O derretimento de parte das geleiras pode aumentar ainda mais o degelo

Publicado em 11.11.2010

Segundo um novo estudo, a água de degelo que flui através das fendas nas geleiras e lençóis de gelo pode ser o ingrediente secreto responsável por acelerar o aquecimento dos blocos gigantes de gelo, e aumentar a sua velocidade de derretimento à medida que avançam.

Os cientistas desenvolveram um modelo que analisa a forma como esses fatores afetariam a transferência de calor dentro de glaciares e lençóis de gelo. O modelo prevê que a água, fluindo em riachos e córregos na superfície, mesmo criando pequenos lagos de água parada dentro de geleiras, pode ser um agente significativo do aquecimento global.

Os desenvolvedores do modelo dizem que nem é necessária muita água para começar a aquecer os arredores das geleiras. Negligenciar esse fato tem sido uma das razões pelas quais os modelos não têm sido capazes de reproduzir o que realmente estava acontecendo.

Segundo os pesquisadores, os cientistas pensavam que a água derretida se movia pelo gelo rapidamente antes de atingir o mar. Após um exame mais detalhado, eles descobriram que a água aparentemente passa mais tempo dentro do gelo do que os cientistas percebiam.

Isso é preocupante, já que muito gelo está derretendo. A Grande Geleira da Groenlândia, que tem milhares de metros de espessura e acolhe muitos glaciares, é um exemplo. O clima está esquentando na Groenlândia, por isso há mais derretimento na superfície. Ao longo da década passada, cada vez mais a geleira derreteu.

Os modelos anteriores não haviam sido capazes de explicar as observações dos cientistas do derretimento das camadas de gelo e geleiras, mas o novo modelo introduz um mecanismo possível para explicar como as mudanças na temperatura da superfície podem afetar a temperatura no fundo do gelo espesso.

Anteriormente, os cientistas pensavam nesse derretimento como um processo de condução, muito lento. Os pesquisadores compararam o processo de condução no interior das geleiras a um processo comum na cozinha. Por exemplo, se você colocar um peru congelado no forno, demora um pouco para o centro da ave congelada sentir os efeitos do calor. O novo modelo é uma maneira de trazer o calor da superfície muito mais rapidamente para o centro das geleiras do que através da condução.

Uma das descobertas mais importantes do trabalho recente é que o efeito do degelo (da água derretida) no aquecimento no interior das geleiras pode aumentar rapidamente a taxa de aquecimento dos corpos de gelo.

Uma pequena mudança na temperatura pode realmente ter um impacto bastante grande no aumento do fluxo e velocidade desse aquecimento. As mudanças devem acontecer na ordem de décadas, em vez de ao longo de milênios, como modelos anteriores indicavam.

Os resultados encontrados até agora são baseados só no modelo, mas os pesquisadores já partiram para Grande Geleira da Groenlândia para levantar dados que confirmem as descobertas.[OurAmazingPlanet]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

7 Comentários

  1. pra que dizer que uma coisa
    esta tudo bem
    se esta
    tudo
    mal
    e tudo bem mal cuidade por nos
    seres humanos
    se nos
    não cuidar disso quem vai
    cuidar os animais
    que sobreviver…

    Thumb up 3
  2. Isso é a coisa mais óbvia existente. Qualquer aluno que tenha bom conhecimento de termologia/termodinâmica no ensino médio poderia imaginar isso.

    Thumb up 4
  3. A questão troll, é que o seu gelo e a agua que saem da sua torneira, tem temperaturas bemm bem diferentes..assim fica tão mais evidente de observar.

    Thumb up 1
  4. Jorginho, “está tudo bem, pessoal” :p

    Eu acredito que está tudo bem. Está havendo mudanças sim, mas a Terra sempre foi palco de várias e diversas mudanças, também climáticas. Sempre num ciclo, esfriando e esquentando, independente do homem.

    Dizem que o aquecimento atual é culpa humana, mas há controvérsias (procurem “Molion” no youtube). Sendo ou não, acredito que estamos aqui de passagem. Não cada um de nós, mas a raça humana em geral. Nenhuma soberania dura para sempre.

    Espécies não estão se extinguindo só agora não, sempre houve isso. Lei evolucionista de Darwin. Apesar das valiosas perdas que temos, novas espécies surgirão mais aptas para viverem nesse mundo em metamorfose, como já acontece. “A vida criou um meio” (como já dizia Alan Grant) e continuará criando.

    Thumb up 3
    • Certeza, Hugo? Claro que todas estas mudanças q estamos vendo já aconteceram antes, mas algumas coisas estão diferentes sim… por exemplo, creio q esta é a 1ª vez na história da Terra, em que, no processo de degelamento da crosta do pólo Ártico, há a liberação de toneladas de mercúrio – entre outros metais pesados, como chumbo, todos descartados na natureza pelo homem – q se acumularam lá por centenas de anos, levados pelas correntes marítimas. E esses metais não causam pouco estrago não…

      Thumb up 0
  5. AH VÁ .. NÃO VOU PERDER NEM MEU TEMPO LENDO ESSA REPORTAGEM…
    SÓ PELO TÍTULO JÁ DÁ PRA VER QUE É UMA BABOSEIRA IMENSA.
    NINGUÉM NUNCA PERCEBEU EM CASA MESMO, QUE SE TEM ÁGUA BATENDO EM UMA PEDRA DE GELO, ELA SE DERRETE MAIS RÁPIDO ?
    SE NÃO ENTÃO, VOU REVER MEUS CONCEITOS, DEVO SER UM GÊNIO ADORMECIDO !!

    huauaUAUHUHaUHUHAUHAUHAuhahuauh

    Thumb up 1
  6. Cadê os que diziam : ”está tudo bem pessoal?”
    Só espero que ainda temos alguma chance de reverter.

    Thumb up 19

Envie um comentário

Leia o post anterior:
aidslogo
Variação nas células torna algumas pessoas capazes de controlar a AIDS sem uso de medicamento

Certas variações nas...

Fechar