Idade, gênero e posição social afetam sucesso em parar de fumar

Por , em 2.06.2011

Segundo um novo estudo, não é todo mundo que consegue parar de fumar; existem diferenças significativas de sucesso a longo prazo em grupos específicos.

E o que afeta essa taxa de sucesso? Aparentemente, onde você mora, quantos anos você tem e se você é homem ou mulher.

A pesquisa, uma revisão de estudos publicados entre 1990 e 2007, queria estabelecer as taxas de sucesso na cessação do tabagismo (baseado em pessoas que procuraram programas de ajuda para parar de fumar).

Os resultados demonstram que os fumantes mais velhos são mais propensos do que os jovens a largar o cigarro (e não voltar), alguns homens parecem ter mais sucesso do que as mulheres, apesar do fato de que mais mulheres buscam ajuda, e pessoas mais desfavorecidas têm mais dificuldade em deixar de fumar.

Pesquisas internacionais já haviam sugerido que as mulheres são mais motivadas a largar o cigarro, mas os homens são mais propensos a ter sucesso.

Segundo os estudiosos, vários fatores parecem explicar as menores taxas de sucesso das mulheres, como a baixa confiança em conseguir parar de fumar, a inter-relação entre gênero e privação, e as diferenças no significado e papel do tabaco na vida de homens e mulheres.

Os pesquisadores também apontaram que as mulheres grávidas e os grupos mais desfavorecidos enfrentam desafios específicos quando se trata de parar de fumar. Fumantes grávidas que se inscrevem em programas de ajuda podem simplesmente suspender o tabagismo durante a gravidez, ao invés de parar completamente.

Essas fumantes são mais propensas a serem empregadas que fazem turnos, ou trabalhos manuais, e podem enfrentar múltiplos obstáculos que tornam largar o cigarro mais difícil, a longo prazo.

Há dificuldades semelhantes para os fumantes de áreas mais carentes, onde o tabagismo é mais prevalente. Em alguns casos, o tabagismo é muitas vezes entendido como a norma da região (o que dificulta seu abandonamento).

Enquanto as taxas de abandono são menores nas zonas mais desfavorecidas (52,6% contra 57,9% em outros lugares), a proporção de fumantes dessas áreas que procura ajuda é maior (16,7% contra 13,4%). Ou seja, no final das contas, o efeito líquido pode significar que uma maior proporção de fumantes relata sucesso em zonas menos favorecidas (8,8%) do que em áreas mais favorecidas (7,8%).

O Reino Unido é o único país do mundo que tem um serviço amplo e gratuito de apoio a quem quer parar de fumar.
Porém, levando em conta a descoberta da nova pesquisa, será que esses serviços funcionam? Por exemplo, já que gênero, etnia, classe, idade e nível de dependência afetam o sucesso no abandono do tabagismo, intervenções sob medida poderiam ajudar a melhorar essa taxa.

No caso de gestantes, estudos sugerem que o tratamento mais eficaz inclui formação sistemática de médicos para fazer parto em fumantes, visitas domiciliares flexíveis e tratamentos intensivos com várias sessões feitos por um pequeno número de funcionários dedicados.

Para que o governo atinja metas de saúde em relação ao cigarro, é necessário o desenvolvimento de intervenções inovadoras para grupos específicos de fumantes, e o reconhecimento de que a política de controle do tabaco terá de levar em conta os desafios que cada grupo enfrenta quando tenta parar de fumar.[ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

4 comentários

  • Maurício Alonso:

    Motivado pelos três comentários anteriores ao meu, resolvi falar um pouco tb. Sou fumante inveterado desde os 19, hoje possuo 56, fumo a bagatela de três maços diários. Nada bonito de se dizer mas é a realidade. Penso muitas vezes em parar, mas o problema meu, é a falta de “Força de vontade”. Sei dos malefícios e sinto na carne, mas o prazer é grande. Acho porém que deveria haver uma política pública mais empenhada e séria a respeito desta praga disseminada indiscriminadamente há tanto.Em caráter compensatório ao menos por anos afim de incentivo imoral à prática do tabagismo. Hoje sinto-me enganado e abandonado. Perdidamente vítima do meu próprio vício. Pensando utópicamente falando numa solução mágica para deixar o mesmo. Já pensei se fosse possível, em me internar e ser posto em coma induzido por 30 dias ou mais e quando fosse reanimado já estivesse desintoxicado e livre desse martírio, já pensei tb num tipo de Lobotomia e até em hipnose. E outras “cositas” mais… Bem, sei que não tenho força de vontade e daí? Por isso estarei condenado para sempre à este vício? Governantes! Respondam-me no que pensam para casos como este!
    obs: Fumei 4 cigarros no decorrer da leitura e comentário deste artigo. Pois é…

  • Marte:

    Para quem quer parar de fumar deixo uma boa notícia: é fácil.

    Sim, os 3 primeiros dias sem o cigarro poderão parecer intermináveis e martirizantes até, mas nada que não possa ser superado. Tenha certeza disso.

    Qual é o segredo? Engane-se.

    Primeiro: o mais importante é tomar a decisão de largar o cigarro, isso é o básico. Após a decisão, toda vez que você sentir a vontade de acender um cigarro, protele por 1 hora. Se a vontade persistir após essa hora, enrole-se por mais uma. Continue assim, se engando, até o final do terceiro dia. GARANTO que no quarto dia sem o cigarro você se perguntará por que não venceu o hábito antes.

    Funciona sim. Acredite.

    Mas mantenha-se arisco: ao completar 30 dias sem o cigarro, tome cuidado, pode rolar uma recaída. Mas não entre nessa. Mantenha a convicção. No trigéssimo segundo dia você estará livre do hábito para todo o sempre.

    E se você está lendo essas dicas e não é fumante, e principalmente um detrator do cigarro, deixo um adendo: fumar é prejudicial à saúde física, mas os benefícios emocionais de um cigarro num momento de tensão, por exemplo, são também incontestáveis. A dica para você é: não seja um não-fumante chato, isso é pior do que o vício.

    Em outras palavras, fumar é danoso (ao físico), mas é bom pra dedéu (ao psico). Para uma vida saudável, sem o risco das doenças que o tabagismo pode trazer, mantenha-se firme na sua decisão. É mole, nada supera a vontade humana, nem a nicotina.

  • Mariley:

    Fui fumante dos 13 aos 47 anos. Considerando que aprendi a tragar a fumaça aos 13 e que desde então, passei a ter sempre comigo um maço de cigarro. Fumava em torno de 3 carteiras por dia. Era tão dependente que acordava durante a nóite para fumar. Odiava o estrago que o cigarro estava fazendo em minha vida, mas cada vez que falava em parar, fumava mais ainda. Foi terrível largar o vício, tinha crises de agonia, ansiedade, choro, tontura, insônia, foi terrível. Tomei antidepressivo, remédio para ansiedade e para dormir, mas tenho muita fé, e cada vez que um destes sintomas aparecia, eu pegava o maço de cigarro e dizia para ele (cigarro)todos os versículos bíblicos que me fortaleciam a confiança em Deus.
    O que acontece com o Eduardo, acontece comigo, já faz 9 anos que deixei de fumar, mas continuo tendo vontade de fumar, porém minha felicidade de estar limpa, sem ter aquele cheiro horrível é maior.

  • eduardo:

    Não penso q parar de fumar seja tão difícil assim… eu fumava de 2 à 3 por dia… coisa pra caramba, né?
    Mas um belo dia falei pra mim mesmo q deveria parar de fumar… então, simplesmente parei…
    Não é q tenha sido tão fácil tb… mas é bem menos complicado quanto a maioria diz…
    Porém, até hj eu sonho q estou fumando… tenho vontade sempre q vejo um amigo ao meu lado fumar… mas, sinceramente, a minha força de vontade é tão grande q logo subtraio a idéia de voltar com o vício…

    Kerem parar de fumar? arrumem alguma atividade física… principalmente musculação e/ou artes marciais…

Deixe seu comentário!