Por que antidepressivos normalmente não funcionam?

Publicado em 14.01.2010

medicamentos antidepressivos

Pesquisas mostraram que os medicamentos antidepressivos não funcionam para aproximadamente metade das pessoas que os usam. Recentemente, um estudo com ratos tentou explicar o porquê dos remédios mais comuns (como o Prozac e o Zoloft) não tem o efeito desejado.

Esses remédios antidepressivos aumentam o nível de serotonina no organismo. A serotonina é um neurotransmissor, ou seja, uma substância que transmite mensagens químicas para o cérebro. Os pesquisadores constataram que ratos geneticamente modificado e que apresentavam maiores níveis de um tipo de receptor de serotonina respondiam menos aos antidepressivos.

» Erva de São João cura depressão?

Uma maior quantidade de receptores acaba umedecendo os neurônios produtores de serotonina e freando o sistema, fazendo com que os remédios não funcionem.

Para que essas conclusões fossem alcançadas, a equipe de pesquisadores manipulou ratos geneticamente, para que alguns tivessem mais receptores de serotonina e outros menos. Então os cientistas perceberam que, expostos a medicamentos antidepressivos, os ratos com menos receptores se tornavam mais corajosos na busca de comida do que aqueles com mais receptores. Ou seja, o antidepressivo fazia mais efeito para aqueles com menos receptores.

» O mito da cura química

Os resultados podem ajudar os médicos a identificar medicamentos que não funcionem com determinado paciente e também pode auxiliar as empresas fabricantes de remédio a buscarem incorporar novas substâncias em suas fórmulas, para que os antidepressivos funcionem para todas as pessoas.

[Reuters]

Autor: Eduardo Martins

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

16 Comentários

  1. Eixo psíquico-neuronal-endócrino-imunológico-enrgético funcional?????? Por favor, me poupem de toda essa baboseira mística-new-age-pseudo-espiritual!!!

    Thumb up 6
    • E o que significa “Uma maior quantidade de receptores acaba umedecendo os neurônios”???? É para rir?

      Thumb up 0
  2. a pessoa que tem depressão deve aprender a brincar com ela. a depressão não é ruim. no momento que aprendemos a conviver com ela a aceitar aí se está no controle da mesma. é como nos ensina paulo coelho a fazer um pacto com nossos demonios internos. o antidepressivo é válido principalmente em casos de stress maximo.

    Thumb up 4
  3. Tenho depressçao já usei varios remédios da are química os resultados foram negativos tenho muita anciedade um anciolítico que uso em alguns dias funciona em outros não comecei fazer um tratamento espiritual estou tendo um resultado um tanto positivo embora faça pouco tempo; que estou tratando e essas coisas são um tanto que de moradas faço outras práticas como algus exercicios Viparita Karany Pranayama tomar sol.mas quando estava tratando só com remédios o resultado era quase zero.a depressão é muito complexa e dificel de se lidar com ela.

    Thumb up 2
  4. Núcleo de saúde e espiritualidade!!!!

    Pára com isso. Devolvam o dinheiro público.
    Um bado de pseudo-cientistas que assistiram “”Quem somos nós?” jogando dinheiro fóra

    Thumb up 2
    • Por favor, não fale oque não sabe. O filme Quem somos nós é na verdade um livro um tanto quanto complexo. Se você não acredita nele, ok… Mas procure saber se tem algum fundo de verdade, e você verá que possui sim, e chama-se MECÂNINCA QUÂNTICA, então vai pra la com esse mecanicismo clássico de que somos meros computadores que só respondem a estímulos e não há nenhum espirito em nós, alma, ser interior, como quiser chamar.
      Outro livro que você deveria ler para acabar com esse sua ignorância medíocre é: Muito além da velocidade da luz escrito por Marc Seifer, Ph. D em física.
      Pesquise mais sobre esse novo ramo da física que lida com a parte espiritual (não necessariamente com a existência de um Deus, embora eu acredite), e fale coisa coesa e coerente.
      Se fui mal-educado, me desculpe, porém tenha base quanto for argumentar/comentar alguma coisa, vlw….

      Thumb up 4
  5. Acho que a pessoa pode acreditar em curas espirituais ou toda a sorte de alternativa a medicina tradicional.
    Só náo concordo quando ela passa a informaçao maqueada de ciência. O método cientifico exige que haja a repetibilidade de resultados. Qual seria a quantidade de espiritualidade necessária pra curar um resfriado?????

    Isso é tào válido quanto achar que ir na igreja te cura, ou ir no terreiro tomar baforada de tira as doenças. Não estou denegrindo,de forma alguma. Mas FÉ e CIÊNCIA sào coisas imcompatíveis.

    E sobre as cadeiras da universidade: nao existe faculdade de TEOLOGIA? ou LETRAS? Nào tem nada de ciencia nisso.

    A discussào nào eh sobre a validade do conhecimento. E sim,sobre ser ciencia,ou nao. Se depende da fé,que eh algo pessoal,ou nào.

    Se bem que vc pode dizer que acreditar na ciência exige tamanha vontade que seria uma outra fé,disfarçada…Mas aí é papo pra vida inteira. hehehhe

    Thumb up 3
  6. concordo com o Clemente em todas suas observações, sou educador em saúde e realmente não é possivel tratar apenas uma camada do ser humano e esperar bons resultados. Espeor que os comentaristas aqui busquem mais informação a respeito da depressaõ

    Thumb up 1
  7. Caro hiqx, vivemos numa época em que o fator espiritual e a espiritualidade já estão sendo incorporadas em nosso meio científico, por exemplo na UNIFESP, assim como em outras universidades existe o chamado NUSE: Núcleo de saúde e espiritualidade, que visa inclisive a desvendar e empregar técnicas como o tchi kung, muito útil para pacientes neuropatas também.
    Especificamente aqui eu referi ao fator espiritual, como um fator já conhecido pela física quantica, onde também reconhece-se a participação do experimentador na conclusão final de qualquer evento e principalmente como um fator que se for valorizado, seguramente exterminará com o emprego de substâncias sintéticas para tratar casos que podem ser tratados através da participação do próprio paciente, na medida em que ocorre um novo aprendizado.
    Definitivamente esta perspectiva é bem diferente da convencional
    proposta de considerar o ser humano como incapaz de se auto-gerenciar…

    Thumb up 1
  8. Desconheço qualquer coisa a respeito do famoso “eixo psíquico-neuronal-endócrino-imunológico-enrgético-funcional”.
    Porém o que me fez discordar da afirmação foi o tom místico o qual envolve um “plano espiritual”, falar de ciência é falar de ciência.

    Agora o pq de não funcionar em tdo mundo remédios antidepressivos esta explicado claramente no site, as variações biológicas é a chave do pq em um e outros não, agora novidade saber que o receptor ficaria não funcional qnd umido.

    Thumb up 2
  9. Antidepressivos não funcionam porque as pessoas tomam remédios (psiquiátricos) sem tratar a mente (psicólogos). Foi mais do que provado (se vire e procure) que pessoas que se submeteram a ambos os tratamentos tiveram maiores melhores chances de recuperação.

    Thumb up 4
  10. Aliás, procurem também se descobrir, pois da forma leviana e vulgar
    como tem sido estes comentários, a conclusão parece ser de que realmente vc.s não tem a menor noção de para que serve a cabeça, o coração, menos ainda de quem vcs. são.

    Quanto a questão de espírito então, acredito que a única recordação q. vc.s tem era da época em q. vcs. assistiamao gasparzinho, não é mesmo?????

    Thumb up 1
  11. Ha, ah, ah, ha, ha…
    É isso aí criançada, vão ler um pouco mais antes de falar qualquer coisa!

    Thumb up 2
  12. Nossa… realmente, todo mundo sabe que tem um eixo psíquico-neuronal-endócrino-imunológico-enrgético-funcional!

    hahahah

    Thumb up 2
  13. Antidepressivos químicos não funcionam também porque destroem o eixo das pessoas.
    Todos nós temos um eixo: psíquico-neuronal-endócrino-imunológico-enrgético funcional.
    Isto quer dizer que nossos componentes básicos: físico, energético, emocional e espiritual naturalmente se organizam para dar condições de uma vida plena a cada um de nós.
    Quando ingerimos uma substância que é sintética, portanto sem correspondência com outros componentes, isto leva além de tudo a dependência, e o pior ao nosso “desnorteamento”.

    Thumb up 1

Envie um comentário