Odiar o seu trabalho pode deixá-lo doente

Por , em 5.04.2012

Pesquisas já falaram sobre isso, mas é uma conclusão que qualquer um pode chegar facilmente: quando você trabalha em algo que não gosta, acaba se sentindo infeliz.

Agora, mais estudos descobriram que, além da felicidade, continuar trabalhando em um emprego que você odeia pode afetar também sua saúde.

Funcionários que continuam em um trabalho por um sentimento de obrigação são propensos a vários problemas de saúde, incluindo estresse, exaustão e esgotamento.

O estudo analisou 260 trabalhadores de uma variedade de indústrias para ver se algumas formas de compromisso com uma organização poderiam ter efeitos prejudiciais, tais como exaustão emocional.

“Pode ser que, na ausência de um vínculo emocional com a organização, o compromisso com base na obrigação seja experimentado como uma espécie de endividamento, uma perda de autonomia que é emocionalmente desgastante ao longo do tempo”, disse a coautora do estudo, Alexandra Panaccio, professora na Universidade Concordia, em Montreal, Canadá.

Os empregados que permaneceram em organizações por um sentimento de obrigação ou falta de outras opções de trabalho eram mais propensos a ter problemas de saúde mental e física. Também, as pessoas com maior autoestima eram mais fortemente afetadas pela falta de opções de emprego.

Segundo os pesquisadores, os empregadores podem tentar combater esses problemas. “A implicação é que os empregadores devem tentar minimizar esse tipo de compromisso entre os funcionários através do desenvolvimento de suas competências, aumentando assim o seu sentimento de mobilidade e, paradoxalmente, contribuindo para que eles queiram ficar na organização”, concluiu Panaccio.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • FNX:

    Meuuuu Deuuss, isso é um sinal q devo largar esse meu empreguinho, E LOGO. kkkkk

    Infelizmente, já estou doente por estresse, exaustão e esgotamento.

  • Neander:

    O ideal seria que trabalhássemos, no máximo, 4 horas por dia. É possível isto. Haveria tempo para pensar a vida, pesquisar experiências, aprender coisas novas. Outra coisa, imagine que haja uma catástrofe no mundo (o que está quase acontecendo) e precisássemos trabalhar a terra, plantar para comer. Seríamos menos felizes? O homem foi infeliz todo o tempo em que trabalhou braçalmente? E ainda digo mais, é bem provável que sejamos mais felizes na simplicidade e trabalhando menos horas por dia, vivendo mais, vendo o dia se por, vendo os filhos crescerem, as comidas simples feitas em casa, a distribuição mais justa do trabalho, do status social, menos interesse escuso, mais amizade, simplicidade…

    • Elias:

      Concordo em gênero, número e grau!!
      Passamos muito tempo trabalhando e acabamos sem tempo para o que realmente importa, ou seja, nós, nossa família e amigos…
      Não temos tempo para sentar embaixo de uma árvore e ler um bom livro, nem talvez almoçar em casa com a família…
      Somos escravos de um sistema de capital simplesmente brutal.

    • ZLuis Santos:

      Diminuir a jornada seria ótimo

      recomendo um documentário muito bom e esclarecedor, procure por Zeitgeist Addendum no youtube tem legendado, só procurar, assistam ele todo e reflitam, é muito importante ver pois mesmo que não mude em nada, vão abrir seus olhos e quem assiste vai enxergar o mundo de outra forma!

      http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=xEdO8f2XEjA

  • Neander:

    Não gosto do que faço e acredito que depois de um tempo ninguém gosta do que faz. Ficar pulando de galho em galho é que é enfadonho. Não gosto do que faço, mas não procuro inverter a situação, gosto de mim, sei que meu trabalho é importante e me ajuda a realizar meus planos. Quem não sabe se estabelecer não tem competência para ser feliz. É isso que acredito e acho que quem fica procurando o que lhe satisfaz para trabalhar não tem noção da realidade e é um eterno infeliz. Sempre haverá tédio no que se faz, mesmo sendo um milionário. Claro que se o trabalho me prejudicar eu mudarei, mas na maioria dos casos não é isso o que acontece. O que acontece é que as pessoas estão insatisfeitas com elas mesmas e procuram culpados e, na maioria das vezes, acaba sobrando para o trabalho.

  • rui da silva:

    diminua a carga horaria que é de 8 para 6 diárias!
    vamos dar uma jornada de trabalho digno aos trabalhadores desse pais!

  • José Senem Alencar:

    A Dalva tá certa. O trabalho é harmonia e quem o aprecia vive muito melhor.

  • DALVA:

    Isto é amais pura verdade. Eu, particularmente AMO O QUE FAÇO. A prova disso é: tenho sessenta anos de idade, saio da minha cama às cinco horas da manhã, saio de casa às seis e começo a trabalhar às sete. Ainda tem mais: ADORO O PESSOAL QUE TRABALHA COMIGO. Já estou em processo de aposentadoria, mas vou ficar lá como voluntária, só para não me desligar desta felicidade toda. O que eu faço é um trabalho como qualquer outro, porém para mim é o melhor de todos. Sou funcionária da secretaria de Meio Ambiente da minha cidade e há anos trabalho com plantio de árvores. Em qualquer lugar da cidade que eu passe, há árvores que eu ajudei a plantar e isso me dá um orgulho tremendo, mesmo que ninguém saiba que fui eu que fiz aquilo. Sem contar com a grande quantidade de benefícios de que toda a população vai usufruir. Espero que tudo isso demore muito a terminar, pois AMO MUITO TUDO ISSO!

    • Valdeir:

      Linda Dalva, espero então que vivas muito, mas muito mesmo e continue esta valiosa contribuição para a humanidade.

    • Neander:

      Admiro sua atividade, mas ficar dependente do trabalho não é sadio. Vc plantou árvores durante seu tempo, mas esqueceu de plantar sua aposentadoria.O que cultivou fora do trabalho? O que não se deve fazer é viver e passar a vida toda dentro de um esquema em que nos tornamos prisioneiros e, mesmo tendo a chance de pular fora, ainda nos viciamos. Cuidado, não é saudável nem um bom conselho. O sistema inibe e nos impede a real evolução pessoal. E faz isto a muito tempo, nem percebemos o sentido da vida mais. Ficamos meio anestesiados.

  • Brad pitco:

    Parabéns pela matéria ! Infelizmente muitas pessoas não tem empatia e descrevem as pessoas que não se sentem bem com um trabalho como se elas não quisessem trabalhar.É verdade ! Quando se faz algo para desenvolver as competências das pessoas e incentiva-se um bom ambiente de trabalho tudo melhora.É pena que alguns empregadores encarem isso como custo e não como investimento. Ótima matéria !

  • Alex:

    é, acho que isso ta acontecendo comigo…

    • jose ajosilaudof eliciano mendes:

      olha, se não gosta do que faz,é ir a luta e descobrir o que gosta,se continuar fazendo o que não gosta prejudica, aqule que gosta.

Deixe seu comentário!