Novas pistas para a misteriosa molécula espacial de 90 anos

Por , em 16.11.2011

Estranhas moléculas espaciais que absorvem luz de estrelas distantes foram detectadas em nossa galáxia, dando aos cientistas esperança de resolver um mistério quase centenário da constituição das moléculas.

A descoberta talvez ajude a revelar como esses enigmáticos componentes foram criados, conhecimento que, para os pesquisadores, pode revelar segredos da química interestelar e possivelmente da origem da vida.

A luz de qualquer objeto pode ser imaginada pela sua combinação, ou espectro, de cor. O espectro de uma estrela pode revelar bastante sobre sua composição, como a cor de uma fruta ajuda a identificá-la e dizer se está madura.

O espectro de cor que vemos de uma estrela é afetado pelo gás e poeira entre ela e nós. Cientista identificaram alguns materiais que absorvem cor, mas o principal culpado por trás da absorção, conhecido como “faixa interestelar difusa”, tem intrigado pesquisadores por 90 anos.

Descobrir o que causa essas faixas poderia ajudar a revelar a química que ocorre no espaço.

“Há um bom entendimento geral da química que produz simples moléculas como a água, monóxido de carbono e amônia no espaço interestelar. Porém, nosso conhecimento da química mais complexa que produz moléculas grandes é muito menos seguro – em grande parte porque nós não possuímos identificações específicas para essas moléculas”, afirmam pesquisadores.

Um melhor conhecimento da química interestelar talvez ajude a entender como a vida evoluiu na Terra. Alguns cientistas pensam que os complexos químicos que são a chave da vida na Terra vieram do espaço e fertilizaram o planeta.

Até agora, todas as faixas difusas interestelares foram encontradas em ondas visíveis e muito perto do infravermelho. Além disso, nenhuma foi detectada na direção do núcleo da Via Láctea.

Enquanto investigavam o espectro de estrelas quentes no centro da galáxia, os pesquisadores encontraram inesperadamente essas características na luz da estrela, em ondas de infravermelho.

Esses novos detalhes podem ajudar a identificar as moléculas. O fato de que estão no centro da galáxia, onde o ambiente é mais duro, também sugere que esses componentes são relativamente fortes, outra pista do que eles podem ser.

“A maioria dos especialistas nesse campo pensa que elas devem ser grandes moléculas formadas principalmente por carbono”, dizem os cientistas. “Elas provavelmente são criadas em nuvens interestelares, onde são encontradas, ou material solto de gigantes vermelhos, por reações químicas no gás interestelar ou nos ventos vermelhos gigantes”.

Se as moléculas que produzem faixas difusas são de fato grandes e formadas por carbono, elas poderiam estar relacionadas com outras moléculas importantes para a vida, como aminoácidos.

Os pesquisadores esperam investigar essas moléculas futuramente, como uma ferramenta para o entendimento do ambiente interestelar.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Jaqueline Sousa:

    Texto interessante, mas o título realmente foi um erro. Sem querer bancar a chata, mas qualquer um que leia vai pensar em uma molécula com 90 anos de idade. Sinceramente, deveriam ter um pouco mais de cuidado ao escolher o título, só digo isso porque acho que quem seleciona as matérias aqui deve ter capacidade suficiente para procurar um título pelo menos coerente.

  • Pedro:

    O universo é uma fonte inesgotável de mistérios a serem descobertos. Inteligência investigativa, desejo de saber, descobrir, de entender esses mistérios, são inerentes ao ser humano. As descobertas gradativas seriam prazerosas, se estivessem em harmonia com o propósito de quem originou tudo. Mas não estão. Como neste caso, em que o objetivo expresso é “entender como a vida evoluiu na Terra”, sendo que “Alguns cientistas pensam que os complexos químicos que são a chave da vida na Terra vieram do espaço e fertilizaram o planeta”, as buscas da origem da vida, longe da fonte, ou seja, negando a existência de um Criador, sempre foi e continuará sendo uma sequência de adotar e descartar teorias, afirmar e desmentir, avançar e voltar à estaca zero, sem nunca se chegar a lugar algum. Alguns cientistas acreditam que, quando (e se) a ciência evoluir o bastante para finalmente um dia descobrir a origem do universo,a conclusão será: “No princípio Deus criou os Céus e a Terra”. Essa é a primeiríssima declaração feita nas Escrituras Sagradas. O desejo inato de conhecimento, bem como a capacidade de descobrir, que citei no início, foram implantados no ser humano pelo Criador. O que há para ser descoberto é infinito. O reconhecimento do originador da vida e humildade perante Ele, deveria guiar nossos esforços de entender, bem como de aceitar a declaração bíblica:
    “[Deus]Pôs até mesmo tempo indefinido no seu coração [no dos filhos da humanidade], para que a humanidade nunca descobrisse o trabalho que o verdadeiro Deus tem feito do começo ao fim.” (Ecl. 3:11)

    • Jonatas:

      Ciência e crença em deus não são opostas, mas mesmo assim não se misturam. Nada impede um cientista de ter uma religião e acreditar num criador, mas é uma questão de escolha dele ou formação familiar e social.
      A ciência só pode se basear em fatos para afirmar algo, se não haver fatos mas só indícios, aí é que entram as teorias. Deus não tem lugar em teses científicas, porque dele não existe nem indícios. detectados. Existe só na concepção de quem acredita, mas o universo ser vasto e misterioso não é nenhuma prova da existência de deus, aliás é tão imenso e errante que atua mais como indício da não existência de um criador ou projetista.

    • Pedro:

      Jonatas, só uma observação: quando você diz que de Deus “não existe nem indícios” e que “o universo ser vasto e misterioso não é nenhuma prova da existência de Deus” esqueceu-se de acrescentar: “…em minha opinião pessoal”. Para milhões de seres pensantes e refletidos há sim indícios da existência de Deus, e não é só questão de crença cega, não. É lógica simples: onde há projeto tem de haver projetista, onde há inteligência tem de haver uma mente, criação requer um criador, o acaso não cria nada. A prova de que existe um Criador está na complexidade e nas maravilhas da criação. A Bíblia diz sobre quem observa tudo isso e continua negando a existência de Deus:
      “As suas[de Deus] qualidades invisíveis são claramente vistas desde a criação do mundo em diante, porque são percebidas por meio das coisas feitas, mesmo seu sempiterno poder e Divindade, de modo que eles[os que não creem] são inescusáveis.”
      Romanos 1:20
      Desconsiderar as evidências é um direito seu, mas (sem intenção de polemizar) fale só por você, sem menosprezar a inteligência de outros. Tudo bem?

    • Jonatas:

      No momento em que o comentário é meu a opnião manifestada obviamente é a minha. Nada no universo parece ser fonte de nenhum projeto, porque a harmonia que vemos é fruto de origens caóticas, não de um projeto. O Sistema solar e as galáxias não se formam por projeto de algum projetista, se formam aleatóricamente por impactos e agregação gravitacional, a gênesis do sistema solar foi evidentemente um bate-rebate de planetas e asteróides, e não uma formação harmoniosa nas mãos de um criador. É nisso que me baseio, se posso estar enganado é evidente, afinal assim como não se pode provar que deus exista, também não se pode provar que não existe.

    • Thyago Costa:

      Jonatas, essas ideias de aleatoriamente, errante, desarmonia; não poderia ser fruto das nossas percepções, sentidos e tecnologia?

  • Jonatas:

    Essa química espacial original de camadas estelares e a nocleosíntese estelar que levou Carl Sagan a citar que somos “Poeira das Estrelas”.
    Essas moléculas espaciais são ainda um grande enigma e não se estará nem perto de desvenda-las a menos que se manda uma sonda até lá – difícil, muito difícil mesmo – porque as condições no espaço distante envolvem campos energétios e radioativos desconhecidos na terra, que está praticamente no interior da atmosfera solar, heliosfera, que envolve todo o sistema solar.

  • CRISTIANO:

    JONATAS EU SEI QE VC VAI COMENTAR MAS POR FAVOR SE VC TIVER MSN E ORKUT ME PASSA PRA GENTE PODER DISCUTIR SOBRE AS NOVIDADES A GRADEÇO VALEU

    • EltonPaes:

      Ele ta tentando ganhar do glauco em chatice Ctrl+c + Ctrl+v

    • Jonatas:

      Talvez, senhor, meus e-r-r-o-s de português sejam a prova de que não uso Ctrl+c + Ctrl+v. Se não g-o-s-t-a dos meus comentários é d-i-re-ito teu, faça os teus e fique na tua, mas não vou parar os meus só pra te agra-dar.

Deixe seu comentário!