10 armas da ficção científica assustadoras que teoricamente poderiam existir

Por , em 6.07.2014

O gênero de ficção científica nos apresentou a uma infinidade aterrorizante de tecnologia ao longo dos anos. Quantas dessas armas realmente poderiam existir, com base no que sabemos sobre a ciência moderna?

10. Sabre de luz (Star Wars)

10
Quem nunca quis um sabre de luz? Eles podem ser uma realidade em breve. Em setembro de 2013, cientistas da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (ambos nos EUA) descobriram uma forma de manipular fótons (partículas que normalmente não interagem umas com as outras) em uma molécula fotônica. Eles dizem que o exemplo mais próximo do que este novo processo (por enquanto apenas teórico) poderia criar é um sabre de luz.

Os cientistas colocaram átomos de rubídio em uma câmara de vácuo e usaram lasers para esfriá-los quase a zero absoluto. Então, atiraram fótons individuais nessa nuvem por meio de pulsos de laser. Isto fez com que o fóton se movesse para dentro e através da nuvem, passando energia para os átomos. Um dos cientistas afirmou que este processo pode um dia ser usado para criar estruturas cristalinas 3D de luz. A ciência não está completamente pronta para criar uma arma de feixe de luz ainda, mas o experimento prova que esse tipo de tecnologia é, pelo menos, teoricamente possível.

9. Ciborgue (Robocop)

9
Ciborgues têm aparecido em contos de ficção científica desde que o gênero apareceu. Mas será que é realmente possível criar um “homem biônico” com a tecnologia de hoje? Sim. A tecnologia moderna já criou olhos biônicos e outros aparelhos do tipo. Também, a Universidade Vanderbilt (EUA) criou um exoesqueleto biônico para pessoas com paralisia, focado principalmente nos membros inferiores. A pesquisa é um avanço da medicina e da ciência, e abre a possibilidade de criar um esqueleto sobre-humano biônico. Este exoesqueleto foi testado em um paciente paraplégico com resultados positivos: a pessoa conseguiu andar a uma velocidade média de 0,8 km por hora, com a ajuda de feixes paralelos de apoio. Um homem completamente biônico não é um conceito muito distante.

8. Reator de fusão (Universo Marvel)

Kernel heavy metal
A ideia de aproveitar uma fonte de energia em um pequeno espaço não é impossível com o conhecimento de hoje. O reator de fusão do Homem-Aranha pode não ser real, mas a ideia por trás dele é baseada em ciência real. O mais assustador é que não estamos muito longe de compreender a fusão nuclear através de uma reação deutério-trítio. Essa reação é a mais concebível para nós hoje, já que ambos os elementos são abundantes. O processo de fusão envolve colocar os dois núcleos atômicos tão próximos um do outro que eles se fundem, mas requer temperaturas de cerca de 100 milhões de graus Celsius. Além da temperatura, o processo gera um plasma altamente eléctrico que deve ser contido em uma gaiola de campo magnético. A teoria por trás do reator de fusão do Doutor Octopus não é muito diferente de como entendemos a reação deutério-trítio. No entanto, conter a reação e estabilizá-la o suficiente para atrair objetos metálicos distantes é outra questão.

7. Teletransporte (Star Trek)

7
O aparelho de teletransporte do Capitão Kirk é um dos melhores dispositivos sci-fi já inventados. Mas o teletransporte é uma possibilidade, na vida real? A resposta é um sonoro “talvez”. Os cientistas da Universidade de Maryland e da Universidade de Michigan (nos EUA) exploraram a viabilidade de teletransporte. A equipe mostrou que é possível transferir informações entre fótons. Para realizar essa tarefa, eles colocaram dois íons em um vácuo cercado por campos elétricos. Então, usaram um laser para criar um estado quântico conhecido como emaranhamento, que essencialmente permite que dois átomos desloquem suas propriedades um para o outro. Num certo sentido, isso permite que informação seja “teletransportada” entre eles. O próximo passo lógico é melhorar a precisão dos fótons e criar uma comunicação mais rápida e mais eficiente entre eles. Teletransporte humano é outros quinhentos, no entanto.

6. Máquina do tempo (H.G. Wells)

6
Nós provavelmente não vamos voltar à época dos dinossauros ou visitar galáxias futuras, mas isso não significa que a viagem no tempo é impossível. Albert Einstein mostrou que o tempo é essencialmente elástico e susceptível de esticar ou encolher com movimento. Assim, viagem no tempo é aceitável considerando que o tempo pode ser acelerado pelo aumento da velocidade. Isso pode ser observado em estrelas e planetas a anos-luz de distância. Além disso, Einstein disse que a gravidade constitui um fator de tempo.

E uma máquina do tempo, poderia existir? Um aparelho desses poderia funcionar se houvesse uma matéria exótica com uma densidade de energia negativa, a fim de dobrar o espaço-tempo. Mesmo que essa matéria exista, no entanto, não há o suficiente para construir uma máquina do tempo. Outras pesquisas sugerem que uma máquina do tempo poderia funcionar sem essa matéria exótica. Isso exigiria a criação de um vácuo de matéria normal, permitindo que o espaço-tempo dobrasse sobre si mesmo. Esta teoria apresenta complicações e assume uma manipulação quase impossível de campos gravitacionais, mas fornece uma base teórica para tal aparelho.

5. Pulso eletromagnético (Matrix)

5
Você deve se lembrar do pulso eletromagnético usado em Matrix. A ideia de uma arma que pode desativar qualquer dispositivo eletrônico soa como uma criação terrível de ficção científica, mas existe na vida real, e é ainda mais aterrorizante do que podemos imaginar. Um pulso moderado iria destruir quaisquer dispositivos eletrônicos próximos. Uma explosão diretamente acima dos Estados Unidos poderiam enviar pulsos ao longo de todo o continente norte-americano. Até mesmo explosões menores poderiam, teoricamente, desativar bancos locais, sistemas de alarme e de segurança e instituições como a bolsa de valores. Há suspeitas de que os norte-coreanos estão experimentando com tecnologia russa para criar armas de pulso eletromagnético capazes de desativar equipamento militar eletrônico. Salve-se quem puder!

4. Neuralizador (Homens de Preto)


O neuralizador de Homens de Preto é incrível: não muito maior do que uma caneta, é capaz de apagar a memória humana durante o tempo que o usuário pretende usando apenas um flash de luz. Tal dispositivo ainda não existe, mas os cientistas estão fazendo experiências com edição de memória, e alcançando sucesso. Por exemplo, pesquisadores criaram uma nova droga experimental capaz de bloquear PKMzeta, uma substância que o cérebro precisa para reter informações. Depois de administrada, a droga pode atingir áreas do cérebro que possuem certos tipos de memória associadas com emoções e habilidades motoras. A pesquisa ainda está no início e a droga só foi testada em ratos de laboratório, mas os cientistas estão bastante confiantes de que a mesma edição de memória pode ser aplicada com sucesso em seres humanos. Enquanto uma droga dessas provavelmente irá ser usada para tratar demência e outras doenças, não podemos afastar totalmente usos antiéticos e bélicos.

3. Arma de raio (Flash Gordon)

3

A arma de raio, ou raio da morte, é uma arma portátil capaz de lançar feixes de partículas mortais. Uma das primeiras tentativas de criar um raio da morte concentrado foi feita por Nikola Tesla. Sua ideia era criar um selo de vácuo e, em seguida, empurrar uma corrente de ar em alta velocidade através da arma. O feixe de partículas resultante pode ser projetado em uma linha reta em até 320 km. O raio da morte de Tesla era quase idêntico à arma carregada de partículas desenvolvida pelos EUA e pela Rússia durante a Guerra Fria. Mais recentemente, um homem também foi capaz de usar uma tela de TV antiga para construir um “raio da morte” que atinge 1.090 graus Celsius e pode queimar metal. Se a produção de um feixe de partículas é tão fácil, poderia o mesmo raio da morte existir sob a forma de uma arma portátil? Muito provavelmente.

2. Máquina apocalíptica, ou Máquina do Juízo Final (Dr. Fantástico)

2
A Máquina apocalíptica ou Máquina do Juízo Final é uma aterrorizante invenção do gênero sci-fi. No entanto, o enredo de Dr. Fantástico (ou Dr. Strangelove), no qual os soviéticos explodem o mundo, pode não ser totalmente ficcional. Em 1984, a União Soviética tinha, de fato, construído uma máquina do fim do mundo chamada “Perimeter” (“perímetro”). Ela era operada por um elaborado sistema espalhado por todo o país e projetado para disparar vários mísseis contra os Estados Unidos. Estima-se que o lançamento desses mísseis poderia matar mais de 100 milhões de pessoas. A parte mais assustadora? “Perimeter” supostamente ainda está ativo, mas ninguém quer falar sobre isso. Se uma “máquina do fim do mundo” (como a “Perimeter”) realmente existe é um mistério, mas não há nenhuma maneira de excluir definitivamente essa possibilidade aterradora.

1. Vírus Extremis (Universo Marvel)

1
Em suma, o vírus Extremis do Universo Marvel surgiu como um agente de cura para regenerar membros amputados antes de evoluir para dar habilidades sobre-humanas. A ciência de regenerar membros humanos (como uma lagartixa crescendo um novo rabo) ou a criação de melhores membros está a caminho de ser teoricamente possível. Atualmente, não podemos regenerar membros, mas a chave para alcançar esse objetivo pode estar em nossas unhas. Pesquisadores da Universidade de Nova York (EUA) usaram ratos geneticamente modificados para testar a cadeia de eventos que ocorre na regeneração de uma ponta do dedo. Eles esperam que as suas descobertas possam ser usadas para a regeneração de membros no futuro.

O experimento focou nas células-tronco a partir do leito ungueal, que estimulam a autorrenovação e o crescimento. Os pesquisadores descobriram que as células dependem de proteínas chamadas de “via de sinalização Wnt”. Essas proteínas ajudam o crescimento de folículos pilosos e unhas. Ao manipular essa via em ratos com dedos amputados, os pesquisadores puderam provocar o crescimento em áreas onde ele normalmente não ocorre. O próximo passo é concentrar-se sobre os processos moleculares que controlam a forma como o sinal interage com as células-tronco para produzir este crescimento e regeneração. A capacidade de criar um “super-humano” em constante regeneração pode não ser totalmente possível ainda, mas estamos mais perto do que pensamos.[Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,67 de 5)

14 comentários

  • Raizen Fox:

    ‘O reator de fusão do Homem-Aranha pode não ser real’

    Não seria do Homem de Ferro?

  • Eitan Peles:

    Vcs esqueceram de mencionar a arma de antimatéria.

  • Diogenes Luca:

    Concordo contigo Raul Galdino. Totalmente possível. Tem uma materia aqui na Hiper falando especificamente sobre isso: Levitação quantica. E sugere justamente o uso para levitação de carros magnéticos. Com a nanotecnologia chegaremos a novos materiais q n necessitaram de temperaturas tão baixas.

  • Diogenes Luca:

    Diz ai Cesar; minha ideia tem futuro…com uso da nanotecnologia e novos materiais? Imagine longas vias captadoras de energia solar associadas a um composto supercondutor…que tal?

    • Cesar Grossmann:

      Uma via captando energia solar e ao mesmo tempo supercondutora? Por enquanto é o maior problema que você tem a resolver…

      Ao captar energia solar, a via aquece, e perde as propriedades supercondutoras. Pelo menos os materiais supercondutores que existem atualmente, mas posso estar errado…

    • Diogenes Luca:

      Imaginei uma arma que não foi mensionada aqui: Bombas Laser. Ou fotonicas. Imagino que algum dia seremos capazes de armazenar laser de alguma forma. E utiliza-lo de uma forma completamente diferente como utilizamos hoje. Creio mesmo que temos muito ainda a aprender e a desenvolver no uso e atributos das partículas.

    • Cesar Grossmann:

      Veja esta matéria do HypeScience:

      https://hypescience.com/como-cientistas-congelaram-um-feixe-de-luz-por-um-minuto/

  • Diogenes Luca:

    Os carros que voam ja são possiveis. Com uso de materiais supercondures e eletromagnetismo. Futuramente nossas vias serão compostas por uma certa quantia de material supercondutor que possibilitara a levitação de mesma forma como ocorre com os maglevs. Certamente o material desses veiculos assim como sua parte mecanica representará muito pouco do peso do transporte. O veiculo não vai “voar” exatamente, mas levitar. Uns 50 centimetros no maximo. Porem seu ganho será na economia de energia.

  • Eduardo Harguindeguy:

    Natasha no filme Dr Strangelove es exatamente o inverso ao q vc diz, um cientista exnazista e um general de extrema direita americano são os q provocam a 3° guerra mundial.

    • Cesar Grossmann:

      Olha os spoilers…

  • Jonathan Morais:

    E os carros que flutuam? Nao seria possivel com uso de eletromagnetismo?

    • Jonathan Morais:

      E os campos de força?

    • Cesar Grossmann:

      Funciona só em trilhos. Daí vem o maglev.

    • Raul Galdino:

      Levitação quântica <3
      Supercondutores resfriados a temperaturas absurdamente baixas, gerando campos magnéticos poderosíssimos com quantidade ínfima de energia!

Deixe seu comentário!