Finalmente inventaram um capacete invisível para ciclistas

Por , em 17.11.2013

Especialmente em países europeus e sociedade desenvolvidas, a bicicleta toma cada vez mais espaço como meio de transporte. As pessoas gradualmente deixam os carros de lado, seja para fugir do trânsito infernal dos grandes centros, ou para fazer a sua parte na hora de cuidar do meio ambiente. Pensando nisso, duas suecas resolveram deixar a vida dos ciclistas mais confortável.

capacete invisível

O capacete é uma peça essencial para garantir a segurança de quem usa um veículo tão exposto. Contudo, os modelos que existem no mercado são bastante desconfortáveis. Além disso, apesar de protegerem o órgão mais importante do nosso corpo, eles tiram um pouco da diversão desta atividade tão prazerosa que é pedalar. Anna Haupt e Terese Alstin solucionaram estes dois problemas criando um capacete invisível.

Depois de sete anos de dedicação ao desenvolvimento do premiado projeto e contando com investimentos de 10 milhões de dólares (cerca de R$ 20 mi), a dupla de visionárias conseguiu garantir a proteção completa do crânio sem, pasmem, usar qualquer coisa na cabeça. A novidade foi batizada de Hövding (algo como “chefe” ou “comandante”, em sueco) e o vídeo abaixo, com legendas em inglês, mostra o funcionamento da peça.

A tecnologia envolvida foi baseada em airbags e o capacete invisível – é claro – some em meio às roupas graças ao seu design diferenciado. A inovação custa caro e cada unidade não sai por menos de € 399, o equivalente a cerca de R$ 1.250. O comprador, porém, pode optar pelo modelo que mais combine com o seu estilo e ainda adquirir “coberturas”, que se assemelham a echarpes, extras. [Jalopnik]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Eliezer Tavora Nunes:

    Isso não é capacete e sim airbag! rsrs

  • Douglas Rodrigo Finkler:

    Há controvérsias. O capacete invisível só é um complemento às pesadas roupas de inverno europeias, assim, é usado, pelo que vi, como um “cachecol” estilizado. Porém usar um desses num lugar com clima mais “temperado” como a maior parte do Brasil, torna-o tão ou mais incômodo do que o próprio capacete convencional. É uma invenção fantástica, mas não muito versátil.

Deixe seu comentário!