Adivinhe qual será o ano mais quente da história

Por , em 21.09.2015

2015 está na pole position para levar o título de ano mais quente já registrado – e não mostra sinais de que irá diminuir o ritmo na reta final.

Agosto foi o sexto mês do ano a estabelecer um recorde de calor, de acordo com novos dados do Centro Nacional de Informação Ambiental (NCEI) dos EUA, divulgados no dia 17. Como agosto é verão no hemisfério norte, cinco destes meses também apareceram entre os 10 meses mais quentes que o NCEI já registrou.

De acordo com cálculos realizados usando temperaturas até julho, este ano tem uma chance de 97% de ser o ano quente já registrado, roubando o título de 2014. Esse percentual deverá ser revisto com o novo recorde de agosto.

“Isto continua uma tendência que temos visto desde a última parte de 2014, uma tendência de temperatura muito quente em relação à história”, afirma Deke Arndt, o chefe da divisão de monitoramento do clima do NCEI.

A razão para o recorde deste ano ser tão certo é porque têm sido registrados meses ultraquentes desde janeiro, e as temperaturas não têm mostrado sinais de abrandamento. Em um gráfico que mostra os seis anos mais quentes no registro que Arndt compara a uma corrida de cavalos, fica claro que 2015 é o garanhão favorito do aquecimento global. O planeta teria que presenciar uma onda gigantesca de frio em 2015 não ser o ano mais quente já registrado.

“Nós teríamos que ver algum comportamento de resfriamento realmente incomum”, diz Arndt.

Águas quentes são culpa do aquecimento global

Este ano superou todos os outros anos do início ao fim por ter o calor recorde dos oceanos a seu favor. Agosto estabeleceu o recorde de temperaturas mais quentes já registradas no mar, embora as áreas de terra também estejam mais quentes. Os oceanos são muito lentos para responder às mudanças de temperatura. É em parte por isso que é tão improvável que 2015 perca o título de ano mais quente da história.

Décadas de aquecimento induzido pelo homem levaram o planeta a este ponto. São 368 meses seguidos de calor acima do normal e já fazem mais de 100 anos desde que o planeta teve um ano com recorde de frio. Arndt afirma que o fenômeno El Niño está essencialmente ajudando o planeta a estabelecer o recorde.

Como o El Niño deve persistir até pelo menos o início de 2016 e continuar sua influência sobre o aquecimento global, é possível que 2015 também tenha um curto reinado como o mais quente já registrado. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!