Baixa auto-estima aumenta sentimentos negativos em relação aos outros

Por , em 28.02.2011

Um novo estudo traz uma afirmação não muito surpreendente: denegrir outras pessoas faz com que você se sinta melhor consigo mesmo. Quando alguém está se sentindo mal, fazer com que outro se sinta pior melhora a auto-estima.

Uma das razões mais antigas do por que as pessoas têm preconceito e criam estereótipos é simplesmente que isso faz com que elas se sintam melhor. Psicólogos têm considerado duas possibilidades para isso: a baixa auto-estima aumenta as avaliações negativas de outros, ou torna as pessoas menos propensas a suprimir os preconceitos que já possuem.

Não há acordo sobre uma das hipóteses. Na nova pesquisa, a conclusão foi de que a auto-estima baixa aumenta a intensidade de preconceitos negativos.

O experimento era feito para deixar os participantes para baixo e, em seguida, observar sua tendência de mostrar preconceito racial. 57 alunos fizeram uma prova muito difícil com 12 questões. Ninguém respondeu a mais de 2 itens corretamente.

Cerca de metade dos participantes recebeu seus resultados (ruins), enquanto os pesquisadores disseram que a pontuação média foi 9 para fazê-los se sentirem mal consigo mesmos. À outra metade foi dito que seus testes seriam corrigidos mais tarde.

Então, todos os participantes completaram um teste para medir seu preconceito racial. Em uma tela, passavam uma série de palavras positivas, palavras negativas e imagens de rostos negros ou brancos.

Primeiro, os participantes tiveram que pressionar a tecla “E” do teclado quando viam um rosto negro ou palavras negativas, e a tecla “I” quando viam rostos brancos ou palavras positivas. Em seguida, os grupos foram invertidos, e os participantes tinham que pressionar uma tecla para rostos negros ou palavras positivas, e outra para rostos brancos ou palavras negativas.

O pensamento era que, se os participantes tivessem sentimentos negativos em relação ao negro, achariam a segunda tarefa mais difícil, e se tinham associações negativas com os brancos, achariam o primeiro teste mais difícil. Isto estaria mais destacado quando as pessoas estivessem se sentindo mal sobre si mesmas.

Como esperado, aqueles que estavam se sentindo mal com suas performances no teste mostraram evidências de preconceito implícito.

Os pesquisadores aplicaram os resultados a um modelo de computador que incluía quatro processos, como o grau em que nossos preconceitos são ativados no cérebro, e se podemos superar tais preconceitos, para descobrir o motivo por que as pessoas agiam assim.

Eles descobriram que pessoas que se sentiram mal consigo mesmas eram mais propensas a mostrar preconceito porque os sentimentos negativos foram ativados com maior intensidade (e não porque se tornaram menos propensas a reprimir sentimentos negativos que já tinham).

A diferença é sutil, mas importante. Se o problema era não conseguir inibir o preconceito, os especialistas poderiam treinar as pessoas para exercer um melhor controle. Já no caso real, a maneira de contornar isso é tentar pensar diferente sobre as outras pessoas. Quando você se sentir mal consigo mesmo, é ideia é que evite fazer com que isso interfira seu julgamento sobre os outros. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

13 comentários

  • Yazmin Gatti:

    Eu adoro fazer os outros se sentirem mal mas só se houver motivo. A cor, etnia ou orientacao sexual sao irrelevantes para mim.

  • jodeja:

    Nada de baixa estima. Tenha bons pensamentos e tudo ficará maravilhoso para você. Procure conversar com pessoas alegres, vista roupas bonitas. A vida é bela, viva-a.

  • TIYOKO:

    PESSOAS POSITIVAS x PESSOAS NEGATIVAS
    QUEM SAI GANHANDO DURANTE A JORNADA DA VIDA?

    Eu creio que vivi o bastante para dizer que quem vive positivamente com amor próprio, são mais saudáveis,mais vitoriosos em praticamente tudo,no estudo,no trabalho,na vida social,tem maior numero de amigos,isto é uma ciência, quem sabe viver,procura ser positiva e útil,tem sim recompensa, ao que para pessoas negativas,não é lá muito promissora, então …façamos uma escolhe inteligente,de preferência começando cedo a ver tudo com bons “olhos”

  • otamir mendes:

    foi de grande valia a descorbertas do psicologo, so nao gostei da teoria de usar o racismo como base cientifica porque existe o efeito coletaral, a algumas mentes “doentia” que assimilam o mal como teoria de vida.

  • Magda Patalógica:

    E quando você está se sentindo como:

    O MOSQUITO
    DO COCÔ
    DO CAVALO
    DO BANDIDO?

    Alguém aqui já passou por isso?
    Eu já, e não foi nada fácil.

    O pensamento de Gandhi, citado por Frito Master, é perfeito.
    Mas quando você está vivendo uma fase em que “O urubú de baixo caga no de cima”, como dizia minha avó, é muito difícil ter pensamentos positivos.

    Mas tudo passa, como muitas fases vieram e se foram.
    E nada como um dia após outro e uma noite entre eles.

    Fui

  • SUPER SINCERA:

    acho que nossa felicidade é ver a tristeza dos outros.

  • SUPER SINCERA:

    http://supersincerasempre.blogspot.com/ é realmente a baixa estima nos torna mais preconceituoso. mas porque precisamos ver os defeitos dos outros para esquecer os nossos.

  • Jorge:

    Concordo com você, Lord. No entanto, ter baixa auto-estima pode ser vantajoso quando a pessoa não se aceita e quer mudar. Na Física Clássica, um corpo deve parar antes de alterar o sentido de seu movimento. Deveria ser assim também conosco. Deveríamos parar, encontrar-nos conosco mesmos e seguir em frente. Ter auto-estima elevada somente se estivermos felizes conosco mesmos ou com as situações da vida. Acho que devemos tentar resolver o que nos aflige primeiro para levantar nossa auto-estima em seguida, senão cairemos na hipocrisia de aceitar uma situação que repudiamos, simplesmente para ter uma auto-estima elevada porém artificial. Sou como você, falo na cara também. Sinto-me mal comigo mesmo sendo hipócrita com os outros. Acho que o sentimento de pena nem sempre ajuda, senão muitas vezes estraga as situações em que vivemos. Tendo pena dos outros a situação acaba não se resolvendo de maneira alguma, o que invariavelmente vai nos atrapalhar de novo em seguida. Ser cru é muito difícil, mas muitas vezes ajuda-nos a resolver as coisas.

  • Lord:

    Isso é verdade. Eu tenho um baixo auto-estima anormal. E falar mal das pessoas realmente é uma maravilha, mas tem que falar na cara. Mas, depois vem um peso na consciencia insuportavel.

  • Anonimo…:

    Eu não sou preconceituoso. Aliás, odeio preconceito. PORÉM, sofro de baixa auto-estima, e de fato, às vezes m sinto bem por desprezar alguma pessoa. E o pior é que sei que estou errado ao fazer isso, mas mesmo assim não aprendo com os erros.

    Ahh vida, como você é complicada.

  • Frito master:

    “Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas palavras. Mantenha suas palavras positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes. Mantenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos, porque seus valores… Tornam-se seu destino.”
    Mahatma Gandhi

  • Don Corleonne:

    E foi assim que surgiu o Nazismo.

  • Denommus:

    Eu sei que teste de preconceito é esse. Acho ruim. Primeiro a pessoa se acostuma com o primeiro padrão, depois fica difícil inverter o padrão, e ela erra.

    Acaba que muita gente fica como se fosse preconceituoso.

Deixe seu comentário!