Tribunal no Egito suspende Youtube por causa de filme anti-islâmico

Por , em 9.02.2013

Um tribunal egípcio ordenou a suspensão do Youtube durante um mês por divulgar um filme que insulta o profeta Maomé.

A corte ordenou o ministério das comunicações e investimentos do Egito a bloquear o acesso ao Youtube por causa do filme “Innocence of Muslims” (A Inocência dos Muçulmanos).

O filme causou furor em diversos países muçulmanos e levou a protestos anti-estadunidenses no último setembro.

O vídeo mostra Maomé como um imbecil e pervertido sexual. Para os muçulmanos qualquer representação de Maomé é considerada blasfêmia.

O Youtube “insistiu em divulgar o filme que insulta o islã e o Profeta, desrespeitando as crenças de milhões de egípcios e desconsiderando a ira de todos os muçulmanos”, disse o tribunal de acordo com a agência estatal MENA.

Autoridade Nacional Reguladora de Telecomunicações do Egito disse que vai cumprir a decisão assim que receber cópia do veredito.

Maha Abouelenein, porta-voz do Google no Cairo, disse que a empresa ainda não recebeu qualquer notificação formal da decisão.

O filme já foi assistido por milhões de pessoas e legendado em dezenas de idiomas, inclusive o português como você pode ver abaixo. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • Safira Cris:

    Filmezinho tão ruim e sem graça como este, só assistiria mesmo se falasse que foi proibido, como eu fiz agora. É sempre assim quanto mais proíbe mais você sente vontade de fazer (assistir), agora não acho que foi desrespeito não, felizmente as pessoas desta década vai aprender da pior formar que a liberdade de escolhe está cada vez mais forte com Era da internet, e que nenhuma forma de regime autoritário vai passar sem piada ou critica. Acabou o tempo que você morria por falar que não iria seguir um governo ou uma religião.

  • Grasiela Ventura:

    O filme me pareceu bem ruizinho…eu teria proibido o Youtub por uns 5 anos …Não sei pra que cutucar a onça com vara curta…depois leva uma bomba na cabeça e acha ruim

  • Orlando Rios:

    Temos que respeitar a crenca e a descrenca alheias mas os muculmanos deram um tiro no pe ao proibirem uma ficcao,

  • Fabian Ferraz:

    A ideia política de Mohamed foi boa: criar uma religião com três profetas, um do Judaísmo, outro do Cristianismo, e o terceiro sendo ele mesmo. Só que não deu certo, pois não uniu Judeus nem Cristãos, e o Islamismo só virou uma outra religião.
    Como a Bíblia é obra de literatura fantástica (tem romance, guerra, orgias, estupros, fraticídio, infanticídio, traição, incesto, torturas, bebedeira, cataclismas, seres míticos, super heróis, poderes mágicos etc.), qual o problema de se fazer piadas com textos isentos de seriedade?

    • Maria Isabel Francisca:

      Fabian Ferraz, o problema ao se fazer piada sobre religião é que a piada causa ainda mais violência e ódio neste nosso já conturbado mundinho hipócrita. Religiosos em sua maioria ( não todos, felizmente) acreditam possuir a verdade absoluta. Apenas o(s) deus(es) em que acreditam existem e os deuses de outras religiões não passam de demônios. Essa intolerância a diversidade religiosa gera conflitos. Ninguém quer ouvir as atrocidades ou falhas de sua religião. A piada pode ser boa, pode ser verdadeira, mas de que adianta? Esse filme A Inocência dos Muçulmanos por exemplo, pode ter divertido alguns, mas fez tantos outros odiarem ainda mais os americanos.

  • luciana:

    Lamentável.
    Os autores do texto não lograram êxito em desrrespeitar e ridicularizar o islamismo.
    Idiotas deste tipo fazem piada com Jesus, Buda, qualquer outro lider religioso.

Deixe seu comentário!