Você deve vacinar seus filhos?

Publicado em 24.04.2012

De acordo com o especialista Gregory Poland, você deve estar atento para três mitos: de que o sistema dos bebês não está pronto para o número de vacinas dado hoje; de que as vacinas podem causar doenças autoimunes; de que a imunidade natural é melhor e mais segura.

“Milhares de crianças estão com um risco grande de doenças devido à baixa vacinação, e crises de doenças altamente transmissíveis já ocorreram”, afirma. “Médicos de cuidados primários têm pouco tempo para explicar a ciência por trás das vacinas”.

O especialista explica que o número de moléculas nas vacinas para recém-nascidos é muito menor do que antigamente, por isso a segurança. Além disso, foram revisados 1200 artigos que não conseguiram encontrar qualquer tipo de efeito autoimune nas vacinas.

Por isso, se você pensa em fazer seu filho desenvolver o próprio sistema imunológico a partir do contato com o mundo, talvez seja melhor optar pelo caminho tradicional da medicina, já que o risco de morte parece ser menor.

Como exemplo, o médico cita sarampo, que com a vacina é risco zero de mortalidade, mas sem já passa para 3 em cada 1000 crianças. [ScienceDaily]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

3 Comentários

  1. É preciso vacinar os nossos filhos pelos menos com as vacinas básicas contra as doenças mais comuns.
    Segui o calendário de vacinas dos meus filhos a risca e não me arrependi disso.
    Acho que temos que dar preferência para aquelas que são fabricadas no nosso país que são mais seguras.O instituto Butãnta ja fabrica a maioria delas se não me engano.

    Thumb up 0
  2. É inexorável o fato de que toda moeda tem duas faces, detalhe ignorado pela maioria. Faz se prudente que não valorizemos em demasia ambos os lados sem o respaldo da análise racional. Muito menos tomar como verdade e certeza qualquer premissa, apenas refletir. Eis o rascunho do lado oculto.
    O estudo, entitulado “As Taxas de Mortalidade Infantil Diminuem em Relação ao Número de Doses de Vacina Aplicadas Rotineiramente: Há uma Toxicidade Sinergística ou Bioquímica?”, foi realizado por Neil Z. Miller e S. Gary Goldman. O estudo foi publicado na respeitável revista “Toxicologia Humana e Experimental”, que é indexada pela Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA . Apesar dos Estados Unidosadministrar o maior número de doses de vacina às crianças em todo o mundo desenvolvido, chegando a 26 antes da criança atingir a idade de um ano, a sua taxa de mortalidade infantil é superior a 33 outras nações, sendo que todas estas administram menos vacinas. O estudo ilustra claramente o fato de que os países desenvolvidos que administram menos vacinas têm menores taxas de mortalidade infantil, sugerindo uma ligação estatística direta entre os efeitos colaterais da vacinação e os óbitos infantis. … http://www.anovaordemmundial.com/2011/07/estudo-mortalidade-infantil-aumenta.html
    Com mercado promissor, Brasil é um dos 5 maiores consumidores de remédios no mundo.
    Segundo o Conselho Federal de Farmácia (CFF), o Brasil possui cerca de 80 mil drogarias e sete mil farmácias de manipulação. O país está entre os cinco maiores consumidores de medicamentos do mundo e, no que diz respeito ao consumo de cosméticos, é o terceiro. A previsão é que até 2013 as vendas no mercado farmacêutico global cresçam de 4% a 7% ao ano.
    O segmento de genéricos também é expressivo, representando grande parcela do mercado. Em 2010, as vendas desses remédios totalizaram
    R$ 6,2 bilhões, 40% a mais que no ano anterior. Para 2011, estima-se que as indústrias instaladas no Brasil devem investir cerca de R$ 1,5 bilhão só nesse segmento. …
    O Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar da Finlândia(THL) suspendeu o uso da vacina H1N1 em meio a temores de que a vacina está relacionada com um aumento de 300 por cento nos casos de narcolepsia, doença neurológica em crianças e jovens ao longo dos últimos seis meses.

    A notícia certamente irá desencorajar ainda mais pais e mães de vacinar seus filhos nos próximos meses, agora que a vacina da gripe suína será combinada com a vacina da gripe sazonal comum.
    De acordo com a Kari Lankinen, médico-chefe da Agência de Medicina finlandesa, os médicos foram cúmplices em esconder a relação entre a vacina contra a gripe suína e narcolepsia e o fizeram para progredir em suas carreiras.

    “Lankinen suspeita que o motivo para o silêncio era a preocupação dos médicos sobre os seus próprios objetivos profissionais – como terem seus artigos publicados em revistas médicas internacionais. Os médicos que fizeram as observações nos últimos meses agora trabalham com o Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar (THL)”, relata YLE.fi.

    No total, cerca de 750 finlandeses experimentaram efeitos colaterais após tomarem a vacina H1N1, de acordo com o Helsinki Times.
    A vacina contra a gripe sazonal também tem sido associada com convulsões em menores de 5 anos. A vacina foi suspensa na Austrália para crianças menores de 5 anos.
    A vacina que está a ser usada em Portugal contra a gripe A não foi aprovada pelos Estados Unidos por conter substâncias na sua composição que podem alegadamente causar danos à saúde dos que a tomam.
    Nos EUA, a Pandemrix não foi aprovada porque contém uma substância, o esqualeno, que alegadamente provoca a alteração do sistema imunitário. Vários estudos ligaram os seus efeitos à síndrome da Guerra do Golfo porque terá sido utilizado como adjuvante na vacina do antrax. O que está em causa nesta vacina, segundo os seus detractores, são dois componentes que se encontram tanto na própria vacina como no adjuvante que lhe é adicionado para aumentar os efeitos.
    “O surto de gripe suína é uma “falsa pandemia” movida por empresas de medicamentos que fizeram bilhões de libras através do pânico em todo o mundo”, alegou Wolfgang Wodarg, importante especialista europeu em saúde, chefe de saúde do Conselho da Europa. Acusou os fabricantes de medicamentos e vacinas da gripe de influenciar a decisão da Organização Mundial de Saúde de declarar uma pandemia.

    Isto levou a que as empresas farmacêuticas assegurassem “enormes lucros”, enquanto os países, incluindo o Reino Unido, “desperdiçaram” seus parcos orçamentos da saúde com milhões que estão sendo vacinados contra uma doença relativamente branda.

    A resolução proposta pelo Dr. Wodarg pedindo uma investigação sobre o papel das empresas de droga foi aprovada pelo Conselho da Europa, o “senado” baseado em Estrasburgo que é responsável pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.
    Marcelo Leite – Folha.com, disse:

    O Congresso Nacional anda muito ocupado em representar os interesses da bancada ruralista. Não fosse isso, bem que poderia investigar a atuação do Ministério da Saúde no combate à gripe pandêmica, ou suína, causada pelo vírus influenza A (H1N1).

    É o que está fazendo o Conselho da Europa (não confundir com o Parlamento Europeu) com a OMS (Organização Mundial da Saúde) e as autoridades de saúde de seus 47 Estados-membros. Um relatório devastador as acusa de favorecer a indústria farmacêutica no enfrentamento da nova gripe. …
    Na busca por respostas a respeito do porque que meninas estão sofrendo danos devastadores à saúde depois de serem injetadas com vacinas contra o HPV, a organização SANE Vax decidiu comprar frascos de Gardasil e testar em laboratório. Eles descobriram que mais de uma dúzia de frascos da vacina Gardasilestavam contaminados com DNA recombinante do vírus do papiloma humano (HPV). Os frascos foram adquiridos nos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Espanha, Polónia e França, indicando que a contaminação da vacina Gardasil é um fenômeno global.

    Isto significa que as adolescentes que são injetadas com essas vacinas estão sendo expostas à um perigo biológico – o rDNA de HPV. Na realização dos ensaios, o Dr. Sing Lee encontrou rDNA das cepas HPV-11 e HPV-18, que foram descritas como estando “firmemente ligadas ao adjuvante de alumínio”.

    O fato do alumínio também ser encontrado em vacinas deve ser alarmante por si só, já que o alumínio não deve ser injetado no corpo humano, porque é tóxico quando ingerido e, especificamente, danifica o sistema nervoso (vej aqui e aqui). Com a descoberta de que o adjuvante de alumínio também tinha fragmentos de DNA recombinante de duas cepas diferentes do vírus do papiloma humano, isto agora alcança o nível de
    risco biológico – mais para uma arma biológica do que algo que lembre medicamentos.

    Como a SANE Vax explica em sua declaração, estes testes foram realizados depois que uma adolescente experimentou “artrite reumatóide grave após 24 horas” depois de ser injetada com uma vacina contra o HPV. Veja o relatório produzido pela SANE Vax.
    DNA recombinante de Gardasil foi criado geneticamente

    O DNA recombinante que foi encontrado na vacina Gardasil não é o rDNA “natural” do próprio vírus HPV. Pelo contrário, ele foi criado genéticamente através da utilização do código genético do HPV que é adicionado às vacinas durante a fabricação.

    Veja o que disse Dr. Lee, o patologista que realizou testes laboratoriais para identificação do risco biológico de contaminação da vacina Gardasil:

    “O DNA natural do HPV não permanece por muito tempo no sangue. No entanto, o DNA na vacina Gardasil não é “natural”. Ele é um DNA recombinante do HPV (rDNA) – modificado geneticamente – e que é inserido em células de levedura, que são utilizadas para a produção de proteínas VLP (semelhantes ao vírus). O rDNA é conhecido por seu comportamento diferente do DNA natural. Ele pode entrar em uma célula humana, especialmente em uma lesão inflamatória causada pelos efeitos do adjuvante de alumínio, através de mecanismos pouco conhecidos. Uma vez que um segmento de DNA recombinante é introduzido em uma célula humana, as conseqüências são difíceis de prever. O RNA pode ficar na célula temporariamente ou ficar lá para sempre, causando ou não uma mutação. Agora, a célula hospedeira contem DNA humano bem como o DNA viral produzido geneticamente em laboratório”. …
    No Brasil até hoje não foram divulgados os dados sobre efeitos adversos associados a vacina, numa clara tentativa utópica de demonstrar que a vacina é segura.

    http://www.anovaordemmundial.com/2011/09/vacina-gardasil-contaminada-com-dna.html
    YLE.fi: Minister Calls for Thorough Examination of Possible Link Between H1N1 and Narcolepsy
    Helsingin Sanomat: HH1N1 vaccinations suspended over narcolepsy scare
    Helsinki Times THL stops swine flu vaccinations
    YLE.fi: Vaccine Expert: Doctors Withheld Narcolepsy Symptoms
    Natural News: Gardasil HPV vaccines found contaminated with recombinant DNA that persists in human blood
    SANE Vax: Gardasil Vaccine Found to be Contaminated
    Natural News TV: Merck vaccine scientist admits presence of SV40 and AIDS in vaccines – Dr. Maurice Hilleman
    New Scientist: Does SV40 contamination matter?
    Projeto de Lei Nº 238, de 2011 na Íntegra (outras informações sobre o projeto)
    Blog Anti-NOM: Expert em Remédios Diz Que Vacina para Câncer Cervical É mais Mortal Que O Próprio Câncer
    “A Verdade Sobre Gardasil”

    Thumb up 7

Envie um comentário

Shares
Share This

Compartilhe

Seus amigos vão adorar!