Tempo: o que é? Clique aqui e entenda esse conceito

Por , em 26.11.2012

Em resposta a uma pergunta feita pela leitora Michelle Meyers, os autores da página Across the Universe: from quarks to quasars publicaram um pequeno texto reflexão sobre o tempo, assinado por Rawy Shaaban.

O que é o tempo?

A ideia de que o tempo é uma linha ligando o passado, o presente e o futuro traz um questionamento: seria o tempo uma “direção”? “Nós parecemos estar nos movendo para frente no tempo, mas podemos apenas ver eventos que já ocorreram”, diz Shaaban.

Ao invés de prosseguir com a noção de “linha”, ele aborda a questão da medição da passagem do tempo, feita com base na movimentação da Terra ao redor do sol. “Manhã, tarde e noite estão relacionadas à presença ou ausência do sol no céu”, lembra. O próprio deslocamento dos ponteiros de um relógio analógico resgata esse movimento radial.

Medimos a passagem do tempo com base em movimento, mas também fazemos o inverso: dizemos que um carro levou horas para fazer um percurso, ou que o coração de uma pessoa bate um determinado número de vezes por minuto. “O tempo pode ser apenas uma ‘moeda comum’ ou uma unidade de movimento com a qual todos os outros movimentos são medidos, tornando mais fácil a descrição do mundo, mas sem ter uma existência independente”, sugere o autor. “Medir processos (de movimento) usando tempo é como usar dinheiro ao invés de troca direta de mercadorias”.

Curiosamente, o presente não pode ser restrito a uma medida de tempo. Quanto dura o “agora”? Um segundo? Um milésimo de segundo? Vivemos nesse pequeno (e, ao mesmo tempo, imensurável) intervalo entre o passado e o futuro – que podem ser medidos, mas não acessados.

“Isso sugere que nossa percepção do tempo como passado, presente e futuro pode ser apenas uma ilusão criada por nossa mente em uma tentativa de entender o mundo em transformação que nos cerca”, afirma. Nesse caso, como as mudanças do mundo ocorreriam se não existisse o tempo? E a pergunta inicial permanece.[Across the Universe; from quarks to quasars]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 3,40 de 5)

42 comentários

  • Evandro Maggiore:

    Tempo é movimento logo não poderíamos por ex viajar no tempo…Porq sempre será o futuro é nunca o passado, mesmo que seja o passado…

  • Lucas Vasconcelos:

    Eu acho que o tempo é a energia escura fazendo o universo se expandir, portanto se acontecesse um “big Crunch” o tempo retrocederia.

  • RebeloFernandes:

    Se não existisse matéria não existiria tempo.
    Não existiria o pulsar
    Não havendo matéria nós também não existiríamos.

  • Alencar Zanelato:

    se a materia não existisse ou fosse imutável, o tempo deixaria de “passar”?

  • alex2014:

    Apenas para quem esta capacitado a entender !
    Se retirarmos todas as formas que conhecemos de medir o tempo
    então
    chegaremos a consciência sem corpo físico emersa no nada relativo do universo
    retirando a consciência do universo vazio pois é a consciência que tem a
    percepção do tempo e teoricamente sem consciência não haveria
    noção de tempo ;
    se imaginarmos um teórico universo vazio sem vida ou consciência que verifique o tempo
    isso não prova que lá não há nada ;
    por não existir uma consciência que tenha percepção de algo no universo
    não prova que não exista algo lá embora não tenha quem veja o que esta lá ;
    portanto mesmo não existindo quem possa provar o que existe
    em nosso teórico universo vazio de toda forma de vida possível
    pode eu digo pode haver no universo uma massa e massa é igual a energia e energia tem obrigatoriamente frequência e período que pulse uma frequência constante que permite a qualquer consciência que esteja lá
    perceber o tempo como pulsos ou ondas períodos de frequência dessa massa que ainda não foi estudada
    porque nossos microscópios são uma vergonha para os Deuses
    assim prefiro aceitar a teoria dos quantas de energia MQ que explicou REBELO
    estudem mais !

  • RebeloFernandes:

    O tempo.
    Realmente a expressão da equivalência da energia com a frequência na M.Q., já é antiga. Começou por ser uma solução prática proposta por Planck e posteriormente teorizada por Einstein.
    A análise aqui feita acerca do tempo é nova.
    A velocidade da luz ao longo do tempo, porque o tempo varia devido à expansão do Universo e às alterações de velocidade, não será constante.
    Por outro lado sabemos que os fotões (luz) com maior energia se deslocam a menor velocidade do que os que possuem menor energia.
    O espaço percorrido pela “luz” durante todos os tempos curvados equivalentes é que é constante.
    Se reparou eu tive o cuidado de por o termo “velocidade da luz” entre comas.
    Quanto a mim o que existe é o constante (medido num mesmo referencial) máximo potencial de fuga gravítica universal, gerado em qualquer local universal.
    Que é a velocidade de propagação da radiação de massa de todas as massas universais, radiação essa não corpuscular.
    A matéria é longa.
    http://rebelofernandes.com para quem tiver maior curiosidade.
    Obrigado pela sua atenção.
    Cumprimentos

    • Atsok:

      RebeloFernandes,
      Tudo bem. Obrigado por disponibilizar seus trabalhos.

  • RebeloFernandes:

    Matéria é composta por massa e massa é energia.
    Esta equivalência é conhecida desde o início do século XX.
    E = m C^2
    E – Energia
    m – massa
    C^2 – O quadrado da “velocidade da luz”.
    Cumprimentos

    • Atsok:

      RebeloFernandes,
      Matéria é composta por massa? Então matéria e massa são a mesma coisa?
      A velocidade da luz é realmente constante? Tem certeza?
      Meu caro. As equações científicas básicas todos conhecem. Não estou querendo menosprezar a sua magnífica exposição. Você não tem culpa que o modêlo atômico conhecido hoje seja apenas teórico. Os cientistas estão fazendo muita força para tentar provar isso mas parece que ainda não chegaram lá. Vai com calma que essa estória não é tão simples assim.

  • RebeloFernandes:

    Afinal o que é o tempo?
    Olhemos através da Mecânica Quântica e na sua mais corrente expressão da equivalência entre energia e a frequência da energia da matéria.
    E = h V
    Sendo E – Energia por unidade de massa (Chamemos nível de energia)
    h – Constante de Planck
    V – Frequência
    Como já estudamos anteriormente a frequência V é o inverso do período T.
    Teremos:
    E = h/T
    T é o tempo que demora um ciclo completo.
    T = h/E
    O período, ou seja o tempo é inversamente proporcional à frequência por unidade de massa da matéria.
    Ou seja, quanto maior for o nível de energia em que se encontra uma determinada massa, menor será o seu tempo.
    Nós temos/sentimos o tempo porque somos matéria, da mesma forma que o nosso relógio material, que se encontra no nosso nível de energia conta o tempo.
    Um corpo em movimento possui maior energia, daí o seu tempo ser menor, aliás já há muito defendido pela relatividade.
    Espero ter dado uma visão do tempo.

    • Atsok:

      RebeloFernandes,
      Sua explicação sobre o que é o tempo, foi bem fundamentada nos parâmetros científicos da Mecânica Quântica. Entretanto, se considerarmos que ‘massa’ e ‘matéria’ ainda são cientificamente, conceitos nebulosos, suas equações científico teóricas podem ser falaciosas.

  • Jose Manuel Abreu Fernandes:

    O tempo pergunta ao tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo responde ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem.

  • Jane Mazzutti Kussakawa:

    Acho que o tempo é um “marcador” no espaço.. 🙂

  • Denilson Rocha:

    Tudo muito bom, tudo muito bem e todo mundo é muito cool e descolado e filosófico e o tempo é uma ilusão e… QUAL O QUÊ! Vamos a um contraponto com um pouco de humildade intelectual: Pois eu assumo (e boa parte de nós poderia fazer esse exercício) que para mim, dentro das limitações da minha cabecinha mergulhada em realidade (a única que conhecemos) o tempo é ABSOLUTO e é extremamente DIFÍCIL (para mim) processar as idéias em contrário. Isso por uma razão simples: se reconhecemos a existência de um evento A e de um evento B, se conhecemos sua ocorrência e seus efeitos, sempre teremos que A ocorreu ANTES, AO MESMO TEMPO, ou DEPOIS de B. Se não reconhecermos a própria existência de “evento” aí é outra história… Vamos a um exemplo prático: esse assunto sempre me lembra uma conversa animada, porém frustrante, que tive com meu melhor amigo, regada a algumas cervejas, confesso. Ele muito mais íntimo dos assuntos de Física do que eu, historiador preso ao Tempo e à Terra. O diálogo foi exatamente esse:
    – Não adianta, essas coisas de viagem no tempo, do tempo ser relativo, etc… NÃO ENTRAM NA MINHA CABEÇA.
    – Por quê?
    – Porque o INSTANTE (em que existo, ajo e produzo efeito) é absoluto.
    – Elabore melhor.
    – Então vejamos: suponhamos 3 dados: 1. “EU” (que existo, agora), 2. Um ser inteligente num planeta qualquer na imensidão do Cosmos, quanto mais longe (no espaço), melhor (que supostamente exista, agora, e tenha as mesmas dúvidas sobre estar ou não sozinho no universo). E o 3º, uma forma de comunicação instantânea, uma espécie de Skype sem delay e de alcance universal. Nota: a inexistência desta ferramenta não inviabiliza a minha própria, tampouco a do ET, então podenos ficar com esse comunicador apenas no plano teórico, ok? Pois bem: no momento em que eu digo “olá” e o ET reponde de lá: “qualquer coisa”, então: ESSE INSTANTE É ÚNICO E ABSOLUTO. E se você colocar a culpa no meu comunicador universal, instantâneo e inexistente… Pois bem, ESQUEÇA-O, ele era só um elemento de ligação: Imagine então que o meu “alô” foi para a minha tia e o “qualquer coisa” do ET foi para alguém que estava a seu lado. Percebe? O instante passou! Esse ET não vai conseguir viajar, a qualquer velocidade que seja, a ponto de me ver dizer “alô” pra minha tia novamente. O que me diz?
    – Velho, não dá pra discutir contigo, tua Física é de 2º Grau!
    – :/

    • Eric Musashi:

      Seu raciocínio é apenas mais uma prova, entre incontáveis na história, de que a simples dedução lógica promove conclusões muitas vezes incompatíveis com o observado no universo.

  • Luiz Lima:

    Certa vez um professor disse que não existia conceito para tempo.
    Fiquei pensando a respeito e, ao meu ver, o tempo nada mais é que >>a comparação que fazemos entre a duração de dois movimentos<<. O tempo na verdade não existe, ou melhor, existe, mas apenas em nossa percepção emocional.

  • Jader Ferreira:

    O tempo é o que não muda em
    que você acredita.

  • Natan Bittencourt:

    Apesar dele insinuar que o tempo nada mais é do que uma abstração imaterial utilizada por nós para dar significado à referência dos processos físicos que observamos no mundo, ainda permanece sem resposta a questão do porquê que os eventos de nosso universo se desdobram sempre em uma direção do tempo e não na direção reversa. Se todas as leis da física tratam em pé de igualdade o passado e o futuro, por que então elas não permitem que um ovo ou um copo de água se desquebre em pelo menos 50% dos casos?

    • Eric Musashi:

      Causalidade.

  • Thiago Da Silva:

    Po a pergunta ali que o Guilherme fez no final é besta heim! Seguindo o modelo da reflexão do cara la da pagina do Across the Universe, o tempo não existe como uma linha(uma dimensão) ele é uma medição apenas, o tempo é a medição do movimento só isso. Para não haver tempo não tem que existir movimento, simples assim, mas como tudo está em movimento, então a medição tempo, que é só uma medição, pode ser medida. Essa é a reflexão exata, não há nenhuma primeira pergunta que precisa ser respondida em relação a essa reflexão…

  • Dinho01:

    Frase tirada do filme brasileiro “Área Q”:”Tempo é uma questão de percepção”.

  • Humberto Medeiros:

    O TEMPO SERIA APENAS UMA UNIDADE DE MEDIDA PARA REFERENCIAR UM EVENTO NA HISTORIA / É SÓ UMA REFERÊNCIA ENTRE A PERCEPÇÃO DE UM EVENTO ATÉ O MOMENTO ATUAL /O TEMPO NO FUTURO NÃO EXISTE, POIS NÃO EXISTE EVENTO PARA SE TER COMO BASE PARA SUA CONTAGEM.

  • D. R.:

    Também penso como o Deleon; para mim, o tempo é apenas uma invenção humana para contar o movimento e as transformações da natureza; se tudo fosse estático e imutável, não faria sentido contar o tempo ou existir presente, passado e futuro. Por isso que também acredito que é realmente impossível voltar ao passado, pois o tempo seria apenas uma ilusão.

    Agora, se o tempo realmente for uma quarta dimensão além das três dimensões espaciais (como prevê a Teoria da Relatividade; e com Einstein não se brinca), então, aí a coisa fica mais complicada e o tempo existe de fato como algo real. Sendo assim, teoricamente, seria realmente possível voltar ao passado.

    Novamente, penso como o Deleon, que neste caso do tempo passar mais devagar conforme se aumenta a velocidade, seria outro mecanismo escondido que faria com que os processos atômicos ficassem mais lentos e daria a impressão de que o tempo passou mais devagar.

    Mas isso tudo é apenas especulação; porém, já li uma vez um texto sobre o que os cientistas pensam sobre o tempo e especulava-se justamente isso: se o tempo era uma invenção humana para contar o movimento ou se era algo real. Uma das dificuldades da hipótese do tempo realmente existir e ser uma outra dimensão é que o universo teria que ter cópias de todas as suas partículas, ou seja, cópias de si mesmo para cada instante desde o seu surgimento. Porém, neste caso, poderia ser possível a viagem ao passado; já que a cópia de todo o universo estaria naquela posição temporal para onde se viajou.

    Por isso, acho a primeira hipótese (a de que o tempo é uma ilusão e uma invenção humana) mais simples e mais factível. Mas, a Teoria da Relatividade está aí para mostrar o contrário e até hoje não foi refutada e nem se encontrou uma teoria alternativa que excluiria o tempo como uma quarta dimensão.

    Vale a pena ler os artigos abaixo para ver o quanto o assunto é polêmico:

    – O TEMPO É REAL ou É UMA ILUSÃO?:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=tempo-realidade-ou-ilusao

    – SETA DO TEMPO É CONFIRMADA, O UNIVERSO NÃO DÁ MARCHA-A-RÉ:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=assimetria-tempo-confirmada-universo-nao-marcha-re&id=010130121126

    – FUTURO DO UNIVERSO PODE ESTAR INFLUENCIANDO O PRESENTE:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=futuro-universo-influencia-presente&id=010830110830

    – INFLUÊNCIAS ESCONDIDAS PODEM EXISTIR ALÉM DO ESPAÇO-TEMPO:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=alem-espaco-tempo-influencias-escondidas&id=010130121112

    – CIENTISTAS QUEREM TESTAR SE VIVEMOS EM UMA MATRIX:

    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=cientistas-querem-testar-se-vivemos-matrix&id=010130121106

  • Deleon Jerez:

    Acredito que o tempo não tem existência real e é apenas uma variável matemática usada para medir a intensidade dos fenômenos. Se não há fenômeno também não há tempo. Por exemplo: um corpo envelhece em razão dos fenômenos biológicos que se processam nas células numa determinada intensidade medida por comparação com o fenômeno de rotação da Terra. Se o mesmo corpo for congelado o processo biológico para de se processar como se o tempo também parasse. Quando este ser fosse descongelado ele se sentiria como tendo dado um salto ao futuro, mas, na realidade, o que aconteceu foi que seu Tempo (fenômeno de envelhecimento) foi voluntariamente interrompido, enquanto os fenômenos externos a ele continuaram a sua evolução no mesmo ritmo original, atingindo os estágios posteriores muito mais rápido do que ele.
    Dentro desse conceito uma viagem ao passado exigiria que todos os fenômenos retroagissem e retornassem ao seu estado anterior, como um filme passado do fim para o começo, o que parece impraticável. A viagem ao futuro pela mesma razão não seria factível. A hipótese de se viajar na velocidade próxima à velocidade da luz para podermos presenciar o futuro permanecendo jovens, na realidade não poderia ser considerado uma viagem ao futuro, mas apenas uma redução da intensidade do envelhecimento.

  • Stefano Massimo:

    Acho que o tempo é apenas uma unidade de medida teórica, pois não se pode medi-lo por si só. Ele esta sempre relacionado a alguma coisa, para fazer sentido.

    Estarei errado ?

    • Lucas Noetzold:

      Creio que esteja correto. Como é dito nos outros comentários, quando não há interação o tempo não é necessário. Se o universo se resumisse apenas a uma única partícula básica (idivisível), neste sistema jamais haveria interação e portanto não há como medir tempo.

  • luysylva:

    seria bacana, se os acontecimentos, ficassem guardados no tempo, como guardamos e salvamos, arquivos no nosso micro-computador.Se isso for for capaz de ser feito, em tão poderemos ver as coisas dos passado, é claro se voltamos o relógio do tempo espaço para traz.

  • luysylva:

    o tempo sempre seguir em frente, nunca volta atras, por exemplo eu estou teclando essa mensagem nunca mais, vou teclado do mesmo jeito, sempre em frente e adiante.

    • Nilo Nogueira:

      Perdoe-me por discordar de você Luysylva.
      Em um buraco negro por exemplo, devido à condições físicas extremas, o espaço torna-se unidirecional, e o tempo torna-se bidirecional. O que significa que não existe como mudar de direção no espaço, mas no tempo você pode ir e voltar.

    • JHR:

      Acho melhor você rever seus conceitos…

      http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=assimetria-tempo-confirmada-universo-nao-marcha-re&id=010130121126

    • Costa:

      luysylsa,
      Isso não tem nada a ver com tempo. Isso é apenas a confirmação da lei de impermanência. Como já dizia Lulu. Nada do que foi será igual ao que já foi um dia.

  • RebeloFernandes:

    A matéria, da qual somos feitos, é energia.
    A energia é caracterizada pela sua frequência.
    Quanto maior o nível de energia de um corpo maior a frequência da sua energia.
    Como se tivessemos uma frequência por unidade de massa.
    Como sabemos o inverso da frequência é o período.
    O período é o tempo.
    Quanto maior for a frequência unitáriã, mais lentamente passa o tempo, pois como vimos o período/tempo é o inverso da frequência.
    Quando aumentamos a velocidade de um corpo, aumentamos a sua energia total, pois para além da energia da sua massa passa a ter aind a energia cinética do seu movimento, pelo que irá aumentar a sua frequência e o seu tempo será mais lento.
    Nós temos a nossão do tempo porque somos matéria e vivemos num determinado nível de energia, com uma determinada frequência unitária (C^2/h).
    Espero ter acrescentado algo sobre o tempo.

    • Lucas Noetzold:

      Faz sentido, mas massa não é energia, apenas pode ser convertida em tal, então ela não tem uma frequência (acho eu).

    • Costa:

      Lucas Noetzold,
      Massa ou matéria é energia em potencial. Todas as coisas vibram numa determinada frequência. A diferença de uma coisa para outra é caracterizada pela frequência de sua vibração. Uma pedra é diferente de uma maçã porque vibra em frequência diferente. Uma pedra rústica é diferente de um diamante porque vibra em frequência diferente, e assim são todas as coisas. Mas nada disso tem a ver com o tempo. O tempo é certamente uma ilusão a que estamos condicionados. Por isso inventamos o relógio e o calendário. Assim, convencionamos chamar as diferentes etapas do dia, de segundo, minuto, hora, dia, semana, mes, ano, século, etc…, ou seja, é tudo uma questão de convenção.

  • Eliseu Machado:

    Palavras do pregador, filho de Davi, rei em Jerusalém.
    Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.
    Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol?
    Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.
    Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.
    O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.
    Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.
    Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.
    O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.
    Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós.
    Já não há lembrança das coisas que precederam, e das coisas que hão de ser também delas não haverá lembrança, entre os que hão de vir depois.
    Eu, o pregador, fui rei sobre Israel em Jerusalém.
    E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.
    Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito.
    Aquilo que é torto não se pode endireitar; aquilo que falta não se pode calcular.
    Falei eu com o meu coração, dizendo: Eis que eu me engrandeci, e sobrepujei em sabedoria a todos os que houve antes de mim em Jerusalém; e o meu coração contemplou abundantemente a sabedoria e o conhecimento.
    E apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras, e vim a saber que também isto era aflição de espírito.
    Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor.
    Eclesiastes 1:1-18

  • Alberto Campos:

    O tempo é uma incógnita. De acordo com a fisica atual (fisica padrão) é uma dimensão (seria a quarta dimensão), nasceu com o big bang, juntamente com o tempo e faz conjunto com o espaço (de acôrdo com Einstein), formando o espaço-tempo. Tudo isto pode estar errado e acredito que Newton estava certo. Para tirar duvidas recomendo ler o blog: “Olhando o Universo”. Lá você vai encontrar outra explicação mais lógica.

  • SubHeaven Von NordHein:

    Lucas. Beleza? Acho que sobre a velocidade da luz, esse vídeo pode te ajudar a entender um pouco melhor. Achei esse vídeo aqui mesmo no HypeScience.

    http://www.youtube.com/watch?v=NnMIhxWRGNw

    • Lucas Noetzold:

      Sou inscrito do minutephysics e já tinha olhado esse video. Realmente eu não sabia a “equação completa”, mas ainda assim não entendo a diferença entre o tempo de interação (espaço/tempo) quando não se tem uma medida linear.

  • Lucas Noetzold:

    Algém pode me dar uma luz. Pelo que sei (ou não sei) das teorias que unem o espaço e o tempo, a distância é o tempo pois nada seria mais rápido que a luz e portanto a distância entre um objeto e outro é o tempo mínimo para interação dos mesmos (velocidade da luz). Aí não entendo se este tempo/espaço é algo diferente do tempo que simplesmente passa quando não contamos interações (imagine algo inatingível por qualquer interação e que é unidade portanto não interage consigo mesmo), aí não há tempo/espaço e não há como medir tempo, ainda assim o tempo passa? A pergunta deve estar difícil de entender pois eu mesmo não consigo definí-la direito, se entender ou achar que entendeu responda! Ficarei grato.

    • AURIBERTA ALVES:

      Perfeita a descrição do tempo, porque é exatamente o que a fisica Quântica tem por teoria.
      Fabulosa….
      AURIBERTA E O MUNDO.
      http://www.auribertaeomundo.com
      Compartilhada e Vinculada ao Google Chrome – Google+

  • Décio Luiz:

    Opinião.
    “Tudo é passado em relação ao “Homem”….

Deixe seu comentário!