6 coisas que pais podem fazer melhor do que mães

Por , em 17.06.2013

Manter uma família não é uma competição, e sim um trabalho em equipe, mas, ainda assim, a noção de que “mães têm um papel mais importante do que pais na vida dos filhos” continua forte. Não seria hora de atualizar esse retrato?

A seguir, você verá seis pontos em que pais, à sua maneira, conseguem ajudar tanto quanto as mães (ou até melhor):

6. Brincadeiras físicas

Fugindo um pouco do excesso de zelo que muitas mães têm, pais em geral estão mais dispostos a tocar seus filhos com mais firmeza, seja em esportes ou em brigas de travesseiro e brincadeiras similares, de acordo com o psicólogo Lawrence J. Cohen. Esse tipo de contato pode ajudar a mostrar que nem todo toque tem um sentido agressivo ou sexual.

5. Preocupação sob controle

“Eu tinha um amigo que dizia a seus filhos ‘não me chamem, a menos que alguém esteja sangrando'”, conta Cohen. Apesar do exagero, essa brincadeira resume o estilo de muitos pais, que tendem a “esperar” mais do que as mães para ajudar os filhos.

Se for equilibrada, essa atitude ajuda na construção da autoconfiança do filho, que precisa se esforçar para lidar com seus problemas (mesmo podendo contar com a ajuda de seus pais).

4. Lado a lado

De modo geral, pais costumam estar literalmente ao lado de seus filhos, seja vendo um filme, ensinando algo ou ajudando em alguma tarefa manual, enquanto mães tendem a atuar cara a cara (ouvindo, aconselhando, observando).

“[Atividades] lado a lado ajudam a construir capacidade e confiança, e isso ocorre realmente porque há alguém com você, fazendo coisas com você”. Esse efeito se complementa com o do contato cara a cara, que ajuda a construir intimidade emocional.

3. Diversão em criar

De acordo com um estudo publicado esse ano no periódico Psychological Science, pais, de modo geral, apreciam mais do que mães a criação dos filhos – possivelmente porque elas se desgastam mais devido à preocupação com os filhos e, dependendo da estrutura da família, com as tarefas domésticas.

2. Reconhecimento

“Saber que uma criança se sente amada por seu pai é uma maneira melhor de prever como será seu senso de bem-estar, felicidade e satisfação com a vida, em comparação com o sentimento de ser amado por sua mãe”, explica o pesquisador Ronald Rohner, que publicou em 2012 um estudo sobre o impacto da aceitação paterna. Isso ocorre, possivelmente, por causa da ideia de que o pai tende a ser mais exigente a respeito do reconhecimento que dá aos filhos, enquanto a mãe, a princípio, dá um reconhecimento mais “incondicional”.

1. Amor de pai

A força dos vínculos que uma mãe pode ter com seus filhos, por maior que seja, não deveria ser usada para menosprezar o amor de um pai. Segundo um estudo publicado em 2010 no periódico Biological Psychiatry, o nascimento de um filho eleva o nível de oxitocina (conhecida como “hormônio do amor”) dos pais durante as primeiras semanas. Além disso, são cada vez mais comuns as famílias que se organizam de modo que o pai possa ser quase tão presente na vida dos filhos quanto (ou mais do que) a mãe.[LiveScience, foto de Dave Engledow]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

3 comentários

  • Dinho01:

    Tudo isso é verdade quando você tem um pai que realmente se interessa pela educação dos filhos.Conheço alguns que só conversam com os filhos na hora de jogar video-game.

    • Jessica Soares:

      e a maioria nao é presente!

  • Val:

    Os pais são tão importantes quanto as mães,cada um tem o seu papel na hora de educar e dar atenção aos filhos!

Deixe seu comentário!