Nova ilha do Paquistão foi criada por um “vulcão de lama”

Publicado em 26.09.2013

4B9146604-130924-new-island-jsw-1252p.blocks_desktop_large

Uma nova ilha medindo cerca de 12 metros de altura e aproximadamente 60 metros de comprimento (as primeiras estimativas indicavam a metade desse tamanho) apareceu na costa do Paquistão após o devastador terremoto de magnitude 7,7, na última terça-feira (24). Os geólogos dizem agora que a ilha se formou depois que o tremor acionou um vulcão de lama.

ku-bigpic

A nova formação rochosa, que é provavelmente temporária, está neste momento a cerca de 600 metros do litoral de Gwadar, no Mar da Arábia, em uma região conhecida por seus vulcões de lama.

Os moradores mais antigos da cidade costeira afirmaram que o surgimento da ilha foi um déjà vu. “O terremoto em 1968 também produziu uma ilha, que permaneceu por um ano, e depois desapareceu”, relataram Ali Mohammad, de 60 anos, e Azeem Baloch, de 57, à NBC News. E em 2001, um tremor também de magnitude 7,7 no mesmo país produziu um vulcão de lama a cerca de 480 km de distância do epicentro.

Os vulcões de lama se formam quando jatos de lama, areia e água são pressurizados e expelidos para o sedimento subjacente. “As camadas de areia no subsolo são abaladas, fazendo com que os grãos de areia também sejam atingidos e se tornem mais compactos”, explica John Armbruster, sismólogo do Observatório Planetário Lamont Doherty, da Universidade de Columbia, Estados Unidos. A distância da ilha para o epicentro do terremoto é “um pouco surpreendente”, considerou Armbruster, que adicionou que “os sedimentos são muito macios e sensíveis a isto”.

Este processo geológico – a liquefacção de camadas de areia e lama – pode acontecer após qualquer tipo de terremoto. Normalmente, porém, é necessário um abalo de magnitude 7 ou 8 para criar uma nova ilha.

Confira, abaixo, um vídeo do ano passado que mostra justamente um vulcão de lama em erupção:

Na década de 1940, outra ilha de tamanho considerável se levantou acima do nível do mar, mas não durou muito tempo. Depois de um terremoto próximo à cidade portuária de Karachi, também no Paquistão, o Serviço Geológico Indo-Britânico registrou o surgimento de uma nova ilha “grande o suficiente para que as pessoas pudessem atracar um barco e andar sobre ela”, lembrou Armbruster. “Dentro de dias ou semanas, ela desapareceu”.

“Os pesquisadores do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) investigam neste momento a nova formação”, contou Paul Earle, um geofísico do USGS. Está claro que “as ilhas não são criadas porque a terra é empurrada para cima pelo terremoto”, disse ele. O mais provável é que este seja um efeito secundário da mudança de sedimentos.

Earle também concorda que a formação parece ter sido causada por um vulcão de lama, mas acrescentou que é preciso um terremoto para que isso aconteça. “Existem vulcões de lama no Parque Nacional de Yellowstone [localizado nos estados de Wyoming, Montana e Idaho, Estados Unidos] que não foram provocados por terremotos”, ressaltou.

Enquanto vulcões de lama são típicos da costa da região paquistanesa do Baluchistão – caracterizada por camadas de sedimentos soltos e úmidos –, diversas dessas ilhas instantâneas também aparecem repentinamente em outras partes do mundo, contou Stephan Graham, geólogo da Universidade de Stanford, EUA.

O surgimento de ilhas costuma acontecer ao longo de falhas geológicas, onde uma placa tectônica desliza sob a outra, como a zona de subducção na Nova Zelândia. “No caso das falhas, como a de San Andreas, em que a Placa do Pacífico e a Placa da América do Norte deslizam ao lado uma da outra, é mais difícil encontrar tais formações”, disse Graham.

E quanto aos estragos do recente terremoto no Paquistão, o número oficial de mortos subiu para 328, além de 450 feridos, segundo dados oficiais relatados na última quarta-feira (25). A expectativa, entretanto, é de que a estatística aumente consideravelmente nos próximos dias. O exército do Paquistão já foi mobilizado para socorrer os sobreviventes.

“Temo que o balanço continue aumentando”, afirmou Jan Muhammad Buledi, porta-voz do governo provincial, à Agence France Presse. “As equipes de resgate ainda não conseguiram chegar às localidades mais afastadas, pois a região é grande”, explicou. “Seis distritos – Awaran, Kech, Gwadar, Panjgur, Chaghi e Khuzdar – e uma população de mais de 300 mil pessoas foram afetados pelo tremor”, declarou Baledi. [NBC News e io9]

Autor: Bruno Calzavara

Bruno Calzavara é recém-formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e está de volta à equipe do Hype após dois anos. Adora todos os esportes, exceto futebol. Gosta de chocolate e de sorvete, mas não de sorvete de chocolate.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1 comentário

Envie um comentário

Leia o post anterior:
130925092111-large
Físicos descobrem surpreendente uso para neutrons ultrafrios

Físicos descobriram ...

Fechar