Nadar depois de comer: é preciso esperar 30 minutos para nadar após a refeição?

Por , em 23.01.2013

Mais velho que esse ditado, só o “se você engolir um chiclete, ele vai ficar no seu estomago por 7 anos”.

Felizmente para nós, nenhum dos dois é verdade. Assim como nosso organismo é capaz de processar (algumas partes do) chiclete e expulsá-lo, não é estritamente necessário esperar pelo menos 30 minutos depois de comer para nadar.

Então você não vai ter cãibra e nem se afogar? Provavelmente não. A não ser que outros fatores estejam envolvidos.

O mito

Todo mito nasce de meias-verdades. A ideia inicial de que não podemos nadar logo após comer é baseada no fato de que, depois de uma grande refeição, nosso sangue é desviado para longe de nossos braços e pernas, para ajudar a digestão no nosso estômago. E se os nossos membros não receberem fluxo de sangue suficiente para funcionar, estaremos em maior risco de afogamento (ou cãibras, ou indigestão).

Sim, é verdade que a digestão redireciona parte do sangue dos músculos para ajudar no processo digestivo. Com uma redução do fluxo sanguíneo, há potencialmente menos oxigênio disponível para o trabalho muscular, o que é uma causa potencial de cãibras – embora alguns pesquisadores não concordem com esta teoria.

Isso porque cãibras são contrações espasmódicas involuntárias do músculo esquelético durante ou após o exercício, e geralmente estão relacionadas à fadiga. Cãibras durante o exercício são, portanto, mais prováveis devido a uma combinação de fatores como desequilíbrio eletrólito, desidratação e fadiga neurológica, que são únicas para cada pessoa.

Outra verdade é que temos sangue suficiente para manter todas as partes do nosso corpo funcionando depois de uma grande refeição. Isso significa que o corpo tem mais sangue do que o necessário para dividir entre seu sistema digestivo e seus braços e pernas. Dessa forma, o risco de ter cãibras ou afogar depois das refeições é muito baixo.

Outro fator de risco sugerido para nadar depois de comer é o que é comumente referido como “fisgadas” (ou dor lateral abdominal no exercício, ETAP na sigla em inglês): uma forte dor sentida logo abaixo da caixa torácica.

Essas dores não são bem compreendidas, mas pensa-se que são causadas por espasmos do diafragma devido ao fluxo sanguíneo restrito por pressão acima dos pulmões e do abdômen inferior.

Por fim, como acontece com qualquer um que faça exercício vigoroso depois de comer, pode haver algum desconforto, como azia ou vômitos, causado por refluxo inesperado ou regurgitação involuntária. Isto é mais provável de ocorrer quando há um aumento na pressão externa, tal como durante o mergulho.

Resumindo: os dados sugerem que comer um churrascão e dar um mergulho em seguida pode fazer você vomitar. Se afogar, ter cãibra ou qualquer outro efeito mais perigoso, não. Pelo menos não só por ter acabado de comer.

Um exame de relatórios australianos da Royal Lifesaving Association sugere que, ao longo dos últimos anos, não há nenhuma menção de vidas sendo perdidas por nadar depois de comer.

A mesma coisa acontece com relatórios da Academia Americana de Pediatria dos Estados Unidos e da Cruz Vermelha Americana. Essas instituições não oferecem orientações ou avisos relacionados à natação depois de comer.

Aliás, estas organizações estão muito mais preocupadas com o elevado risco de afogamento devido ao consumo de álcool.

Álcool e drogas podem prejudicar gravemente nosso julgamento e capacidade física, aumentando o risco de espasmo das cordas vocais se água entrar na nossa traqueia. No período de 2010 a 2011, 17% de todos os afogamentos na Austrália foram atribuídos ao álcool ou drogas. Na faixa etária de 18 a 34 anos, esse número é ainda maior – até 45%.

Nadar com o estômago cheio pode ser desconfortável e, se excessivo, pode levar a vômitos. Mas é consumir álcool e drogas que provavelmente o colocará em maior risco de afogamento.

Ainda assim, como não é a melhor ideia do mundo, se você quiser comer e nadar em seguida, melhor tomar algumas precauções, como optar por alimentos ricos em carboidratos simples. Eles digerem muito mais rapidamente do que gordura e proteína, por exemplo.[MedicalXpress, foto de Marcelo Ribeiro]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,00 de 5)

4 comentários

  • Luised Uardo:

    Interessante, mas encheu linguiça. Poderia ter sido bem mais conciso.

  • John jones:

    que eu saiba isso não e mentira pura?

    • Nuno Domingues:

      Não é mito nao! Nenhum professor de educação fisica recomenda malhar depois de uma refeiçao pesada. Na natação, além do esforço, vc ainda tem o agravante do choque térmico, o que obriga a direcionar ainda mais o sangue pra pele e músculos.

      Fora isso, quer me parecer que o órgão mais importante foi esquecido: o cérebro! Sem sangue ou com oxigenação prejudicada ele não funciona!

    • Rafael BM Rodrigues:

      Acredito que o que pode ser derrubado aqui é o mito de que não devemos entrar na água apenas para lazer, relaxar um pouco na piscina por exemplo.
      Qualquer atividade física após uma refeição grande deve ser evitada.

Deixe seu comentário!