Intimidação: Maior loja de MP3 na internet pressiona gravadoras

Por , em 3.02.2009

Mês passado a Apple se reuniu com as gravadoras para estipular o preço que as músicas teriam no iTunes – loja online de músicas da empresa. Foi decidido que as gravadoras não cobrariam seus direitos de copyright se os preços das músicas fossem variáveis e flexíveis (novas músicas, ou músicas mais populares, seriam mais caras do que as outras). E, de acordo com relatos, todos saíram da reunião concordando com a idéia.

Mas, aparentemente, a relação entre o iTunes e as gravadoras não está tão bem quanto aparentava. Segundo uma das empresas do ramo envolvida nas negociações, o objetivo da Apple é assegurar que músicas sejam distribuídas através do iPhone. Além disso, discussões sobre quando vão ocorrer as mudanças na loja resultaram em uma discussão entre o diretor executivo da Apple naquele momento, Steve Jobs, e o diretor da Sony Music, Rolf Schmidt-Holtz.

De acordo com rumores na indústria musical, o tom que “Mr. Jobs” usou na conversa é digno de preocupação. Suas táticas de barganha já são conhecidas e, também, temidas, já que o iTunes, por ser líder do ramo, tem o poder de pressionar as gravadoras.

Segundo executivos que preferiram se manter anônimos, para não provocar a Apple (é claro), as negociações são feitas através do poder do temor. As gravadoras tem medo que todos seus produtos sejam removidos do iTunes por causa de um mero desentendimento (embora isso nunca tenha acontecido antes).

O diretor executivo da Apple, recentemente, se afastou por um tempo de suas funções por motivos de saúde.

Enquanto os motivos que levaram Mr. Jobs a fazer tal declaração levantam suspeitas em relação às atitudes que o iTunes pode tomar, gravadoras declaram que têm fé em um futuro no qual a loja não seja tão dominante. Uma idéia levantada foi a possibilidade de interessados pagarem uma taxa mensal para ouvirem uma grande gama de músicas, como assinatura de TV a cabo, e não pagar por cada música que baixam.

Mesmo com o afastamento de Mr. Jobs, as gravadoras continuam preocupadas e com medo de negociar com a Apple. Com o iTunes eles tem a maior ferramenta online para promover músicas. E o atual encarregado das negociações do site, Eddie Cue, vice-presidente da loja, é conhecido por seguir o mesmo estilo de barganha de seu antecessor. [NY Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • jordano santos cerqueira:

    Manda quem pode… Obedece quem tem juizo! A RIA ta acordando tarde de mais para a venda da musica de forma digital. E esta pagando caro por isto… Se a música não fosse algo tão sublime e prazeroso concerteza já teriam quebrado a muito tempo…AUHAUAHU Morte a RIA! Mudanças nas lei audiovisuais brasileiras… O povo merece isto senhores. Igualdade é assim!

Deixe seu comentário!