Fios não decapitam: 5 mortes em filmes impossíveis na vida real

Por , em 25.08.2017

Alguns filmes falam da própria essência da existência humana. Outros, mesmo que não tenham nenhuma profundidade, podem ser divertidos e nos ensinar alguma coisa – nem que seja várias maneiras diferentes de matar um vilão. Às vezes, é claro, os produtores, diretores e roteiristas vão longe demais em nome da diversão e acabam apresentando métodos de assassinato que simplesmente não funcionariam na vida real – por mais plásticos e sanguinolentos que possam parecer na tela do cinema. Você com certeza achou as mortes abaixo eletrizantes, mas se essas cenas acontecessem na vida real, as coisas não aconteceriam da mesma forma

5. Você não pode congelar alguém com nitrogênio líquido e muito menos destruir a pessoa em vários pedacinhos

Segundo os filmes, o nitrogênio líquido é a coisa mais fria do Universo. Se ele entrar em contato com você, você vira um picolé humano. Pior: se você for atingido enquanto estiver congelado, você vai ser destruído em um milhão de pedacinhos.

Veja quão reais são os filmes baseados em fatos reais

Exemplos não faltam. Christian Slater é congelado por nitrogênio líquido até a morte em Caçadores de Mentes. Jason usa o mesmo elemento para destruir a cabeça de uma mulher em Jason X. O nitrogênio líquido é tão perigoso que até consegue parar, pelo menos por alguns instantes, o exterminador T-1000 na clássica cena de O Exterminador do Futuro 2.

Por que não funcionaria?

O nitrogênio é definitivamente perigoso. Se você se deparar com um vazamento de nitrogênio, fique longe. Mas ele não é tão perigoso quanto os filmes querem que você acredite. Se você entrar brevemente em contato com o gás, você vai sentir um pouco de frio enquanto pode se afastar calmamente dele. Quanto ao líquido, bem, aqui está um cara jogando copos dele em seu próprio rosto para se divertir e provar que ele não é instantaneamente mortal:

Algumas empresas inclusive usam nitrogênio em câmaras frias como uma forma de “terapia rejuvenescedora” ou algo do tipo.

4. Você não pode simplesmente atirar em explosivos para fazê-los explodir

Se você já jogou algum jogo de ação, é praticamente um movimento automático atirar em algum barril vermelho que esteja no caminho para que ele exploda e prejudique o inimigo.

Em Velozes e Furiosos 7, Vin Diesel pega uma bolsa cheia de granadas e coloca no helicóptero dos bandidos. Então, The Rock atira na bolsa e tudo explode em uma gloriosa bola laranja da morte.

Em Hora do Rush, Chris Tucker põe em perigo inúmeras vidas disparando violentamente no trânsito contra um carro com C4 no porta-malas, que explode monumentalmente. Tudo muito bonito, exceto que isso não faz o menor sentido.

Por que não funcionaria?

Granadas são mais do que pequenas bolas de metal cheias de explosões. Elas contêm uma cadeia complexa de recursos destinados a fazê-las explodir quando a pessoa que as joga pretende, e não em qualquer outro momento. Liberar o pino de segurança desencadeia o detonador, que por suas vez atinge a tampa do percussor e cria uma faísca. A faísca acende o fusível, que queima por alguns segundos até que ele, por sua vez, acenda uma pequena quantidade de fluido detonante. Isso dispara, criando uma explosão muito pequena, que então desencadeia todo o material explosivo dentro da granada, chamado de Composição B.

10 filmes com citações que nos ensinam lições importantes

Atirar em uma granada até poderia ser uma boa ideia, considerando que isso poderia ignorar a maioria desses passos e inflamar a Composição B com a energia cinética da própria bala, mas tem um porém. A Composição B é uma mistura de TNT e RDX, dois explosivos usados ​​pelos militares especificamente porque o risco de detonação acidental é baixo. Na verdade, o RDX é especificamente declarado como não afetado pelo fogo de armas pequenas. Atirar com um revólver em uma granada provavelmente prejudicaria o mecanismo da explosão e a tornaria inútil.

Obviamente, o programa Mythbusters fez esse teste por nós. Uma bala de arma de fogo, na verdade, destrói a granada, enquanto um tiro de espingarda transforma-a em um pó inerte:

Mas e o C4, o primo chique da granada? Não muda muita coisa. Ele é tão estável que também pode suportar disparos. Na verdade, ele pode ser literalmente incendiado e ainda não explodir:

É por isso que agentes da lei podem abrir fogo contra pessoas com bombas – há poucas chances de que as bombas explodam, a menos que você acidentalmente atinja uma pequena parte do detonador.

3. Você não pode cortar a cabeça de alguém com um fio

Nos filmes, o corpo humano possui a integridade estrutural de um pêssego maduro. Você é um assassino em série tentando matar os adolescentes que estão em uma cabana e ainda conseguir chegar o recital da escola da sua filha ainda esta noite? Bem, uma maneira rápida de desconectar algumas cabeças de alguns corpos é amarrar um fio fino na altura do pescoço deles. Vítimas tentando correr pela porta da frente em direção à segurança? Não sem suas cabeças. Tentando escapar da propriedade em motocicletas de neve convenientemente localizadas? Não com um fio atravessado na estrada.

Até o especialista em mortes de bandidos, o policial John McClane, o personagem de Bruce Willis em Duro de Matar 3: A Vingança, usa desse artifício, quando usa um fio industrial para cortar um indivíduo ao meio, mesmo que não esteja se movendo tão rápido assim.

(Mais) 5 mortes frequentes em filmes que são impossíveis cientificamente

Por que não funcionaria?

De acordo com o astrofísico Alex Howe, que escreveu sobre o assunto em seu site, um fio fino não pode cortar um corpo humano a essas velocidades. Se ele é fino o suficiente para cortar, é fraco demais para romper um corpo. Se é grosso o suficiente para isso, só irá derrubar a pessoa para trás, podendo machucar, mas não cortar o corpo dela ao meio ou separar seu pescoço do resto do corpo.

“Mas e quanto à moto da neve?” Você pode se perguntar. Bem, todos nós já ouvimos falar de histórias de motociclistas que cortaram o pescoço severamente por causa de um fio de raia (ou pipa, papagaio, etc, dependendo de que região do país você é), mas isso geralmente acontece porque os fios estão cobertos de cerol.

O máximo que um fio no meio da estrada faria seria jogar alguém tentando escapar em uma moto de neve para trás e a pessoa só morreria se batesse a cabeça ou algo do tipo. Se você é aquele serial killer que pretende fazer as coisas rápido para passar um tempo com a família, talvez essa não seja a melhor opção.

2. Você não pode bater no nariz de alguém para que ele entre no cérebro da pessoa

Os heróis de ação sabem que o nariz é o ponto fraco do rosto. Você pode acabar instantaneamente com qualquer adversário dando um soco rápido para cima em seu nariz. Isso fará com que o osso (?) do nariz atinja o cérebro dele, matando-o na hora. Bruce Willis faz isso em O Último Boy Scout – Jogo de Vingança, filme de 1991. Henry Winkler ameaça um homem com isso em Heroes (filme de 1977, não a série de TV). Nicolas Cage faz isso sem sequer em Con Air, então não tem como não dar certo.

Por que não funcionaria?

Espera, osso do nariz?

Você está vendo o grande buraco onde seu nariz deveria estar no crânio acima? Esse buraco está aí porque nosso nariz é feito quase totalmente de cartilagem. Não há uma coluna de osso duro para entrar em seu cérebro como uma faca. Só há cartilagem amolecida. Há somente um pequeno pedaço de osso no topo.

Mas bom, digamos que você levou um soco tão forte que o pequeno pedaço de osso no topo do seu nariz se afunilou e partiu em direção ao seu cérebro. Não há caminhos suficientemente grandes para permitir que os fragmentos de osso viajem de seu nariz até o seu cérebro – eles seriam interrompidos por outras partes do seu crânio. Como sabemos, a proteção do cérebro é basicamente o ponto de se ter um crânio.

1. Você não seria devorado vivo por piranhas

As piranhas são basicamente velociraptores aquáticos. Um cardume sanguinolento destes monstros irá limpar a carne dos seus ossos em 30 segundos. Aconteceu em Com 007 só se Vive Duas Vezes e, na verdade, há toda uma série de terror que teve início em 2010 baseada em quão sanguinários são esses peixes.

Por que não funcionaria?

As piranhas são, de fato, basicamente velociraptores aquáticos – considerando que ambos os animais possuem uma fama muito exagerada. As piranhas não estão interessadas em devorar um ser humano vivo. Neste vídeo do programa River Monsters, Jeremy Wade entra em um tanque cheio de piranhas, e elas o evitam ativamente.

3 cenas impossíveis que cansamos de ver nos filmes

Os poucos casos registrados de piranhas que matam pessoas são provenientes de condições de seca que resultaram em escassez de alimentos, o que as força a se mudarem para um novo habitat. No caso de uma garota que foi encontrada morta com as pernas comidas por piranhas, não está claro se ela se afogou antes de ser comida. Em outro caso, um adolescente alegadamente cometeu “suicídio por piranha”, mas ele estava bêbado e morreu pela perda de sangue de “dezenas de mordidas”. Se ele estivesse sóbrio e não estivesse tentando ativamente morrer através das mordidas das piranhas, ele poderia ter escapado facilmente.

A maioria dos casos que são relatados como “PIRANHAS DEVORAM BANHISTAS” são fruto de sensacionalismo. Mas então como elas ganharam sua reputação de morte subaquática instantânea? Provavelmente através das histórias contadas por Theodore Roosevelt, o 26º presidente dos EUA.

Em um livro sobre suas aventuras no Brasil, Roosevelt relata o momento em que viu um cardume de piranhas limpar uma carcaça de vaca em questão de segundos – e o mundo comprou essa história desde então. O que ele não sabia era que os moradores queriam fazer um show para ele, então eles fizeram o grupo de peixes passar fome antes que ele chegasse. Quando Roosevelt apareceu, não eram piranhas comuns devorando a carcaça de um animal, mas sim piranhas famintas utilizadas para um espetáculo de horror. [Cracked]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (24 votos, média: 4,83 de 5)

Deixe seu comentário!