Novo composto torna dentes à prova de cáries

Por , em 10.07.2012

“A marca mais recomendada pelos dentistas”. Este famoso jargão, que você já deve ter ouvido pela boca de vários fabricantes de creme dental em comerciais de TV, pode perder seu sentido em breve. Pesquisadores da renomada Universidade Yale, em New Haven (Connecticut, EUA), parecem ter descoberto uma substância boa demais para ser verdade: em não mais que 60 segundos, ela mata todas as bactérias causadoras de cáries.

Este novo herói dentário é uma molécula, batizada de Keep 32 (“mantém 32”, na tradução literal), uma referência ao número total de dentes da arcada. O vilão número 1 a ser combatido é a temível bactéria Streptococus Mutans, velha conhecida daqueles que têm preguiça de passar fio dental depois de cada refeição.

O composto, que vem sendo pesquisado desde 2005 por dois pesquisadores chilenos radicados nos Estados Unidos, opera de uma maneira muito simples. Uma vez em contato com a boca, a Keep 32 executa um procedimento bioquímico que promove um verdadeiro arrastão entre os dentes: em cerca de um minuto, não sobra nenhuma bactéria viva para contar a história.

Durante horas, sua boca fica livre de invasoras e limpa como você provavelmente nunca terá sentido antes. Depois de sujar os dentes novamente, basta mais uma aplicação e “zás”!, a boca está tinido novamente.

Quando teremos acesso a essa maravilha?

A utilização da molécula será muito simples: depois de ativada, a substância pode ser misturada não apenas a qualquer creme dental, flúor ou outro produto de higiene bucal, como também a balas, chocolates ou outras guloseimas!

Isso significa que o ato de mascar chicletes, por exemplo, deixará de ser um potencial causador de cáries para se tornar mais um soldado na limpeza de suas gengivas.

A estimativa dos cientistas é adaptar o produto para uso comercial em 14 a 18 meses, ou seja, até o final de 2013. Até lá, recomendamos que você continue escovando bem os dentes. [Gizmodo/Limbotech/Physics News]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Clauton Leal:

    a maoria das pessoas não tem o hábito de escovar os dentes direito, depois que isso for comercializado esse numero vai aumentar para 100%, rs.

  • Tyagho Santos:

    Legal!! essa mal dita bactéria ja está com o seus dias contados, haha!

  • Stéphano Freitas:

    Wait, não existe risco de a bactéria se tornar resistente ao composto como ocorre com os antibióticos?

    • Cesar Grossmann:

      Com certeza, mas aí você associa este produto com outro bactericida comum. A probabilidade de que existam bactérias resistentes a dois bactericidas que agem de forma diferente é muito baixa. Isto mais uma escovação diária, e as chances de uma superbactéria acabar se desenvolvendo ficam muito, muito baixas.

      Eu só não sei se é uma boa ideia “zerar” a população de bactérias da boca. Será que não existem bactérias benéficas na boca, que seria bom manter?

    • Thyago Hills:

      De acordo com outras fontes mais completas, a KEEP 32 é específica para uma classe de bactérias onde se encaixa a S. mutans. A microbiota da boca, por completo, não seria prejudicada.

      O que me assusta é que provavelmente a indústria farmacêutica descobrirá uma forma de tornar algo tão simples e acessível, em algo burocrático e inespecífico.

Deixe seu comentário!