Perfil do poder – qualquer um pode se tornar um ditador?

Por , em 14.02.2011

Uma pesquisa mostrou que ditadores sádicos famosos, como Saddam Hussein e Joseph Stalin, tinham um perfil de personalidade marcado pelo narcisismo e paranóia. Mas o que os ditadores autoritários têm em comum? E esse perfil poderia ser um indicador de um novo déspota? Poderia qualquer pessoa se tornar um?

Não do dia para a noite, mas pesquisas psicológicas já provaram que o poder de fato tem um efeito sobre a psique. O exemplo mais famoso é do Experimento da Prisão de Stanford em 1971.

Nele, alunos foram divididos aleatoriamente para serem “presos” ou “guardas”, em uma prisão improvisada. Os guardas se tornaram tão abusivos e os prisioneiros tão passivos que o experimento foi encerrado menos de uma semana depois.

Tipos mais mundanos de poder também podem influenciar comportamentos. Um estudo de 2010 descobriu que as pessoas condicionadas a pensarem em si como bem sucedidas são piores em ler as emoções de outras pessoas do que as condicionadas a pensar em si como pobres.

Segundo os cientistas, a razão para isso pode ser que as pessoas sem muito poder têm mais necessidade de construir alianças com outros para sobreviver. Os mais bem sucedidos, por outro lado, podem fazer o que bem entenderem.

O poder pode cegar as pessoas do ambiente social. Elas passam a não ter uma compreensão clara da importância de condições sociais como a pobreza. O poder também torna as pessoas mais impulsivas e egoístas, e seu comportamento mais inadequado.

Além disso, pesquisas mostram que o poder pode isolar as pessoas. Um estudo de 2006 pediu aos participantes que desenhassem a letra “E” em sua testa. Primeiro, porém, os voluntários foram condicionados a pensar em si como mais ou menos poderosos. O grupo mais poderoso tinha três vezes mais chances de desenhar o “E” em sua testa de forma que seria lido ao contrário pelos outros. A implicação, segundo os pesquisadores, é que as pessoas poderosas se tornam mais auto-orientadas e se importam menos com as perspectivas dos outros.

Outra pesquisa de 2009 descobriu que as pessoas treinadas para pensar em si como poderosas eram mais propensas a acreditar que tinham controle sobre uma situação, mesmo que isso fosse uma atividade aleatória, como jogar dados.

Junte tudo e você tem a receita perfeita para a tirania: o gosto do poder, parar de observar ou ouvir os outros e, finalmente, começar a acreditar que você está no comando de eventos aleatórios.

Ainda assim, os estudiosos dizem que o poder não é de todo ruim – e nem de todo bom. A pesquisa sugere que o poder dá às pessoas a confiança nas crenças que elas já possuem, por exemplo.

Em 2007, um estudo pediu aos participantes para escreverem pensamentos positivos ou negativos e depois os levou a se sentirem mais poderosos. Aqueles que escreveram pensamentos positivos tornaram-se mais positivos, e os que tinham pensamentos obscuros tornaram-se mais negativos. A conclusão é que o poder amplia o que está na cabeça das pessoas; por isso, pessoas poderosas podem fazer mais bem ou fazer mais mal. E isso já é imprevisível. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

9 comentários

  • antonio:

    como aqui no brasil e um pais de impunidade as autoridades fazem o que bem entende ainda se alguem reclama eles dizem voçe esta desacatando a autoridade isso quer dizer que continua a ditadura no brasil.

  • claudemir da silva:

    nos meio politicos também tem muitos

  • Elizabeth:

    O ditador, primeiro faz o povo crer que ele está ao lado do povo. Aos poucos vai testando sua popularidade ao desrespeitar uma ou outra lei.
    O povo iludido com seu discurso e com algumas benesses recebidas, deixa passar esse “mau comportamento” e dá mais poder ao ditador.
    Quando o povo perceber que está dando poder a um ditador, pode não ter mais volta.
    Hitler era adorado pelos alemães e, dono do poder, exterminou milhões de pessoas.

    Prestem mais atenção nas ambições do candidato quando for votar, para não acabar dando poder absoluto a um ditador.

  • Evandro:

    Isso foi uma pesquisa, artigo cientifico? Quando criança já tinha percebido isso.

  • Douglas LK:

    “Quer realmente conhecer uma pessoa? Dê poder a ela!”

  • big bang:

    O narcisismo e um defeito bem ruim. Já assisti a um amigo q era traumatizado por passar dificuldades na infância, depois melhorar de vida e se tornar um grande narcisista, nesse ínterim estudou advocacia e se tornou soberbo. Se ele tiver algum poder de verdade, só Deus pra saber o q ele pode aprontar. Nossa mente e complexa e muda conforme as situações aparecem.

  • Mirna Cavalcanti:

    Estudo interessante, sem dúvidas.Há um aspecto que, a meu ver ñ foi observado: a própria condição da pessoa como SER:o caráter(bom ou mau);a falta de Princípios(sobre os quais se assentam as bases primaciais de uma criatura digna); a insegurança psicológica e, por fim, mas não menos importante: complexo de inferioridade.
    Dá sustentáculo ao que afirmo, a observação de tipos assim em todas as camadas sociais.Cada um, dentro do raio de ação – “poder”- que ocupa ou julga ocupar, mesmo os mais comuns, como chefetes de repartições, supermercados ou até como síndicos de prédios, vez que o que obtiveram na vida de mais elevado á aquela posiçãozinha(sem menosprezar as pessoas de bem e DO bem que trabalham em tais lugares), julgam-se SENHORES DA VIDA E DA MORTE: Verdadeiros DONOS DO MUNDO. Em geral, são pessoas dissimuladas, pequenas e carecem de entendimento do que realmente deve ser considerado como sendo importante da vida. Seu raio de ação é seu mundo. Se, por absurdo, atingissem um posto realmente de mando, como a presidencia de um país, provavelmente fariam tudo o que lhes estivesse ao alcance, para transformar tal país de democracia, para um regime totalitário, ditatorial. Para mim, portanto, o principal é o que acima escrevi que, ao que acresço, por considerar fundamental: um perfil muito provavelmente patológico.

  • Juscelino:

    O poder sega as pessoas.
    Veja casos da polícia como são brutos sem educação alguma.
    Eles acham dono da razão em tudo,quando na verdade nós pagamos tanto o policial quanto o governo para fazer digamos as coisas andarem no normal.
    Ai vem Juiz,delegado etc.
    Todos acham dono da suas verdades,em todo lugar tem abuso de autoridade mas fica por isso mesmo.
    Nessa semana ví um vídeo onde dois policias bateram em um rapaz,isso por causa de uma blitz,sairam os socos é pontapés com o garoto,pura covardia…..

  • wilson:

    Para ver como isto acontece é só passar em qualquer delegacia ou ser abordado por um policial nas rua do Rio de Janeiro e ver como policiais que vieram de camadas mais baixa se comportam;como verdadeiros DITADORES, tipo “sabe com quem está falando ?” O PODER SÓ CEGA AS PESSOAS INFERIORES HUMANAMENTE !

Deixe seu comentário!