Era do Gelo: mamutes de espécies diferentes podem ter cruzado

Publicado em 6.06.2011

Os mamutes-lanosos (Mammuthus primigenius) viveram no nosso planeta há mais de um milhão de anos entre a Europa, norte da Ásia e até na América do Norte, mas sumiram há cerca de 10 mil anos.

Apesar da espécie viver geralmente na fria região da tundra, o mamute colombiano (Mammuthus columbi) preferia lugares temperados como o sudeste da América do Norte. Ele era até uma vez e meia maior que seus “parentes” do frio.

“Estamos falando de duas espécies totalmente diferentes”, disse o pesquisador Hendrik Poinar, da Universidade de Hamilton, do Canadá. “Temos praticamente um milhão de anos de separação entre os dois. Os colombianos podem ter derivado de uma migração da América do Norte que aconteceu há aproximadamente 1,5 milhões de anos, e os lanosos teriam emigrado de lá 400 mil anos atrás”.

Poinar e seus colegas analisaram o DNA das mitocondrias das células de ossos e dentes de fósseis dos animais do tipo colombiano. Eles descobriram que o genoma era muito parecido, quase indiscernível, de exemplares do lanoso.

“Primeiro pensamos que a amostra havia sido contaminada”, disse Poinar. Contudo, qualquer contaminação que pudesse encontrar explicaria as evidências genéticas que eles descobriram, então, decidiram replicar a experiência em outro laboratório. “Para mim, estamos olhando para uma espécie híbrida”, disse o pesquisador Jacob Enk.

O que eles supõem é que, quando o frio da era glacial ficou muito difícil de suportar, os lanosos migraram para locais de temperaturas mais amenas, onde entraram em contato com os colombianos. Segundo Poinar, a prole resultante da mistura era perfeitamente fértil.

As descobertas poderiam explicar porque alguns fósseis de mamute tinham características intermediárias entre aquelas duas espécies, apesar do genoma das duas espécies ter de ser sequenciado para dizer com absoluta certeza.[LiveScience]

Autor: Letícia Resende

Jornalista curiosa, adora novidades, encantada pela ciência e tecnologia

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

3 Comentários

  1. Melhor gastar dinheiro com “isso” do que com educação no Brasil, a julgar pelo comentários.

    Thumb up 1

Envie um comentário