Pais acusados após segundo filho morrer enquanto dormia com eles

Por , em 1.07.2011

Um casal do Texas, EUA, é acusado por ter dormido na mesma cama que o filho recém-nascido, o que possivelmente ocasionou a morte da criança. Esse foi o segundo bebê do casal que morreu em dois anos, pelo mesmo motivo.

Os pais, Mark e Vanessa Clark, perderam o primeiro filho em 2009, quando ele tinha 39 dias. Depois da investigação policial e da autópsia, a conclusão foi a de que o bebê morreu de morte súbita, enquanto estava dormindo com os pais. Nenhuma acusação foi feita, mas o casal foi obrigado a fazer um curso de segurança no sono infantil. A primeira regra do curso é clara: durma sozinho, ainda mais se a criança em questão for um bebê.

Mas parece que o aviso não foi suficiente para o casal. Em julho de 2010, o segundo bebê deles, de três meses de idade, morreu da mesma maneira. Mark e Vanessa são acusados de abuso infantil e os promotores alegam que a morte aconteceu intencionalmente ou que houve negligência por parte dos pais, já que eles sabiam do perigo iminente de morte.

Dormir junto com os filhos está longe de ser ilegal. Isso acontece desde tempos antigos e é comum em todo o mundo. Há inclusive defensores da prática que afirmam que isso aumenta o vínculo entre pais e filhos. Mas se a criança tiver menos de quatro meses de idade, há um claro risco do sono terminar de maneira trágica. Os pais acusados tinham esse conhecimento, mas mesmo assim, persistiram no erro.

Essa não é a primeira vez que Mark e Vanessa têm problemas com a polícia. Mark foi condenado no ano passado por dirigir com sua carteira suspensa e Vanessa foi acusada de crimes mais graves, recebendo pena de prisão em várias ocasiões. As acusações incluem assalto a mão armada e lesões corporais.

Mark postou uma mensagem no Facebook transmitindo a opinião do casal sobre a morte do filho: “Nós amamos os nossos filhos. Nunca faríamos nada para machucá-los! Pergunte a qualquer um que nos conhece que tipo de pais somos. Eu juro que você não vai ter nenhuma declaração que não seja boa! Esses detetives estão tentando mostrar o que não somos”.

Embora as atitudes do casal soem vagamente suspeitas, isso não os torna culpados pelo crime. Um júri irá decidir se eles vão ou não ser condenados pela responsabilidade das mortes. Se forem considerados culpados, terão que enfrentar de seis meses a dois anos de prisão e pagar multas.[Jezebel]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

17 comentários

  • Mãe Feliz:

    Sou Mãe e posso afirmar que não tem coisa mais gostosa que acordar e ver aquele rostinho lindo do seu lado, mas nós pais temos que ter cuidado,meu filho dorme na minha cama comigo e meu marido desde que nasceu, mas para isso arrumo o cantinho da parede especialmente para ele com um cobertorzinho enrolado entre eu e ele para não haver problema de machuca-lo, pois todo cuidado é pouco.A respeito deste caso deve ser investigado, pois morrer dois pelo mesmo motivo!!!Alguma coisa esta errada ou é muuito azar mesmo.

    • Someone:

      Não é mais fácil e seguro comprar um berço?

  • Rogerio:

    Assassinos. Simplesmente isso. Assassinos!

  • Chaud:

    A questão é bem simples na verdade. Como diz o ditado: errar é humano, errar duas vezes é burrice.

    Eles perderam um filho dessa forma. Por que motivo iriam insistir em continuar com a mesma prática? Nada justifica essa atitude deles. E vale lembrar que grande parte dos crimes mais graves são cometidos com ‘supostas’ boas intenções. A questão não é só se a pessoa acredita ou não estar fazendo algo certo, e sim se ela insiste em um ato que pode causar mal a outras pessoas.

    Vamos dar um exemplo prático: Talvez alguns aqui lembrem do caso de um casal que deixou o filho morrer porque se recusou a levá-lo ao médico, deixando ele em casa e rezando pela sua cura. A intenção pode ser das melhores, e eles poderiam até acreditar que estavam fazendo o certo – mas ainda assim, foi um caso de negligência absurda. Porque é *fato* que doenças precisam de acompanhamento médico.

    Então a questão é menos quais as intenções do casal, e sim a teimosia de ir contra o que se sabe ser correto. Especialmente no caso de serem reincidentes. Da primeira vez, você até perdoa; da segunda, já é insistir no erro. Acaba caindo na questão: “quantas pessoas mais precisariam morrer para que eles percebam que estavam agindo de forma errada”? Precisam perder quantos filhos para decidirem que não devem mais fazer isso?

    E aqui, mesmo ignorando quaisquer outros antecedentes de ambos. Mesmo que fosse um casal “perfeito” em todos os aspectos, já mereciam alguma punição. Pensando no seu histórico, a possibilidade de negligência se torna ainda maior. É circunstancial, sim, mas as circunstâncias muitas vezes possuem um papel importante na análise dos fatos!

  • vicente:

    eles tem uma parcela de culpa e deviam pagar por isso.

  • Theo:

    Sei la acho que sao imprudentes mas nao os acho assassinos a sangue frio como todos aqui estao mostrando…

    • Tita:

      Imprudencia é quando acontece algo q vc nao havia vivido antes e por descuido.
      Agora existe alguma mãe ou pai q mata seu proprio filho pq colocou pra dormir junto,E tenha outro filho e vai faser a mesma coisa.
      Pelo amor de Deus pensa um pouco teu filho morre porq vc se cometeu um erro,vc vai ficar traumatizado pro resto da vida
      e se tiver outro filho vc nao vai nem chegar perto da cama com ele.
      impossivel acontecer isso apenas por imprudencia
      mas com certeza vc nao tem filhos,quando tiver vc vai saber do q eu to falando.

  • Maria Emilia:

    Estranho eles postarem que são pais e tal, nem tempo deu pra eles provarem se são bons ou ruins, estranho né? isto cheira a crime, tomara que o juri faça justiça.

  • Roberto:

    Só de olhar para a cara deles percebe-se que são agressivos, aparentam ser predadores natos. Ela neurótica dissimulada e ele frio, inconsequente. O rosto é o espelho da alma, só nos enganamos quando nos recusamos a acreditar no que vemos.

    • Alexandre:

      Cara, vc tira conclusões pela aparência da pessoa ?

      Não estou querendo defender o casal, mas tenho pena de vc… que alma pobre vc tem…

    • Rosana Oliveira:

      Nossa!! Então você NUNCA foi enganado por ninguém na vida, pois já sabia da índole dela só de olhar pro rosto. Você já sabia que a pessoa ia falar mal de você, já sabia que ela era trapaceira só pelo rosto.

      Não estou defendendo esse casal, mas você é preconceituoso DEMAIS.
      Vai dar afirmação infeliz desse jeito na casa do…

  • Sónia:

    Julgo que o casal deve de facto ser investigado, aqui em Angola(África)com excepção de uma minoria que além de ser mais esclarecidos, tem posses para ter um berço, ou uma alcofa para so bebes dormirem, na sua maioria, os bebes dormem com os pais mesmo, e olha que aqui as mulheres geram de 3 a 15 filhos e nunca morrem de morte súbita.

    Podem até pegar doenças da 1ª infáncia que em toda áfrica matam muitas crianças, mas isso de morrer por dormir com os pais é muito suspeito.

    Para muito africanos inclusive a criança que fica muito afastada dos pais pode é sofrer com falta de afecto e isolamento.

  • luciana:

    hanna, com H minúsculo mesmo, pois voce deve ser uma pessoinha irrisória, que passa as tardes vendo baixarias na TV, esse “saite”, não é para pessoas como voce.

    • hanna:

      lucina, com L minúsculo mesmo. ;D

  • hanna:

    Esse saite aos poucos está virando o programa da Márcia.

  • Marcelo Ribeiro:

    White trash!

  • Junior:

    Tem coelho nesse mato,a ficha criminal do cara já é extensa e já é a segunda criança que morre, as vezes eles não queriam ter filhos e acabaram matando mais uma criança…ou talvez pra continuar praticando os crimes…deve ser investigado e julgado…justiça seja feita.

Deixe seu comentário!