Pais superprotetores inibem o crescimento do cérebro de seus filhos

Publicado em 14.03.2010

Pais que fazem tudo pelos seus filhos, não lhe dando independência para tomar decisões e aprender com elas, podem estar acabando com mais coisas do que com sua liberdade. Ela pode estar diminuindo o crescimento de seu cérebro.

Crianças com pais superprotetores ou negligentes podem ter defeitos no crescimento normal do seu cérebro e serem mais suscetíveis a doenças psiquiátricas – associadas com defeitos no córtex pré-frontal.

pais superprotetoresPara investigar essa conexão, cientistas analisaram os cérebros de cinqüenta pessoas com cerca de vinte anos, e então pediram para que elas respondessem a questões relativas ao relacionamento com seus pais durante os seus primeiros 16 anos de idade. Os participantes deveriam analisar o relacionamento com seus pais com respostas do tipo “não queria que eu crescesse”, “tentava controlar tudo o que eu fazia” ou “tentava me tornar dependente dele/dela”.

Os cientistas então descobriram que os filhos de pais superprotetores tinham menos massa cinzenta. E não é só isso, quando os pais (não as mães) eram negligentes as crianças também tinham problemas no desenvolvimento de seus cérebros.

Essa falha de desenvolvimento no córtex pré-frontal é normal em pessoas com esquizofrenia e outras doenças mentais. De acordo com os pesquisadores é o excesso do hormônio do stress (cortisol) e a falta do hormônio da felicidade (dopamina) que prejudica o desenvolvimento cerebral.

Agora, quando sua mãe estiver te incomodando na hora do seu seriado preferido para que você faça a tarefa de casa, você pode mostrar essa pesquisa para ela – com certeza, ela largará do seu pé. [New Scientist]

Autor: Luciana Galastri

é jornalista. Viciada em livros, lê desde publicações sobre física a romances de menininha do estilo "Crepúsculo". Toca piano desde os oito anos de idade e seu estilo de música preferido é o metal.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

13 Comentários

  1. Tenho uma mãe que me sufoca e não me deixa fazer praticamente nada; tanto que nunca fui muito longe sozinha, não tenho amigos, e só consegui ganhar um computador com 16 anos! :O
    ‘Pai’ eu tenho no sentido de ele existir, pois não temos contato direto – eles são divorciados e eu ganho pensão; só isso que eu tenho dele, não que eu me importe.

    Pois é, né. Pobre de mim… Será que meus problemas de depressão, ansiedade, Transtorno de personalidade esquizóide e Transtorno de personalidade paranóide teriam a ver com a influência desses dois?

    Thumb up 1
  2. Olá, achei interessantíssimo!! Gostaria de ler mais sobre este assunto especificamente sobre se é possível corrigir o problema depois de adulto ou não. Pais super protetores geram filhos dependentes e depressivos. O que vocês orientam para alguém que se casou com um destes filhos? Quando os pais (sogros) começam a interferir… existindo até competição entre o velho lar e o novo lar.

    Thumb up 0
  3. Pois é… acabo de mandar este artigo à minha mãe… *-*

    Ela é extremamente protetora, por conta deles (meus pais) desenvolvi a síndrome do pânico e a depressão…

    E, concordo com o Rodrigo, ambos meus pais por excesso de cuidado acabaram me prejudicando, e bastante ‘__’ tanto que minha psicóloga irá encaminhá-los à um terapeuta, também, para que possam “aprender” a serem pais e até a confrontarem seus próprios problemas e bloqueios (minha mãe se mantém indiferente às minhas doenças).

    Ótimo artigo, curto, explicativo e muito bem elaborado. Seria bom que alguns papais lessem isso, para se conscientisarem que seus filhos também tem uma vida, e que tem de aprender com ela.

    Parabéns, adorei o artigo, está excelente.

    Thumb up 3
  4. eu sofro desse mal .-.
    Só comecei a sair de casa pra brincar com uns 7 anos…(to falando de brincar “na rua”… digo… 500 metros?) e só comecei a SAIR, com 10 ATÉ 12… básicamente minha infancia começou com 7 e terminou com 12 .-. passei boa parte dela vende desenho na tv. to com 17 agora e não tenho coragem(acho que da pra chamar assim…) de sair de casa… começo a meio que passar mal… como se algo muito ruim fosse acontecer sei-lá… não consigo me relacionar muito bem, tenho depressão des dos 12 entre muitos outros problemas… minha mãe é legal, não chega a ser “super protetora” daquelas que dizem pra vc fazer isso ou aquilo te obrigando… ela sempre dizia(ta errado?) – e diz – “faça o que vc achar melhor. só não venha chorar depois, já te disse o que eu acho.” acho que dá no mesmo né? hj não consigo(normalmente) nem entrar numa loja pra pedir informações, pagar uma conta ou coisa parecida… a primeira coisa que vem na minha cabeça é pedir ajuda pra minha mãe… meu pai nunca me levou na praia… ou deu um passeio comigo, brincou… NADA. a gente só briga, todo dia… por qualquer coisa… sempre gritando um com o outro…

    gostei de ter lido essa matéria, sempre achei que a culpa disso tudo era minha… como se eu fosse defeituoso por causa das minhas escolhas quando era pequeno ^^ fico mais tranquilo em saber que foi por falta de experiencia dos meus pais. digo isso por que minha irmã não tem nenhum desses problemas, ela é o oposto de mim… e eu já reparei que o relacionamento deles com ela é diferente tbm. antes um pombo na mãe do que dois voando né? uashaushaushshaushashhas

    Thumb up 2
  5. Pois é, a ciência mais uma vez provando o que muitos já sabiam, extrema proteção é extremamente prejudicial a saúde dos futuros adultos. Não apenas do lado físico – com problemas cerebrais nítidos – mas principalmente psicológico, se bem que aquele interfere neste. Penso que todos os pais já no pré-natal lesse uma matéria dessas ou consultassem um psicólogo para ajudá-los nesta difícil jornada de “mamãe e papai” cujo muitos – talvez pela inexperiência – causa involuntariamente sérios problemas biológicos, sociais, psicológicos entre outros nos seus filhos.
    Se você não sabe – ou acha que sabe – cuidar de seus filhos, PROCURE ALGUÉM QUE SAIBA, (e não falo de vovó nem sogrinha não) é um psicólogo quem irá lhe guiar pelo caminho certo a seguir.

    Thumb up 1
  6. Nossa, eu passei por todas as experiencias negativas descritas nesse artigo (tenho 17 anos hoje), e comprovo que isso me afetou muito negativamente! E tenho dois irmaos mais velhos que tambem tem problemas com depressao e sao muito dependentes ainda….

    As vezes eu penso nisso e me dá muito odio dos meus pais, por eles terem sido tao ignorantes e negligentes!

    Aliás, apareceu um artigo na veja recentemente falando sobre isso, e o especialista afirmou que é muito melhor NÃO TER PAIS NENHUM que ter pais assim, que passam valores errados para os ffilhos…

    Thumb up 2
  7. Eu também tenho Dois amigos que tem este tipo de problema e é muito triste o que eles passam exatamente por serem superprotegidos por seus pais,inclusive os dois tem depressão e um tem incontinencia fecal,só quem viu ou quem passou sabe como é dificil a vida dessas pessoas que tem dificuldade até para arrumar um emprego.

    Thumb up 2
  8. Muito interessante, eu conheço várias pessoas que sofrem “deste mal”. Tenho um amigo que a mãe dele não o deixa atravessar avenidas sozinho; ele nunca pegou um ônibus público em toda sua vida; entre outras coisas muito tristes, isso porque ele tem 18 anos.

    Pobre garoto =/

    Hahaha!

    Thumb up 6
    • Não entendi isso. Pode explicar?

      “Pobre garoto =/
      hahaha!”

      Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
Captura de Tela 2012-12-05 às 23.10.29
Qual a origem dos átomos de nosso corpo?

Apesar de serem enco...

Fechar