Saiba a verdade sobre mulheres obesas e autocontrole

Por , em 31.01.2012

Se a escolha entre ser gordo ou magro fosse uma decisão simples e consciente, certamente a maioria de nós escolheria ser magro – pelo menos na maior parte da nossa sociedade ocidental. No entanto, novas pesquisas sugerem que a discriminação e o preconceito enfrentado pelas pessoas com excesso de peso, especialmente as mulheres, são movidos pela ideia de que a gordura corporal é algo opcional.

Em um artigo escrito pela pesquisadora Christine Smith na publicação Sex Roles, Smith faz uma análise de estudos feitos nas últimas duas décadas. Pesquisas anteriores mostraram que as mulheres acima do peso tendem a ter menos encontros, se casam com menos frequência e ganham salários mais baixos do que as mulheres magras.

No entanto, mulheres magras mas que não são atraentes, sofrem igualmente com problemas econômicos e sociais. Tem sido um desafio para os pesquisadores determinar se o preconceito contra as mulheres gordas é originado apenas devido ao peso ou é a atração geral que diminui associada aos quilinhos extras.

Embora os homens e mulheres acima do peso sofram preconceito, ele parece ser pior com as mulheres. Elas são julgadas mais severamente por não cumprirem as “normas de atração” impostas pela sociedade. Parece que a beleza – e não a gordura – está causando o preconceito. A opinião inconsciente é de que as mulheres obesas poderiam ser atraentes, mas falta o controle para elas emagrecerem e se tornarem “bonitas” de acordo com o padrão normalmente imposto, disse a pesquisadora Smith.

Chris Crandall, professor de psicologia na Universidade de Kansas, não está surpreso com os resultados do estudo. “Isso é muito consistente com o trabalho que eu fiz, e com o trabalho de muitos outros. A crença de que o peso pode ser facilmente controlado é o que desencadeia o preconceito”, fala.

E por que a ideia de que a gordura pode ser controlada causa tanto prejuízo às pessoas acima do peso? Entre um monte de estigmas criados sobre pessoas gordas, a ideia de que elas não têm controle sobre os seus corpos é extrapolado para outras áreas da vida, de acordo com os pesquisadores.

Apesar de algumas pessoas terem mais tempo para cuidarem de seu peso do que outras, empregadores podem ver pessoas gordas como fora de controle. “E quem quer um empregado fora de controle? Eles podem os ver como preguiçosos”, afirma Smith.

Pessoas acima do peso também podem involuntariamente ser vistas como rebeldes. “Vamos dizer que você aceita a si mesmo como uma pessoa gorda. Você está violando as normas culturais”, disse Smith. “Se as pessoas estão confiantes em seu desvio, isso pode soar muito ameaçador”.

Magreza é um ideal de beleza confuso. Em outros momentos e em culturas, ser gordo é um sinal de riqueza. Mas como um ideal de saúde, a magreza é intuitiva, porque a obesidade está ligada a uma variedade de problemas de saúde.

Embora os perigos da obesidade pareçam maiores do que nunca, ser magro também não é sinal de saúde. “A saúde está ligada a pressão arterial, glicemia, frequência cardíaca, a capacidade de subir escadas. Medidas que são frequentemente, mas nem sempre ligadas à gordura corporal. Estudos descobriram que é melhor ser gordo e saudável do que magro e sem saúde”, disse Smith.

Mesmo assim, pesquisas anteriores mostraram que mulheres obesas que são metabolicamente saudáveis, com níveis saudáveis de colesterol, açúcar no sangue e pressão arterial ainda podem melhorar a saúde geral perdendo alguns quilos.

“Precisamos ampliar nossa ideia do que é belo”, disse a pesquisadora. “As pessoas estão sofrendo porque temos um padrão que é inatingível pela maioria de nós”.[LiveScience]

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

16 comentários

  • Gilberto M.:

    O meu problema é inverso ao da obesidade. Eu não consigo engordar. Tenho 1,80 m e peso 64 kg (com roupa). Ser muito magro também não é legal. Mas já desisti, não consigo engordar.

    • Lucca:

      Eu tinha 1,71 com 58kg. Agora estou com 1,74 com 78kg e com 1% de gordura corporal. Primeiro faz um exame de sangue pra ver se você tem hipertireoidismo pois ele causa emagrecimento devido ao metabolismo acelerado, se sim você começa a tomar um remédio para evitar isso. Eu estava fazendo academia fazia 1 ano e ganhei só 5kg, tentei de tudo e desisti. Depois descobri que tinha hipertireoidismo e começei a tomar o remédio e em 5 meses fazendo a dieta certa eu ganhei mais de 15kg, agora to com meu peso/altura ideal. Mas não faça nada sem consultar um médico, abs! 🙂

    • Sil:

      No seu caso, acredito que musculação ajuda. Os homens têm mais facilidades de ganhar músculos que mulheres. Vcs estão em vantagem. Também eu era bem magrinha, mas agora estou satisfeita com meus 56kg para 1,70. Aliás, quero só uns 2 kg. Já fui bem pior.

    • Sil:

      Desculpa, a resposta era para o Gilberto.

  • Bianca:

    O que adianta ser magro e ter doença..conheço gente q tem isso aquilo.. eu sou gordinha, porém saudável. Mil vezes gordinha do q magra doente..

    • Silvia:

      É verdade, independente de ser magro ou gordo, o importante é estar com saúde. Sempre fui magra, não me privo de nada, mas procuro me alimentar de forma saudávele fazer exercícios. Não necessariamente para continuar sendo magra, mas sim para ter saúde e disposição.

  • José:

    Que tal um pouco de atividade física, moçada? Se você tirar seu moneymaker do sofá de vez em quando e for para a rua andar, correr ou pedalar, poderá comer com menos culpa e manter o controle sobre seu peso. E não adianta querer ser politicamente correto, porque um ser humano com o corpo sarado é muito mais bacana mesmo!

    • Rosana:

      É José, o problema e´que as pessoas estão se conformando com os quilos a mais, e deixando de praticar exercícios físicos, ou até uma caminhada, acham melhor só andar de carro, ou ficar sentado no sofá….Exercício não é só para ficar com o corpo bonito, ajuda na prevenção de doenças, até os ossos são beneficiados pela prática da ginástica….

  • Carlos:

    Moderação é sempre uma palavra chave.

    Comer moderadamente traz redução de peso ao longo do tempo, se a pessoa não criar compensações como um sorvetinho aqui e uma pipoquinha acolá.

    Reduzir o volume de comida por 6 ou até mesmo 3 meses trará certamente redução permanente de peso, sem o vai-e-vem das dietas mágicas.

  • Fernando:

    A ideia de que ser gordo é ruim é senso comum há tanto tempo, que o preconceito já virou até um ato subconsciente. Mudar este cenário é algo bem difícil, e convenhamos, a mídia não ajuda muito, não é? Pessoas acima do peso são sempre retratadas de forma ridícula na tv, no cinema etc. O gordo acaba virando um pária, muitas vezes sem culpa alguma.

  • Vander:

    Perdi 18kg comendo só arroz e frutas, dispensando todo tipo de carne

    • Daniela:

      Isso é loucura o que você fez.
      Não precisava se privar.
      Eu mesma perdi quase 10 Kg apenas diminuindo a quantidade de comida no prato. Mas continuei a comer tudo que me dava vontade.
      A gente não pode arriscar o seu corpo privando ele de ingredientes que são necessarios para que o corpo fique saudavel. Não adianta perder peso e ficar fraco e talvez até contrair alguma doença.

    • Daniela:

      Isso é loucura o que você fez.
      Não precisava se privar.
      Eu mesma perdi quase 10 Kg apenas diminuindo a quantidade de comida no prato. Mas continuei a comer tudo que me dava vontade.
      A gente não pode arriscar o seu corpo privando ele de ingredientes que são necessarios para que o corpo fique saudavel. Não adianta perder peso e ficar fraco e talvez até contrair alguma doença.

      Abraço!

    • Tiago Soares:

      Vander, se acha que fez bem está muito enganada. Para perder peso é mais importante cortar nas fontes de hidratos de carbono do que nas proteínas.
      PS: A carne não faz mal, as pessoas é que tendem a comer a carne de “forma errada” e exageram muito em carnes vermelhas.

    • cristina crisi:

      e como seria comer carne de “forma certa”? e os carboidratos como corta-los?

    • simon:

      ou seja perdeu peso pra ficar doente.

Deixe seu comentário!