais urgente para salvarmos o planeta – e a nossa existência. Se pararmos de usar combustíveis fósseis (que liberam carbono), o clima poderia voltar a se resfriar, embora muito lentamente.

Acredita-se que muitas das mudanças climáticas antigas na Terra foram causadas por gigantescos vulcões que liberaram muitos gases e carbono, que se assemelham aos elementos que lançamos a partir de fábricas e carros atualmente.

Os combustíveis fósseis são usados em larga escala desde a Revolução Industrial, que poderia ser comparada, metaforicamente, com um grande vulcão. Mas será que as empresas vão se propor a parar de emitir poluentes derivados de combustíveis fósseis algum dia?

2 – Tornar as nuvens mais reflexivas

As nuvens são uma importante forma de manter o planeta frio, pois elas refletem a luz de volta para o espaço. Uma ideia da geoengenharia é tornar as nuvens mais reflexivas. Alguns cientistas sugeriram lançar partículas de sulfato, que são altamente reflexivas, nas nuvens.

Entretanto, não existe nenhuma certeza de que essas nuvens “super-reflexivas” poderiam afetar os padrões climáticos. Além disso, essa seria apenas uma solução de curto prazo, pois as nuvens teriam que receber tratamento constante.

3 – Aerossóis estratosféricos

Alguns geoengenheiros creem que tornar as nuvens mais reflexivas não seria a melhor solução. Outra opção seria bombear partículas reflexivas acima da camada de nuvens, na estratosfera. A vantagem é que essas partículas poderiam ficar suspensas na estratosfera por muitos anos. Mas, obviamente, essa seria uma solução de curto prazo também.

4 – Espelho gigante no espaço

Outra ideia maluca é colocar um espelho gigante em órbita para reduzir a incidência de raios solares na superfície terrestre. Isso descartaria a possibilidade de bombardear as nuvens com partículas de sulfeto. Parece ficção científica, não é?

5 – Plantar árvores

Sim, o que todos os ambientalistas do mundo defendem: devemos plantar árvores. Elas são o sistema de filtragem natural da Terra, pois captam o dióxido de carbono e liberam oxigênio. Nossa espécie já desmatou (e desmata) muito. Então, devemos plantar novamente para controlar o clima do planeta.

6 – Maior intemperismo

O intemperismo é um dos sistemas de filtragem natural do planeta. O fenômeno acontece com o desgaste das montanhas com o vento e chuva. As rochas são quebradas com o tempo, e elas puxam o carbono da atmosfera através de um processo químico complexo. Em seguida, as pedras são arrastadas para o fundo do mar, onde “guardam” carbono.

Esse carbono fica armazenado por milhões de anos no fundo do oceano. Alguns cientistas acreditam que seria possível acelerar esse processo, espalhando rochas pré-intemperizadas em vários lugares do planeta. Ao invés do fenômeno demorar milhões de anos, o carbono seria retirado do ar rapidamente.

7 – Fertilização dos oceanos

Uma ideia que surgiu é a de despejar pó de ferro no oceano, que é o alimento preferido das cianobactérias e outras criaturas unicelulares que sugam o dióxido de carbono do ar. Isso já foi tentado algumas vezes, mas não funcionou. As cianobactérias não afundam o suficiente no oceano, e acabam liberando o carbono de volta para a atmosfera.

8 – Diminuir a acidez do oceano

Um dos maiores sumidouros de carbono é o oceano. Mas ele já absorveu tanto carbono que está se tornando ácido e incapaz de absorver mais sem grandes danos. É por isso que os geoengenheiros se perguntam como tornar o oceano menos ácido novamente.

Cientistas acreditam que isso só seria possível com um enorme projeto que incluiria o despejo de grandes quantidades de calcário, silicatos, hidróxidos de cálcio e outras substâncias que induzem a alcalinidade no oceano. Mas isso seria arriscado, pois poderia mudar drasticamente o comportamento marinho.

9 – Purificação do ar

Alguns pesquisadores acreditam que seria possível inventar sistemas de purificação de ar gigantes que puxassem o dióxido de carbono do ar, e depois o bombeassem para grandes cavernas abaixo da superfície da Terra. Sob grande pressão, o dióxido de carbono permaneceria por lá por milhões de anos.

10 – Uso de biocombustível

Quando se queima biocombustível, que é o combustível de origem biológica não fóssil, obtemos energia verde. Muitos defensores do biocombustível apontam que esse processo cria um sistema de sequestro de carbono positivo. Seria possível enterrar o subproduto rico em carbono, resultante da queima de biocombustível, e ainda enriquecer o solo. [io9/Ciência Hoje]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

55 comentários

  • Armistrong:

    Se salvarmos a espécie humana, em seus aspectos morais, e portanto, éticos, em direção a tudo o que nos cerca, estaremos salvando o Planeta Terra, indubitavelmente.

    • Saprugo:

      Então senta e espera fazendo tricô pastor Armistrong-berne, porque o dia em que a humanidade for em sua maioria composta de indivíduos éticos e moralmente corretos, com um convívio pacífico com seus semelhantes e uma relação com os outros seres vivos que não seja o PARASITISMO, as vacas criarão asas (para fugir de nós) e as galinha criarão dentes (para nos morder), e disso nem Darwin duvidaria!!

  • Joelsio Guedes:

    Concordo que a ação do homem está provocando destruição em alguns pontos do planeta, mas segundo o relato de 90 cientistas na Alemanha, a pedido da Angela Merkel a
    Terra esta esfriando e essas mudanças está acontecendo por conta da mudança do pólo magnético do planeta que hoje esta indo na direção Noroeste a 50km por ano o que tb provoca o desnorteamento de algumas espécies que se orientam pelas linhas magnéticas.
    Há muita desinformação e meias verdades por parte da midia.

    • Lucas Noetzold:

      sim, a mídia exagera muito as causas e consequências, o problema existe mas não é tão grande

    • Cesar Grossmann:

      Conversa fiada.

  • D. R.:

    Não devemos nos esquecer do “EFEITO BORBOLETA”! Exceto pelo plantio de árvores, muitos desses experimentos de geoengenharia podem ser extremamente perigosos a longo prazo; podendo causar alterações e danos irreversíveis ao planeta, talvez, até piores do que o aquecimento global.

    Não é à toa que tais experimentos de geoengenharia estão sendo proibidos, até uma análise científica mais profunda das possíveis consequências a longuíssimo prazo.

  • Irineu Santos:

    existe outra forma de controlar o clima, como controlar as precipitações, onde, quando, e na quantidade que se queira,para resfriar o clima e tornar regiões que hoje são hinóspidas e refletivas em áreas verdes, eu saberia como fazer isso funcionar!
    Mas me defronto com o maldito ser humano, egoísta que vai fazer chover só onde ele quiser, no seu pais, ou seu estado deixando o vizinho na sede para desvalorizar a terra, ou por pressão politica, etc. falando de nosso quintal(Brasil) vamos dar um exemplo: tiramos a chuva do sul e mandamos para o nordeste, e ai vale a força da bancada para reter a chuva la! e como ficarão os sulistas?, e o pessoal do gado que quer pastagens? vai ser a guerra interna? imaginem isso entre países. Se tivéssemos um presidente mundial eu arriscaria, mas imaginem como ficariam os países africanos com agricultura farta, quem controlaria a natalidade, visto que falta vontade de educação, e agora que mais da metade dos letrados são muçulmanos e não querem que a população tenha acesso a conhecimento?
    São coisas tão complexas, que eu penso que vou deixar a própria
    natureza dar a resposta, minhas arvores já até plantei, mas é uma pena, sermos a solução e a causa.

  • Gabriella Stadler:

    Alguns disseram que é coisa de ficção científica essas propostas, mas são as soluções. O problema não é o planeta, e sim as pessoas. Nós estamos destruindo a nos mesmos, o planeta vai continuar no sistema solar, independentemente do que aconteça com a espécie humana. Entre as 10 propostas citadas acima, plantar uma árvore é uma ação que qualquer pessoa pode fazer, e causará um impacto muito grande. Se cada pessoa do mundo plantar uma árvore por mês, conseguiremos estender a vida no planeta terra por mais alguns anos. Mas é claro, enquanto houver o desmatamento gigantesco como atualmente, uso excessivo de carros a combustível, a tendência é a nossa extinção chegar mais cedo possível.

  • Lucas Noetzold:

    O problema está mesmo no sistema econômico, que incentiva a competição e o egoísmo a tanto tempo que hoje temos pessoas que tem medo de “serem passadas para trás na vida”, como se tudo fosse um tentando ser melhor que o outro.
    O resultado é um monte (monte mesmo) de gente que não consegue pensar em conjunto (e salvar o mundo) porque têm o lucro como objetivo imediato.
    Todas as tentativas de governo que não se utilizaram do capitalismo, até hoje, resultaram em opressão e miséria, mas isto não significa que sempre será assim. Isto apenas significa que não houve um humano até hoje que conseguiu levar a sério a vida de outros mesmo quando com o poder para melhorar a própria em mãos.
    Nessas horas pareço pessimista, mas não vejo como mudar a forma de pensar de tanta gente no tempo que ainda temos para manter a situação do planeta confortável. Creio que as consequências virão sim e se tivermos sorte os que sobrarem serão mais cientes do que se precisa para conviver como sociedade.

  • Roberto Miranda:

    Tudo isso são ideias sem nenhuma convicção da certeza prática. Uma coisa pode ajudar, mas tb pode causar mais problemas. Isso é imprevisível. Se a humanidade tiver de desaparecer, que desapareça.

  • Paulo Galliza:

    …todas as alternativas são fictícias, mirabolantes! Precisamos de algo mais concreto, realizável e com urgência!

    • Roberto Miranda:

      Não há plano mirabolante, nada vai diminuir o impacto com a demanda demográfica atual.

  • Clara Telis:

    Pelo menos uma coisa todo mundo pode fazer : plantar árvores ,controle de natalidade também tem que ser feito !

    • Roberto Miranda:

      Os danos ambientais já estão em andamento. Logo mais, a amazônia estará desértica. A faixa litorânea será invadida pelo mar e as regiões acima do equador serão savanas. Isso, se o supervulcão não detonar quando a inclinação do eixo da Terra mudar mais de dois graus.

    • jodeja:

      Não se desespere Roberto, o mundo não vai acabar. Já lemos, aqui mesmo, que a Antártica já foi uma floresta tropical, hoje, está coberta de gelo, quem garante que amanhã ela não poderá florir novamente?

    • Roberto Miranda:

      O Mundo não acaba. O Planeta não morre. Quem desaparece são as espécies com mais de 25 quilos.

  • Armistrong:

    De todas as propostas listadas, acima, a que defende o plantio de árvores parece ser a mais lúcida, a mais viável, e a que possui reais condições de produzir impactos, extremamente positivos, nos curto, médio, longo prazos.

    1- Praticamente, todo ser humano é capaz de fazer uma muda, e de plantá-la, em algum lugar;
    2- Municípios com poucos recursos podem investir pequenas somas na construção de viveiros e contar com escolas, voluntários, e funcionários para a produção de mudas;
    3- Estados e Governos Federais podem auxiliar com recursos financeiros, e técnicos;
    4- Associações, cooperativas, e empresas podem construir viveiros, e colaborar com outros já construídos;
    5- Convênios podem ser feitos com instituições de outros países etc.

    Tudo não passa da decisão de darmos o primeiro passo.

    • Saprugo:

      Vamos lá pastor Armistrong-berne, fiz a minha versão de suas 5 propostas para salvar o planeta (ainda que eu seja realista de saber que NUNCA serão colocadas em prática):

      1-Praticamente todo ser humano é capaz de usar uma camisinha;

      2-Municípios com poucos recursos podem investir pequenas somas na formação de equipes de conscientização para informar as famílias sobre planejamento familiar e métodos contraceptivos;

      3-Estados e Governos Federais podem auxiliar com a veiculação de campanhas de mesmo conteúdo na TV aberta, bem como aumentar a distribuição de preservativos e contraceptivos;

      4-Associações, cooperativas e empresas podem criar centros de educação ecológico-ambiental para informar, conscientizar e educar as pessoas em relação aos danos que a superpopulação causam ao meio-ambiente, às outras espécies e ao próprio homem;

      5-Convênios podem ser feitos com instituições de outros países (de preferência DESENVOLVIDOS, pois duvido que a Índia poderia nos ajudar em algo nesse aspecto).

      E realmente, tudo seria questão de darmos o primeiro passo, mas que ninguém dará, pois 99,9% da população humana é composta de bernes indolentes e especistas como você!

      Abraço bernamente fraterno!

  • wagner.dtr:

    Os humanos são muito importantes para desequilibrar o planeta, então devemos transferir a humanidade para um planeta como marte e mantê-la lá a todo custo. KKK

    • Roberto Miranda:

      Isso resolveria o problema. O planeta se recuperaria sozinho se por um período de mil anos a humanidade ficasse longe daqui.

  • Erick da Silva:

    algumas soluçoes sao tao obvias que chega a dar raiva… como pudemos? como resolveremos? eu estou pensando em engenharia mecanica mas acabo de me interessar mais pelo assunto geoengenharia.

    • Saprugo:

      A mais óbvia e que dá muita raiva é o descontrole na reprodução humana, essa é a raiz de todos os problemas, a fonte de todos os males que afligem o planeta e a própria humanidade! O dia em que perceberem que o direito do indivíduo (de ter filhos descontroladamente como uma ratazana) acaba onde começa o direito coletivo (o direito de todos os habitantes do planeta, incluindo todas as espécies, de ter seu espaço e recursos suficientes), pode se pensar em uma solução efetiva, e qualquer coisa que não seja isso tem efeito apenas paliativo. Continuem culpando políticos e governos pelos problemas climáticos, ambientais e sociais da Terra, e não olhem para o próprio umbigo não, para ver onde vamos parar!!!

    • Armistrong:

      Pobre Saprugo!

      Tão absorto em seus princípios egóicos que não percebe o pobre teor de seus comentários.

      Bom menino, preste atenção! Acredito que tu sejas capaz de aprender! Como disse, acredito. Não tenho certezas plenas. Mas, vamos lá.

      A raca humana está inserida em um enorme sistema. E assim sendo, está sujeita às Leis Naturais. A Lei de Entropia, por exemplo, diz que todo sistema tende ao equilíbrio. Ainda que este seja relativo. Mas é um equilíbrio. Portanto, ao contrário do que se pensa, não estamos, ainda, em um ponto, absolutamente, crítico. Podemos corrigir, certamente, para evitarmos situações mais desconfortáveis.

      De início, uma vez que você demonstra tanto apreço pela raça humana, por que você não pensa em algumas propostas factíveis para que ela cresça, de maneira sustentável?

      Está provado, cientificamente, e através de vários censos, em todo o mundo, que a Educação tende a fazer com que os casais se reproduzam menos. Isso dispensaria um controle de natalidade planejado, e executado pelo governo. Algo que não deixa de ser uma intromissão no livre arbítrio das pessoas.

      Responda, por exemplo, e por gentileza, o que você, na condição de indivíduo consciente, e preocupado, está fazendo, de modo efetivo, para contribuir com a raça humana!

      Abraço fraterno!

    • Saprugo:

      Para começar “sábio” Armistrong, pobre é o seu “raciosímio” de achar que o planeta comporta 25 bilhões de pessoas, só um desmiolado para fazer uma afirmação descabida dessas nos dias atuais!! Quanto a “aprender”, apesar de eu ter quase certeza de que sou mais velho do que você, se for para assimilar esse teu conceito “crescei e multiplicai-vos” inconsequente de pastor evangélico, muito obrigado, fico com meus pensamentos “egóicos” mesmo!! E a Lei da Entropia, essa foi demais, KKKKKK… então deveríamos agir feito um bando de moléculas inanimadas e ficar aguardando o equilíbrio??? Pois se o homem pensa e tem consciência, isso deveria servir justamente para não ficar dependendo da Entropia para ajustar e regular, sabe lá quando, suas burradas reprodutivas em relação ao planeta e ao meio ambiente, que resultaram nos 7 bilhões atuais que estão dizimando ecossistemas e espécies da fauna e flora diariamente!! Fique aí esperando sentado, com seu otimismo ilusório, acontecer o milagre de os políticos e empresários criarem consciência e implantarem educação de qualidade para todos e repartir recursos igualitariamente. Essas pessoas que detém o poder de realizar tal mudança, são e serão sempre apenas seres egoístas, querendo garantir a opulência de seus descendentes e colaboradores. Agora quero saber onde você deduziu em meus comentários que tenho apreço pela raça humana… em nenhum momento afirmei isso, e realmente não o tenho, justamente pela maior fatia do bolo ser podre e agir como uma praga de gafanhotos se reproduzindo descontroladamente e consumindo tudo por onde passam. Infelizmente estou inserido nesse maldito sistema, não tenho como mudar ele ou fugir, mas nem por isso sou obrigado a achar que ele está certo. Tenho apreço sim é pelo planeta Terra, pela natureza, pela fauna, pela flora! O homem é apenas uma engrenagem de uma máquina maior que inclui a biosfera e o meio-ambiente de um planeta inteiro, e infelizmente ele não está vendo que eliminando incessantemente várias dessa outras “engrenagens”, ele está destruindo essa máquina aos poucos, e cavando a própria cova. E para responder sua última pergunta e terminar essa conversa, vou falar o que estou fazendo para contribuir, não com a raça humana, ainda que eu o faça indiretamente, mas pela natureza e por mim mesmo: não tenho e não vou ter filhos.

  • Valdeir:

    Já estão pulverizando a nossa atmosfera. Veja no youtube
    chemitrails.
    Eu e e outras pessoas em Floripa tem observado aviões voando bem alto pulverizando algo muito estranho.
    Percebe-se que o rastro desses aviões não são aqueles deixados normalmente pelas turbinas. Os rastros não desvanecem. E logo o avião volta e faz 5 ou seis riscos no céu numa direção. Depois os rastros são feitos quase que ortogonalmente e assim se cria um desenho parecendo um tabuleiro de xadrez.
    O céu deixa de ter aquele azul daqui de floripa e começa a ficar esbranquiçado, e não é nuvem, é algo parecendo fumaça e poeira. E fica assim pelo resto do dia. No outro dia sempre se sabe de notícias sobre granizo e não divulgado pelos noticiários.
    Tem se observado em terras de produtores orgânicos estranhas contaminações do terreno com alumínio e bario em várias partes do globo e agua de geleiras com contaminaçoes de alumínio 60.000 vezes o admitido para consumo humano.

    • Cesar Grossmann:

      A hipótese de pulverização por chemtrails é ridícula. Para fazer pulverização de uma substância na atmosfera um avião é muito pouco, e ele vai ter que largar bem mais que o que tem no tanque de combustíveis. O pessoal tem uma boa ideia, mas esquece de fazer as contas e logo acha que o que pensaram é fato… Tem que fazer o “tema de casa”…

    • Valdeir:

      Não é um, nem dois, são muitos.
      Os químicos não são postos nas asas, mas no interior das aeronaves, procure imagens de grandes aviões alterados para este fim.
      Eu só fui pesquisar depois de ter visto rastros e são muito estranhos. Eu sou ficcionado por aviões e conheço um pouquinho de aviação e com certeza não é fumaça de querosene com condensação de agua é muito mais.

    • Anibal Vilela:

      Essa fumaça que você tem visto sobre Florianópolis, deve ser a maconha que os argentinos estão fumando aí no litoral.
      Essa fumaça não está lhe fazendo bem.

    • Valdeir:

      Hehe Essa foi dez Anibal.

      Quando pulverizam, no outro dia se vê o resultado nos parabrisas do carro que estava limpo. Aparece coberto por algo que o deixa embassado.

      Tem que lavar antes de sair, ficam parecendo engraxados e com pó ao mesmo tempo. Muito louco.

  • Robson:

    Tem uma bem simples. Controle de natalidade…
    Já passamos dos 7 bilhões, não há planeta que aguente.

    • Armistrong:

      A proposta de controle de natalidade é bastante egoista. Tenta impedir que todos aqueles que estão por vir, não o façam. Mas, dificilmente, ouvimos uma proposta de suicídio coletivo partindo dos que defendem o controle de natalidade. Não que eu fosse concordar com outra proposta, igualmente, absurda. Digo isso para tentar fazer com que todos vejam que o problema populacional não é de ordem natalícia, mas redunda da má distribuição de renda, trabalho, emprego, planejamento dos processos produtivos, em bases mais orgânicas etc etc etc.

    • Saprugo:

      Egoismo é querer perpetuar seus genes para consumir recursos de um planeta que, se ainda ninguém percebeu, tem área física e recursos finitos. Controle de natalidade é muito diferente de suicídio: acabar com a vida de quem já nasceu é uma coisa, impedir a reprodução de quem mal tem condições de se sustentar e ainda quer ter 10 filhos (que ainda nem foram concebidos) é outra, e precisa ser muito ingênuo, para não usar outra palavra, para não perceber isso! Sua solução, a distribuição de renda (que acredito que seja mais difícil de implantar do que o controle de natalidade, tendo em vista a ganância da cultura capitalista), daria um fôlego momentâneo para o problema, mas inevitavelmente esbarraria, futuramente, nos limites de espaço físico e de recursos naturais do planeta, enquanto o controle de natalidade, se bem planejado e executado, garantiria uma vida melhor para todos indefinidamente. É uma questão de lógica, mas que infelizmente o especismo, a religião e mesmo o egoísmo e ignorância da maioria da espécie humana, impedem a maioria de entender e aceitar!

    • Armistrong:

      Está provado com dados de pesquisa da FAO que o planeta produz mais de cinco vezes o que precisa para comer. Fica claro, então, que alguém está concentrando estoques no intuito de fazer os preços subirem. As bolsas de valores são um testemunho “vivo”, claro, e direto, do que estamos falando. Gêneros alimentícios são produzidos por motivações capitalistas. Dificilmente, por questões sociais, humanitárias ou aspectos semelhantes.

    • Saprugo:

      Ah, a teoria da conspiração, é lógico!! É melhor culpar ela e continuar se reproduzindo, esperando a ganância do ser humano sumir por milagre, e todos dividirem por igual o que tém!! 7 bilhões é pouco, vamos ver se chegamos a 20 bilhões, aí vocês vão ver o que é miséria!!

    • Armistrong:

      Pobre menino, permita-me aumentar, um pouco, as vossas preocupações!

      Se você, e outros, estão achando muito os 7 bilhões de habitantes, no planeta Terra, deixem-me dizer-lhes que a Terra está programada para receber algo em torno de 25 bilhões de seres humanos. O problema não está na reprodução. Ele reside na má distribuição de renda, na concentração de riquezas, no processo educacional equivocado, e em vários outros equívocos de ordem cultural, social, econômica etc.

      Não há nenhuma conspiração, menino! O que há são interesses corporativistas.

    • Saprugo:

      Esse pobre e ignorante menino aquí então pergunta ao “sábio” Armistrong: quando e como você espera que os que nos governam, diga-se os políticos e mega-empresários, vão se arrepender de seu comportamento egoísta e promover esse conto-de-fadas da distribuição de renda por igual, da educação de qualidade para todos, etc. e tal??? Devemos então esperar pelo seu conto-de-fadas e continuar nos multiplicando como baratas?? E não esqueça de falar quem programou a Terra para comportar 25 bilhões de pessoas, (deus não vale, KKKKK) pois esse projetista deve ter esquecido de um dos princípios fundamentais da Física: “dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço”, a não ser que esses outros 18 bilhões de pessoas sejam feitos apenas de neutrinos.

    • Saprugo:

      Ah, esquecí de mencionar que você está apenas falando sobre a (im)provável qualidade de vida desses 25 bilhões de pessoas, e parece estar pouco se lixando para a natureza, o meio-ambiente, a fauna e a flora, que serão esfoladas e dizimadas por essa praga de 25 bilhões de gafanhotos com cérebro de primata. Ou você acredita que, além de os políticos e empresários terem uma crise de consciência, todos esses 25 bilhões de pessoas serão amantes e defensores da natureza, protegendo e conservando os ecossistemas?? KKKKK,vc me faz rir mesmo!!! Depois eu é que sou menino, isso é de uma ingenuidade quase acéfala, KKKKK…

    • Robson:

      E é essa mesma raça egoísta e gananciosa que você quer perpetuar.
      Eu há muito já perdi a esperença na humanidade. Minha idéia de controle de natalidade seria para num futuro distante a raça humana deixar de existir por completo.
      Enquanto existirmos sempre haverá injustiça, desigualdade, guerra, fome…
      Não falo nem pelo planeta, que importancia tem se o planeta vai ter ou não condição de abrigar a vida? A Terra é só um cisco frente ao universo, só tenho pena dos que continuam nascendo pois tudo que os aguarda é dor e sofrimento.

    • Saprugo:

      Pois é Robson, o Armistrong é um desses malucos adoradores da perpetuação da praga humana. Acho que, mesmo com os 7 bi atuais, ele tem medo que o homem entre na lista de espécies ameaçadas de extinção! Se dependesse dele, o Homo Sapiens passaria a ter 4 alternativas à reprodução sexuada (e todas ao mesmo tempo): brotamento, regeneração, bipartição e partenogênese, além da geração espontânea para dar uma “forcinha”, o que elevaria, em 10 anos, a população do planeta de “escassos” sete bilhões para “modestos” 1,64 setilhões de indivíduos. É claro que nesse ponto não teríamos mais um planeta, e sim uma bola de carne humana com o diâmetro da Terra, mas aí então ele poderia descansar ao fim de um cansativo dia de brotamentos, partos, regenerações, bipartições, e pensar: “agora sim, que maravilha!! Com esses zilhões de genes espalhados vou viver eternamente!!” KKKKKKKKKK!!!! É o mesmo instinto desesperado da mosca (homem?), que enche a carcaça de um animal em putrefação (Terra?) de ovos (gravidez?), para a mesma fervilhar mais tarde em milhares de larvas (crianças?), se contorcendo e brigando por espaço e alimento, tornando-se depois uma pupa (adolescentes?), e então uma mosca adulta (homem de novo? KKKKKKKK!!), pronta para repetir indefinidamente este processo (círculo vicioso?). Acho (mas não duvido) que não estarei aqui para ver, mas quando a carne dessa carcaça acabar, ai do bicho-mosca-homem!!! Vai ter que dar um jeito de botar seus ovos em outros pobres planetas-carcaça!!!

    • Roberto Miranda:

      Isto devia ter sido implantado na década de 70, agora, fazer sumir 3 bilhões de pessoas é algo muito perverso. A resposta veio tardia.

    • Saprugo:

      Com certeza não precisamos fazer sumir 3 bilhões de pessoas, não somos eternos e um dia esses 3 bi não estarão vivos. Nunca é tarde para implantar um programa de controle de natalidade, ou teremos em 2042, com uma população de 10 bilhões de pessoas, comentários assim nos fórums: “Isto devia ter sido implantado na década de 10, agora, fazer sumir 3 bilhões de pessoas é algo muito perverso. A resposta veio tardia”, e assim sucessivamente.

    • Roberto Miranda:

      Vendo nossa historia, a resposta veio a tempo, em 1937. A Segunda Guerra Mundial foi um aviso.

    • Cesar Grossmann:

      O controle de natalidade acontece naturalmente. Conforme melhoram as condições de vida das pessoas, elas começam a ter menos filhos. E não é só isto, mas elas passam a adotar tecnologias menos poluidoras. Por exemplo, a agricultura e indústria são muito mais defasados tecnologicamente e mais poluidoras em países mais pobres.

      Basta criar condições para que todos melhorem de vida.

    • Armistrong:

      Exatamente, Cesar!

      Os que defendem o controle de natalidade são tão, ou mais, egoistas quanto os que defendem a eutanásia, por exemplo.

    • Armistrong:

      O planeta foi “pensado” para 25 bilhões. Sete bilhões é só um bom início. Por isso que temos a Ciência, a Filosofia, e a Moral para nos ajudarem a organizar as coisas, em sentido amplo, para um boa convivência entre nós, e os demais seres vivos, e minerais.

    • Saprugo:

      Armistrong, 7 bilhões é só um bom início para o nosso fim!!! E dá para ver mesmo como as coisas estão organizadas nesse mundo né? E a convivência do homem com os demais seres vivos então??? Nossa, está maravilhosa!!! Eu tenho um nome para essa relação: PARASITISMO, que se você não conhece o significado eu te explico: é toda a relação entre dois seres vivos onde apenas uma espécie leva vantagem, prejudicando a outra (ou TODAS AS OUTRAS no caso do homem). Vá Armistrong-berne, continue botando suas larvas nas feridas da Terra, e aplaudindo, com seu otimismo alienado, os outros bilhões de larvas que se contorcem em nosso planeta infestado.

  • Rone Firmino:

    O JHR está certo quem precisa ser salvo é a raça humana. Moramos em cidades apinhadas de pessoas, concreto, asfalto, uma chuvinha e quase morremos afogados! Animais que são irracionais por acaso fazem isso? Será que já ouvimos falar de bichos que constroem suas ” cidades” e moram literalmente uns em cima dos outros e são mortos por enchentes, secas etc…? Há espaço mais do que suficiente no mundo para as pessoas. Se uns 90 % abandonassem as grandes cidades e fossem contruem outras pequenas e auto-sustentáveis em areas desabitadas já seria um bom começo. O argumento de que falta espaço no Mundo, é furado. Não tem como esconder isso, principalmente depois da divulgação ampla de fotos de sátelites por programas como o googlearth e sites em geral. Isso traria um impacto enorme no clima. Menos veiculos circulando e tudo MENOS para castigar o planeta. Junto com isso, replantanto os milhões de arvores destruidas pelo desenfreado progresso humano. Em 20, no maximo 30 anos. já haveria resultados imensos. É claro junto com o uso em larga escala de enegia solar, éolica e outras não poluidoras. Parece utopia e é. Nem se fosse concedido mais 100 anos á humanidade para ” tentar” fazer isso, pois a grande maioria do seres humanos individulmente e como nações, não aprovariam a idéia. A ganancia e o egoismo venceriam a lógica da tentativa de “auto-salvação”. Somente por Deus, é que mudanças assim IRÃO OCORRER.

  • JHR:

    Hummm….analisandos os fatos creio que quem precisa ser salvo é a espécie humana, não o planeta.

    • Cesar Grossmann:

      Tem um vídeo do… Carly? Bom, não lembro do cara, mas ele aponta que “vamos salvar o planeta” é uma frase arrogante e errada. Não vamos salvar planeta algum. Vamos salvar é a nossa espécie.

      O planeta já tem 4,5 bilhões de anos. E vai ficar por aqui mais uns 4 a 5 bilhões de anos, pelo menos. Nada que façamos ou deixemos de fazer vai mudar isto, não temos poder para isto.

      Agora, salvar a nossa espécie, isto sim. Tentar manter o equilíbrio no planeta a nosso favor, isto sim.

  • Lucas Noetzold:

    Item 2: isso iria gerar mudanças climáticas drásticas e localizadas.
    Creio que a melhor solução é investir em projetos (já existem alguns) para modificações genéticas da flora, árvores podem armazenar muito mais carbono do que já armazenam.

    • Roberto Miranda:

      Tudo o que fizermos terá impacto depois, o que não pensamos antes de colocar em prática. Mas tenho certeza de que, nessa altura, nada vai adiantar.

    • Lucas Noetzold:

      Andei estudando algum tempo atrás sobre aquecimento global, poluição, etc. Cheguei a conclusão muito concreta que o principal problema do mundo nem é a emissão de poluentes na atmosfera, mas sim todo o lixo e poluentes lançados no oceano.
      Por que isso? Apesar de este estar mais acentuado, a Terra passa por ciclos de aquecimento global de tempos em tempos, e a alteração atual nem é tanta como alarmam. O problema é que: quem sempre resfriava o planeta, absorvendo gases, eram os oceanos, e atualmente eles tem muito menos capacidade de absorção devido a acidez e incerção de metais, fatores que diminuem a capacidade de absçorção de gases e mantimento de temperatura.
      Isso sim é algo que nunca aconteceu antes e não sabemos o que esperar.

    • Roberto Miranda:

      Concordo. A poluição não é só atmosférica. Os resíduos no mar e em afluentes pluviais já alarmavam nos anos 70.

    • Gabriella Stadler:

      Concordo totalmente! O máximo que conseguiremos com isso é estender em uns 5 anos no máximo a extinção humana, mas salvar as futuras gerações não é uma garantia mais…

    • Roberto Miranda:

      Se nossas futuras gerações sobreviverem e se adaptarem já será motivo para nos alegrarmos porque o mundo do futuro será tão sinistro quanto o mais vil ambiente do sistema solar.

Deixe seu comentário!